visao-holistica

Visão holística: o que é e como desenvolver?

Por: José Roberto Marques | Blog | 29 de outubro de 2020

A Gestalt é uma escola de pensamento alemã que surgiu no início do século XX e revolucionou diversas áreas do conhecimento, como a psicologia e o design. Dentre várias outras ideias, essa corrente alemã defendia o princípio de que “o todo é mais do que a simples soma das partes”.

O exemplo clássico para explicar esse conceito é a ideia de que uma cadeira não é simplesmente a junção de um encosto, um assento e quatro pernas. A cadeira é um objeto que ganha uma existência própria e serve a uma função específica quando esses elementos se unem, mas é muito mais do que a simples soma desses elementos.

Isso significa que precisamos lançar sobre as coisas um olhar mais amplo. É preciso ter uma visão completa e geral dos sistemas para que possamos compreender como cada peça se relaciona com a outra. Isso não significa que o foco e a especialização não sejam importantes, mas também não devemos ficar tão focados num único aspecto, perdendo a noção do todo. Essa é a ideia de uma visão holística, ou seja, ampla.

Para entender melhor sobre como essa visão pode ser aplicada no contexto empresarial, continue lendo este artigo.

Visão holística nas empresas

Toda empresa é composta por diferentes áreas, departamentos, cargos e funções que se inter-relacionam e dependem uns dos outros. Essa estrutura organiza o trabalho e permite que cada colaborador saiba o que precisa fazer. No entanto, alguns empresários engessam tanto essas divisões que a visão geral da empresa se perde.

A visão holística na empresa ocorre quando seus gestores se comunicam, tomam decisões em conjunto e permitem que todo e cada funcionário saiba o que se passa no contexto da empresa. Cada um tem sua importância, mas somente a união de todos torna a empresa o que ela de fato é.

Naturalmente, cada departamento tem suas preocupações e funções próprias, mas é preciso que cada um deles entenda que suas ações impactam diretamente as ações dos outros. A empresa deve equilibrar todas essas áreas, sem que uma seja priorizada, e outra preterida. Se um maestro cuidasse apenas dos instrumentos de corda e ignorasse as flautas, por exemplo, a orquestra não teria um conjunto harmônico.

Vantagens da visão holística

Quando uma empresa segue uma visão holística, ela deixa bem claros os seus objetivos, desafios e situação de momento a todos os seus funcionários e colaboradores. Além disso, as pessoas e departamentos entendem exatamente de que forma sua atividade é importante no contexto geral da empresa — e não naquela visão limitada de seu departamento. Isso lhes dá mais poder analítico, automotivação, produtividade e responsabilidade.

Além disso, a comunicação e a integração entre os diferentes departamentos produzem excelentes resultados. Todos se sentem uma única empresa, que constrói uma imagem homogênea. Diante de erros, não há jogo de culpas. Diante de acertos, a vitória é comemorada por todos.

Uma empresa integrada é mais focada em resultados, pois fica mais fácil identificar e corrigir erros. O clima organizacional tende a ser mais harmonioso, sem rivalidades e competições negativas. Além disso, a visão holística tende a evitar os trabalhos robotizados, permitindo que cada colaborador perceba a si mesmo como alguém que cria, produz e é corresponsável pelos resultados obtidos.

Algumas das empresas com essa característica gostam, ainda, de promover treinamentos e rotação de tarefas entre seus funcionários, de modo que possam ter uma compreensão global da organização com mais facilidade. Assim, mesmo respeitando as aptidões de cada funcionário, as funções ficam mais flexíveis e estratégicas, sendo menos operacionais.

Você é feliz?

4 dicas para desenvolver a visão holística nas empresas

Para desenvolver o cenário acima descrito, há quatro recomendações a serem seguidas:

1. Conheça bem a sua empresa

O primeiro passo pode parecer óbvio, mas é importantíssimo. Observe sua empresa, analise a importância e identifique as funções de todos os departamentos que a compõem: produção, tecnologia, administração, finanças, marketing, vendas, jurídico, recursos humanos etc. Analise também a rede de fornecedores e parceiros nesse contexto.

A partir dessa observação, você poderá entender como cada uma dessas áreas depende e se relaciona com as outras. O que pode ser melhorado? Qual é a imagem da sua empresa? Ela possui uma cultura organizacional própria? O clima organizacional é positivo? Refletir sobre essas questões é um bom começo para o desenvolvimento de uma visão holística.

2. Faça uma análise SWOT

Você já ouviu falar em análise SWOT? Ela é uma importante ferramenta de administração de empresas, sendo bastante empregada no marketing. Ela consiste em analisar forças, fraquezas, oportunidades e ameaças:

  • S (strengths) — forças: pontos positivos do ambiente interno da empresa;
  • W (weaknesses) — fraquezas: pontos negativos do ambiente interno da empresa;
  • O (opportunities) — oportunidades: conveniências que o ambiente externo pode trazer à empresa;
  • T (threats) — ameaças: indícios de prejuízo que o ambiente externo pode trazer à empresa.

A análise SWOT permite que a empresa analise seu ambiente interno (pontos fortes e fracos em relação à concorrência) bem como seu ambiente externo (fatores externos políticos, econômicos, socioculturais, legislativos e ambientais que possam beneficiar ou prejudicar as atividades da empresa).

Quanto mais uma empresa conseguir analisar esses dois ambientes, mais ela poderá tomar decisões estratégicas eficazes e, consequentemente, integrar mais a organização.

3. Determine seu propósito institucional

Se você acha que cultura organizacional, responsabilidade socioambiental, transparência econômica, missão, visão e valores são itens restritos às grandes empresas, prepare-se para desconstruir essa crença.

Todos os itens acima descritos compõem a identidade e a cultura de uma empresa. Portanto, se seu objetivo é desenvolver uma visão holística, é essencial que cada um desses elementos seja bem definido e de conhecimento de todos os membros da organização. Só assim eles poderão ser vividos na prática e fazer a diferença nas atividades do dia a dia.

Portanto, é importante fazer reuniões de tempos em tempos, não apenas com os gestores, mas com todos os funcionários em geral.

4. Implemente políticas internas e gestão de processos

Em consequência de todos os passos anteriores, as empresas devem desenvolver uma política interna, ou seja, um conjunto de regras e padrões de trabalho e conduta que orientem os indivíduos de todas as áreas.

Esse código interno também deve definir como ocorrerá a gestão de processos e de pessoas dentro da empresa. Dessa forma, mesmo que mudanças de cenário ocorram, indivíduos e departamentos continuarão alinhados entre si. Isso facilita a condução das tarefas diárias, além de perpetuar a identidade da empresa.

A visão holística numa empresa é, portanto, a ideia de que a organização é mais do que a simples soma de pessoas e departamentos. Ainda que cada indivíduo tenha a sua área de especialidade, é importante que todos tenham uma visão mais ampla sobre os objetivos da empresa e sobre como cada colaborador é uma peça-chave nessa engrenagem.

Por meio da visão holística, empresas conseguem alcançar resultados mais expressivos, já que a comunicação entre as diferentes áreas ocorre sem empecilhos e com maior integração. Portanto, a ideia de que cada departamento é um “mundinho individual” já ficou para trás, e as empresas devem ser entendidas como um todo produtivo.

Que você tenha entendido o que é a visão holística e como ela é importante para as corporações no mundo contemporâneo. Se essa visão empreendedora fez sentido para você, deixe seu comentário no espaço abaixo e não se esqueça de compartilhar este artigo com amigos, colegas e com quem mais possa se beneficiar deste conteúdo.

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: