empreendedor-inabalavel

Empreendedor Inabalável

Por: José Roberto Marques | Blog | 30 de junho de 2020

A pandemia tem sido um desafio para a sociedade global, tanto no aspecto da saúde quanto econômico. Mais de 600 mil empresas fecharam as portas e mais de 9 milhões de profissionais ficaram desempregados.

A realidade tem sido dura para a maioria dos trabalhadores. É preciso estar em constante movimento para acompanhar as mudanças do mercado. O fato é que essa pandemia acelerou algumas evoluções que levariam anos para acontecer.

Empresas e profissões estão desaparecendo para darem lugar a novos formatos de negócios e carreiras. As demandas não desapareceram do mercado, apenas mudaram a ordem de relevância ou se adaptaram.

Estamos vivendo uma revolução e você tem dois caminhos: abrir mão do seu protagonismo e se render à estagnação ou se reinventar e usar esse momento como impulso de ação.

Ser um empreendedor inabalável é ousar fazer diferente e estar atento às exigências do mercado!

Vamos falar tudo o que você precisa saber neste artigo!

Os principais conceitos do empreendedorismo

O conceito de empreendedorismo

O conceito empreendedorismo foi utilizado pela primeira vez na década de 1950, pelo economista Joseph Schumpeter. Desde então, nunca mais saiu dos holofotes do mundo corporativo. É muito importante frisar que o termo ganhou ainda mais combustível com o boom da startup e da fintech, um tipo de startup que soluciona diversos serviços financeiros que seriam exclusivos de bancos e seguradoras. Locais como o Vale do Silício, nos Estados Unidos, e o San Pedro Valley, em Minas Gerais são exemplos de regiões com alta concentração de empreendimentos desse tipo.

Com tanta concorrência, as empresas precisam inovar constantemente para se destacar e garantir a sua competitividade. Por isso, os proprietários, os gestores e os líderes entenderam que a inovação pode vir de diversas maneiras e de diferentes origens. Veja algumas delas:

  • Profissionais atualizados: os trabalhadores que estão sempre pesquisando por novas tecnologias e procuram se atualizar com as novidades são os perfis empreendedores. Eles têm mais chances de conseguir as melhores vagas no mercado de trabalho, uma vez que transformam o seu conhecimento em novos produtos e potencializam o crescimento da empresa para a qual prestam serviços.

 

  • Parcerias com startups/fintech/empresas menores ou criação de oportunidades para troca de conhecimento: aqui vão alguns exemplos para falar de renovação de portfólio e parceria. O Itaú Unibanco abriu uma incubadora de startups, chamada Cubo Coworking. Além disso, a instituição financeira também investiu na compra da maxiPago!, que oferece soluções de pagamento, conciliação de mercado e ferramentas antifraude. Outro exemplo é o Banco do Brasil e o Bradesco que selaram uma parceria chamada banco CBSS. Um dos resultados desse trabalho foi o Digio, uma plataforma que permite solicitar cartão internacional sem complicação.

 

  • Modernização de equipamentos e processos: a consciência empreendedora está sempre em busca das melhores ferramentas para poder entregar o melhor trabalho. Não é toa que um profissional atualizado sempre sabe quais são os melhores serviços e produtos que podem contribuir efetivamente para a otimização dos processos internos da organização.

 

Eu falei um pouco mais sobre o tema no programa AQUI NA BAND:

ideia e empreendedorismo

O que é preciso para ser empreendedor?

O que é preciso para ser um empreendedor?

Ser um empreendedor é, na verdade, não saber detalhadamente quais riscos serão enfrentados. Para isso, é preciso ter muitas qualidades, ou, pelo menos, tolerância ao risco. Para reduzir os riscos é preciso fazer avaliações de forma
apropriada e enxergar a ideia de forma fria e firme.

Além disso, é preciso avaliar algumas questões:

–  Criar esse negócio atende as necessidades do mercado?

– Quem serão os compradores desse produto/serviço?

– Quanto eles podem pagar por ele?

– É possível algo dar errado? Caso sim, qual o valor a ser pago por isso?

– Qual o tempo da ideia desde o seu desenvolvimento até sua implementação?

– Essa ideia é realmente inovadora ou é tradicional?

Essas e outras questões são importantes para avaliar não só a entrada de um negócio no mercado, mas também o que mais é preciso para ser um sucesso.

Perfil comportamental do empreendedor

Existem as combinações de quatro perfis básicos e distintos. Dentro desses quatro perfis há várias combinações
possíveis de predominância de diferentes níveis. Esses perfis vão gerar personalidades singulares, índices e percepções de mundo diferentes que são medidos pelo sistema, o que reforça que cada pessoa é única, mas ainda assim pertencentes a um grupo. Quatro perfis com uma nomenclatura fácil de ser lembrada, associada onde sua classificação traduz sua principal característica:

perfil comportamental empreendedorismo

Os 4 perfis comportamentais de um empreendedor

O comunicador, em geral, é uma pessoa falante, extrovertida, ativa e que não gosta da monotonia, mas com facilidade em se adaptar. Como o próprio nome já diz é uma pessoa com facilidade em se comunicar e tende a passar de um assunto para o outro com rapidez. Trabalhos que envolva movimentação e autonomia agradam mais esse perfil. O comunicador precisa do contato interpessoal e um ambiente harmonioso, porém não gosta de passar despercebido. É uma pessoa de fácil amizade e atua muito bem trabalhando em equipe, é vaidoso e admirador de sua projeção pessoal e social. Os comunicadores são criativos, possuem um sentimento artístico, apresentam rapidez e agilidade em suas atitudes.

Pontos fortes: Otimista, envolvente, comunicativo, trabalha em equipe, foco no prazer, intuitivo, persuasivo.

Festivos, animados, descontraídos, gostam de viajar e passear, essas são algumas das características do comunicador
que os tornam mais sociáveis com pessoas do mesmo grupo. Devido à sua comunicação e alegria extrema, têm uma forte tendência a se tornarem líderes. Quando se consegue chamar a atenção de um comunicador para explicar uma determinada tarefa é necessário monitorá-lo para que ele não perca o foco do objetivo.

Já o executor é uma pessoa ativa, otimista e dinâmica. É um líder nato, assumir riscos e enfrentar desafios não são o bastante para fazêlo sentir medo. É trabalhador e tem uma enorme disposição física, além de demonstrar muita
determinação e perseverança.

Pontos fortes: Assertivo, tem iniciativa, tem voz de comando, independente, competitivo, foca em resultados, autogerenciado, dita ordens.

Este perfil é caracterizado pela sua força de vontade, pelo seu raciocínio lógico/dedutivo e sua imaginação e juízo normalmente são equilibrados. Desafios e obstáculos o estimulam a agir cada vez mais. É uma pessoa que tem autonomia e independência e que sabe se impor diante dos demais. Tem características de líder, é autoconfiante, às vezes pode ser autoritário e um tanto quanto inflexível. Por acreditar no seu ponto de vista é uma pessoa que luta pelas suas ideias.

Como o próprio nome diz, ele tem uma tendência a executar primeiro para depois pensar em como fazer. É um
perfil bastante indicado para tarefas rápidas que necessitam de iniciativa e determinação, desde que ninguém se coloque à sua frente, pois certamente será atropelado por esse perfil.

O perfil planejador é caracterizado por pessoas calmas, tranquilas, prudentes e autocontroladas. São pessoas que já gostam da rotina e atuam em conformidade com normas e regras estabelecidas; estar acompanhadas de pessoas mais ativas e dinâmicas faz com que este perfil sinta-se bem. Suas decisões são tomadas sem pressão e com bom senso, são flexíveis e seu caráter e ritmo são bastantes disciplinados. Por serem pessoas pacientes, observadoras, passivas e com boa memória, agem com muita tranquilidade em situações de emergências, mas podem carecer de aptidões criativas.

Pessoas com esse perfil, em geral, são introvertidas e detentoras de uma tranquilidade singular, o que os torna
pessoas de fácil relacionamento, mansas e bem equilibradas. Como profissional, ele planeja a melhor forma de executar uma tarefa antes de começar. E depois da tarefa iniciada ele seguirá por conta própria até sua conclusão.

O analista é o perfil conhecido pela característica dos gênios, são pessoas preocupadas, rígidas, porém calmas. Há uma tendência em serem pessoas caladas e retraídas, seu comportamento com as pessoas é discreto. A maior desvantagem desse perfil é ser pessimista, mas por serem mais sensíveis possuem maior habilidade artística.

Pontos fortes: Especialista, cuidadoso, reservado, habilidoso, ponderado, disciplinado, um planejador mais estratégico.

Possui características como agilidade, inteligência e intelectualidade, habilidade com tarefas de improvisação
rápida, prefere atuar com estímulo dos demais e em geral, é o tipo de funcionário leal e comprometido com o trabalho. Gosta de surpreender, é sensível a críticas e magoa-se com facilidade, é uma pessoa intuitiva, curiosa e com inteligência verbal. Observa as oportunidades e apresenta soluções momentâneas para problemas urgentes.

Um profissional extremamente perfeccionista que precisa ser monitorado até o fim de uma tarefa, precisa ser estimulado para vencer a fase do pensar e do fazer, necessitando sempre de reforços e aprovação por pensar que seu trabalho está imperfeito.

Em resumo, podemos afirmar que:
• Comunicador é o perfil influenciador;
• Executor é o perfil comandante;
• Planejador é o perfil protetor;
• Analista é o perfil inventivo.

Há também a combinação desses perfis que vão resultar em diferentes tipos de profissionais:

Empreendedor Comunicador/Planejador: esse perfil é o aconselhador, se desenvolve por relacionamentos, é mais informal, voltado para pessoas;

Empreendedor Planejador/Analista: é o especialista, gosta de segurança, prefere Status Quo, é introvertido e
teórico;

Empreendedor Analista/Executor: esse é o perfil inovador, se desenvolve pelo trabalho, é mais formal e voltado para coisas;

Empreendedor Executor/Comunicador: é o perfil empreendedor, que gosta de risco, de mudança, em geral é
uma pessoa extrovertida e prática.

Empreender é escalar uma montanha nunca antes explorada

Empreender é escalar

Encare o sucesso do seu negócio como uma alta montanha nunca antes explorada, na qual só os mais corajosos e ousados podem chegar.

Quem escala não começa pela montanha mais escarpada, mas sim com pequenas atividades para se preparar e só então se aventurar em maiores desafios, nos quais, aos poucos, a dificuldade e a complexidade aumentam de acordo com cada obstáculo vencido. Da mesma forma, um empreendedor começa a sua jornada a partir de um sonho, vislumbrando um futuro de um grande negócio e dando os primeiros passos com um pequeno negócio, algo tradicional, proporcional à sua capacidade e recursos financeiros. Às vezes, esse início pode se dar por meio de um projeto, como a realização de um evento ou de uma exposição, atividades que ajudam a testar o empreendedor e suas competências básicas de organização de espaço, tempo, liderança, resultados, entre outros.

Tenha sempre um sócio nessa escalada do empreendedorismo, pois, por mais preparado que você esteja para começar o seu próprio negócio, os riscos são muito altos e a ajuda de um sócio pode ser muito útil na hora de lidar com assuntos com os quais você não se dá muito bem. Além disso, vocês poderão dividir as decisões a serem tomadas, poderão discutir, debater ideias para chegar a uma decisão de que rumo tomar. Mesmo as brigas e pontos de vista diferentes são fundamentais para ganhar mais segurança diante de uma decisão em que todas as possibilidades já foram checadas. O sócio é mais que alguém para dividir os lucros, é um apoio, alguém com quem contar, um suporte de confiança.

E lembre-se: uma escada não pode ser bem sucedida sem um mínimo de planejamento. É preciso ter uma boa estrutura, prever todas as circunstâncias e imprevistos, estar sempre bem preparado e traçar estratégias com antecedência, pois quanto maior for o número de informações que você tiver, melhor será o seu controle diante das incertezas que podem surgir ao montar um negócio. Outra habilidade importante é saber administrar muito bem os recursos, para isso é preciso saber fazer o máximo com o mínimo, saber improvisar, saber restringir as despesas e seguir a caminhada rumo ao sucesso, aos poucos, dentro do que é possível fazer com o que se tem em mãos.

Você é feliz?

Às vezes, em um planejamento, por melhor que ele seja, podem surgir riscos tão altos que talvez não compensem
os ganhos. É nessa hora que o empreendedor precisa saber quando é a hora de desistir e compreender que continuar tentando pode acabar sendo prejudicial para ele e para o negócio. Na maioria das vezes, é necessário tentar alcançar o sucesso por outro caminho – assim como em uma escalada, quando se chega a um ponto pelo qual não é mais possível continuar.

Existem alguns momentos na trajetória de um empreendedor nos quais é preciso saber abrir mão de um investimento, de uma ideia, para tentar uma coisa diferente.

O empreendedor deve saber lidar com os “nãos” que recebe

Ser empreendedor é saber ouvir não

Durante uma jornada empreendedora, é comum muitos profissionais ouvirem “não”, mas é preciso ser teimoso e
continuar correndo atrás do “sim”. São muitos os empresários que no início de sua carreira passaram por altos e baixos e que hoje alcançaram o sucesso que tanto almejaram – mas não sem antes ouvirem muitos “nãos”.

Muitas vezes, a vontade de empreender é muito maior que a força de um “não”, e é exatamente essa vontade que move cada vez mais empresários rumo ao sucesso.

No início, também é muito comum um negócio não dar certo e levar muito tempo para finalmente começar a dar algum lucro. Muitas das tentativas de criar alguma coisa podem se tornar um fracasso, mas o lado bom do empreendedorismo é que se você for bem sucedido, pode ser que você ganhe dinheiro. Essa é uma consequência do ato de empreender.

No momento de montar uma equipe, além de muita sorte, é preciso saber escolher muito bem com quem se vai trabalhar, até porque essas pessoas terão que conviver e se ajudar para que todos consigam conquistar o objetivo almejado. Outro ponto bastante importante para uma equipe é que todos precisam ter perfis complementares, ou seja, para fazer dar certo é preciso que todos tenham sonhos em comum, mesmo que sejam bobos. Quando se tem um sonho em comum, fica mais fácil enfrentar as dificuldades do dia a dia.

Muitas pessoas gostam de falar apenas do lado bom do empreendedorismo, da conquista de um sonho, mas o que
realmente vai preparar o empreendedor para essa jornada é a percepção do tipo de empreendedor que ele é. O número de empreendedores é cada vez maior, já que muitas pessoas começam na informalidade, apesar de a formalização e a manutenção de uma empresa serem também uma despesa. Não basta apenas pegar a papelada e começar um negócio, é preciso calcular os impostos todo mês e organizar tudo para evitar os impostos indevidos. Dever para o governo pode ser uma grande complicação na vida de um empreendedor.

Um bom planejamento financeiro no início de um negócio é importante, porque a falta dele pode ser a maior responsável pela morte precoce do negócio. Para que um negócio possa começar faturando bem e, também, sobrar algum dinheiro para manter a empresa, é preciso que o empreendedor tenha uma reserva de dinheiro para suas despesas pessoais.

Um empreendedor é mais racional do que emocional – apesar de alguns discordarem –, mas colocar uma ideia em prática apenas motivado pelas emoções não é um bom negócio. Um empreendedor, além de ter uma boa ideia, também precisa colocar a mão na massa e dedicar empenho e tempo para seu objetivo. Um empreendedor que busca o sucesso é muito mais que alguém com boas ideias na cabeça, é uma pessoa que faz acontecer e que merece seus resultados, alguém que ousa tirar a bunda da cadeira e ir em busca dos seus objetivos.

Isso tudo sem deixar de ser otimista e sem perder sua fé, mas usando tudo a seu favor, ao invés de esperar que algo caia do céu.

Há dois tipos de empreendedores: os que buscam o empreendedorismo por uma necessidade e aqueles
motivados pela oportunidade de um negócio. Em geral, os empreendedores por necessidade iniciam seu negócio por não possuírem melhores opções de trabalho, então abrem o seu próprio negócio com o objetivo de gerar renda para si e para sua família. Já os empreendedores por oportunidade iniciam seu novo negócio mesmo que tenham alternativas de emprego. Eles são profissionais com níveis de capacitação e escolaridade mais altos e buscam no empreendimento uma forma de aumentar a sua renda ou de se tornar independentes.

Nem sempre abrir um negócio é garantia de sucesso. Empreender exige atenção, cuidado com estoque e contas,
atendimento ao cliente, controle da decepção porque o cliente não gostou de alguma ideia, abdicação dos finais de semana para cumprir o prazo determinado e muito mais. Além de tudo isso, empreender é uma jornada com interferências não só nos negócios, mas também na vida pessoal do empreendedor.

É muito comum encontrar empreendedores que não definem com clareza suas próprias expectativas; muitos só as
descobrem quando elas não são atingidas. Esse é o momento em que eles se dão conta de que não estavam esperando essa frustração. É preciso dedicação por parte do empreendedor ao avaliar os recursos necessários, planejar e estruturar não só a empresa, mas também seus recursos financeiros, físicos, equipes, sem deixar de avaliar sua adequação ao negócio. Um empreendedor de sucesso sempre busca uma maneira de prever os riscos e administrá-los da melhor maneira possível, inclusive o risco que o próprio empreendedor representa para o negócio.

Não basta ter um sonho. Empreender é muito mais que ter uma ideia e fazê-la acontecer. Empreender é aprender a administrar os riscos, é acreditar no impossível, é ter um ato de fé e coragem. É o impossível que trará o sucesso, a realização e a felicidade em um negócio.

Desperte a vontade de empreender que há em você

Despertando o espírito empreendedor

O Brasil ocupa o 3º lugar como o país mais empreendedor do mundo de acordo com estudo da Global Entrepreneurship Monitor. Essa posição se deve à economia brasileira atual, visto que, segundo dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas empresas – Sebrae, 70% das pessoas abrem o seu próprio negócio por uma questão de necessidade. Em razão do insucesso de profissionais no mercado de trabalho, tornar-se empreendedor acaba sendo a melhor alternativa. Os 30% restantes são os que investem em novas ideias e as colocam em prática.

Uma dica para quem pretende se tornar empreendedor por não ter outra saída é investir na área da qual tenha
domínio. Os riscos em um negócio tendem a diminuir quando a expertise e a experiência durante uma carreira profissional são levadas em consideração.

Uma das características que acompanham o empreendedorismo é a criatividade. Fazer mais do mesmo qualquer um faz, mas não é muito recomendável em razão da concorrência e do espaço no mercado. Uma ideia inovadora traz novas possibilidades e permite que o investidor estude se o negócio trará lucros. Outra habilidade fundamental para um empreendedor é a capacidade de se relacionar com as pessoas, já que depende diretamente delas, sejam funcionários ou clientes. É importante se reconhecer como dono do negócio e não mais empregado.

Abrir um negócio próprio não pode ser encarado como uma aventura, pois tudo deve ser muito bem pensado e trabalhado antes do investimento em si. É preciso fazer um mapeamento sobre o segmento da empresa, um estudo de mercado, entre várias outras coisas. Por mais inovadora que seja uma ideia, não se pode esperar uma grande lucratividade logo no início.

Ter atitude empreendedora é uma competência obrigatória para qualquer profissional, pois ser empreendedor
não significa necessariamente ser dono do negócio. Muitas vezes, o profissional que vê a empresa como sendo dele é automotivado e tem um desempenho acima da média em relação aos seus colegas de trabalho. Esse profissional cuida das suas atividades como se fosse o próprio dono da organização, faz tudo pensando como se fosse o seu próprio negócio. Essa é uma postura que faz o profissional se destacar mais.

São poucos os que já nascem sabendo que querem ser empreendedores. Além disso, são muitas as habilidades e as competências pertinentes que vão levar o profissional rumo ao sucesso em sua carreira. Seja em seu próprio negócio ou apenas praticando o empreendedorismo na empresa em que atua é preciso:

– Saber identificar oportunidades de negócio;

– Saber identificar necessidades dos clientes;

– Estar disposto a correr riscos para implementar novas ideias;

– Se antecipar em relação à concorrência;

– Saber e estar preparado para tomar decisões.

Um empreendedor deixa de se preocupar apenas consigo mesmo e com sua vida, passando a assumir a responsabilidade sobre outras pessoas. Ele se preocupa primeiro com quem atua na empresa, para só então pensar no seu próprio lado.

Os mitos do empreendedorismo

Mitos sobre empreendedorismo

A figura do empreendedor está sobrecarregada de estereótipos, mas esses, em sua maioria, não correspondem à realidade e entram em conflito com as pesquisas.

Muitos dizem que “um empreendedor não se torna, ele nasce”, mas a capacidade criativa de identificar e aproveitar
uma oportunidade vem depois de 10 anos de experiência. É esse tempo que conduz ao reconhecimento de padrões. Os empreendedores que conseguem reconhecer a diferença entre ideia e oportunidade são os que têm mais chance de chegar ao sucesso. E são esses empreendedores de sucesso que assumem riscos calculados, minimizam os riscos e tentam influenciar a sorte.

O empreendedor não visa o sucesso só para si, ele tem consciência de que é complicado desenvolver e manter um
negócio de alto potencial sozinho. O profissional que deseja alcançar o sucesso constrói uma equipe para dividir não só o trabalho, mas também os lucros. Se esse profissional abre um negócio, não significa que ele seja o seu próprio chefe, totalmente independente – pelo contrário, ele serve a vários senhores, como: sócios, investidores, clientes, entre outros.

Começar um negócio é uma atividade arriscada, mas que não necessariamente leva à falência. A empresa pode até acabar falindo; o empreendedor, não. A falência pode ser o combustível da experiência e do aprendizado do empreendedor, que fará com que ele finalmente alcance o sucesso. Aqueles que, além de possuírem talento e experiência, ainda sabem identificar e agarrar oportunidades, atraindo recursos financeiros, são os que frequentemente alcançam o sucesso.

Saiba que o dinheiro é consequência e não o ingrediente mais importante para começar um negócio. Dessa forma, nem todo empreendedor que tem dinheiro terá sucesso. Ele, na verdade, possui ferramentas que, se não colocadas nas mãos certas, de nada adiantarão. Por isso, ter um bom plano de negócios e capacidade de buscar recursos é fundamental, assim fica mais fácil conseguir dinheiro. Se houver talento, haverá dinheiro. E não para por aí, mesmo depois de conseguir um bom dinheiro o empreendedor de sucesso continuará trabalhando incessantemente em uma nova visão, se preparando para construir outra empresa.

Não existe idade para empreender. Ela não deve ser vista como uma barreira, pois o que realmente pesa é o know-how, a experiência e as relações. Quando um empreendedor busca construir uma empresa, o seu foco não está na sua satisfação imediata de conquistar um grande salário, mas sim na realização pessoal, no controle do seu próprio destino e na realização dos seus sonhos. Por mais talentoso que o empreendedor seja, raramente um negócio será sólido o bastante em menos de três ou quatro anos. Serão necessários sete anos, no mínimo, para finalmente o negócio poder ser considerado estável.

Outra ideia totalmente errada que as pessoas têm a respeito do empreendedorismo é de que “isso é coisa de rico”.
A verdade é que pessoas e comunidades pobres não só podem como devem empreender, já que isso pode acabar gerando-lhes uma renda extra. Por essa razão, é importante estimular tanto o empreendedorismo tecnológico, que gera alto valor agregado, quanto o empreendedorismo nas comunidades carentes, que pode gerar aumentos substanciais no PIB, além de gerar dignidade.

É preciso ousar buscar uma solução, independentemente de idade ou classe social o mundo está cheio de boas ideias,
mas pobre de “gente que faz”.

Meus top 20 artigos sobre Empreendedorismo

Em meu Blog eu tenho diversos artigos sobre empreendedorismo que vou indicar aqui para você se atualizar ainda mais:

10 Características de um empreendedor de sucesso

O papel do empreendedor na sociedade

Entenda como funciona o processo empreendedor na sociedade

Conheça a história de 5 grandes empreendedores brasileiros

Por que estudar empreendedorismo é importante?

Quais as diferenças entre empreendedor e administrador

Características do espírito empreendedor

O que é o autoemprego e a diferença para o empreendedorismo

A importância da cultura empreendedora no seu negócio

5 tipos de empreendedorismo e características

Como desenvolver atitudes empreendedoras

O que os empreendedores natos tem em comum

A relação entre economia e empreendedorismo

O que é empreendedorismo corporativo

Qual o conceito de empreendedor

Bill Gates – Inspiração em um dos maiores empreendedores do mundo

Empreendedorismo Feminino – 5 características da mulher e seu empoderamento nos negócios

7 Dicas para desenvolver um mindset empreendedor

Como nasce um empreendedor

Características de um empreendedorismo inovador

Entrevistas com Empreendedores de Sucesso

Entrevista com Flávio Augusto

Entrevista com Roberto Justus

Entrevista com Janguiê Diniz

Conclusão

Criar, inovar, tomar a iniciativa, criar estratégias, fazer um plano de negócio, construir uma grande empresa, ser empreendedor de sucesso – tudo isso faz parte da arte de ser um empreendedor. Arte essa que exige ousadia, força de vontade, persistência, além de muita coragem para enfrentar os desafios.

Tudo começa em uma startup – basta acreditar em um sonho e fazer desse sonho uma realidade. São muitos os
exemplos de startups que hoje são exemplos de sucesso, como: PayPal, LinkedIn, Peixe Urbano, Buscapé, entre outras, que cada vez mais vêm crescendo sem deixar que o modelo tradicional influencie no modelo de negócio. Muito mais que ideias inovadoras, é a paixão que move uma startup para o sucesso, pois não há como um negócio dar certo se o criador não tiver amor pela sua criação.

Empreender é muito mais que ter uma grande ideia, abrir um novo negócio e obter lucros. O empreendedor é alguém com a capacidade de melhorar não só a vida das pessoas, sejam elas clientes ou colaboradoras, mas também de ajudar o país economicamente. Quando um empreendedor abre um novo um negócio, ele abre, também, oportunidades de emprego para as pessoas, preenchendo as lacunas deixadas pelo poder público. Empreender é superar um desafio após o outro, sem se deixar desmotivar.

Para empreender, muitos livros dessa natureza oferecem conselhos, dicas e passos. Mas esse é só o início, pois empreender é uma escalada, em que não se sabe ao certo onde se está pisando. Seguir essa jornada exige coragem, ousadia e criatividade por parte do empreendedor. Para alcançar o sucesso é preciso persistir e saber transformar os erros em aprendizado.

Construir um grande negócio com o Coaching é muito mais que uma forma de acelerar o processo e conseguir os
melhores resultados; é uma forma de ajudar o empreendedor a encontrar o melhor caminho para o sucesso e a perceber que ele é possível. As opções para quem deseja seguir essa jornada são muitas e o mais complicado nesse início é justamente fazer a escolha certa e encontrar a oportunidade mais confortável para o empreendedor. Além do espírito empreendedor, também é necessário analisar algumas alternativas, realizar algumas pesquisas de experiência em algum ramo de negócio.

Qualquer pessoa que goste de desafios e que não tenha medo de correr riscos pode ser um empreendedor; mas para
ser um empreendedor de sucesso é preciso ter algo a mais. Passar por momentos difíceis é um fato, levar alguns tombos é uma consequência, mas saber se levantar diante de cada derrota é um passo a mais rumo ao sucesso.

Se você tem um sonho, acredite nele e, principalmente, trabalhe muito para fazer dele a sua realidade. Muito mais que satisfação financeira, realizar um sonho é encontrar a felicidade – o sucesso, como consequência, vem logo em seguida.

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: