reconstruir-amor

É possível reconstruir um relacionamento?

Por: José Roberto Marques | Blog | 25 de setembro de 2020

O início de um relacionamento é sempre um mar de rosas. Aquela paixão ardente que não nos permite pensar em outra coisa que não seja a pessoa amada, os encontros, as descobertas, os passeios de mãos dadas, os carinhos, os planos para o futuro, os sonhos, enfim, todos os itens que compõem aquela sensação maravilhosa de quem está prestes a embarcar numa incrível jornada.

No entanto, o tempo passa. A convivência aumenta. Conhecemos não apenas o lado bom da pessoa amada, mas também aquelas pequenas coisas que nos incomodam. Aquele calor do início do relacionamento parece ter passado e tudo esfria.

Será que toda relação tem um prazo de validade? Existe um meio de reacender a chama do amor e da paixão? Em outras palavras, é possível reconstruir um relacionamento? Essa é a pergunta-chave que este artigo pretende responder.

Tudo é possível!

Respondendo à pergunta-título, sim, é possível revitalizar qualquer relação, seja uma amizade ou um relacionamento amoroso. É um processo trabalhoso, que exige muita paciência e esforço, mas que pode trazer um final feliz.

Caso contrário, você chegará à conclusão de que aquele relacionamento precisa mesmo de um ponto final – o que, embora seja desagradável, também pode significar uma possibilidade de recomeço em busca da felicidade.

De um jeito ou de outro, a única coisa que não devemos fazer é nos acomodarmos com a infelicidade e empurrarmos o relacionamento com a barriga. Para evitar que isso aconteça, existem 5 passos para revitalizar seu relacionamento:

1. Dê o melhor de si

Todo relacionamento é composto por duas pessoas. Se ele não está dando certo, dificilmente a culpa é inteira de apenas uma das partes. Dessa forma, o primeiro passo para reconstruir seu relacionamento é analisar aquilo que está sob seu controle, ou seja, a sua conduta.

Culpar o outro é sempre a saída mais fácil, mas fazer isso só vai provocar mais brigas, ao invés de revitalizar o relacionamento. Por isso, faça sua parte. Mesmo que não funcione, você não poderá dizer que não tentou.

Estabeleça um prazo, que pode ser de 3, 4 ou até 6 meses, mas não muito mais do que isso. Nesse período, dê o melhor de si, fazendo tudo o que estiver ao seu alcance para agradar a pessoa amada, afinal de contas, você a conhece muito bem. Seja compreensivo, demonstre carinho e afeto, seja responsável e tente melhorar nos pontos em que você recebe críticas.

2. Relembre os dias de glória

Nesse processo de reconstrução do relacionamento, vale a pena fazer uma volta ao passado. Lembre-se daqueles dias do início da relação. Quais sentimentos você tinha? Quais características você admirava no parceiro? Quais programas vocês faziam juntos?

Recuperar o romantismo nem sempre significa inventar moda, mas apenas voltar ao ponto de origem da relação. Uma dica bacana é voltar ao lugar do primeiro encontro, por exemplo, para que as boas lembranças voltem, juntamente com a esperança de que essa chama seja reacendida.

Não tenha medo de dar o melhor de si nesse período que você determinou para revitalizar a relação. Se você fizer um trabalho bem feito, muito provavelmente obterá um retorno do parceiro. Percebendo os seus esforços, ele(a) também passará a se esforçar pelo bem do casal.

Contudo, se, após esse período, você perceber que só você fez a sua parte, é realmente um sinal de que é melhor pôr um ponto final na relação. A pessoa não está mais interessada em você e não mais fará você feliz.

Você é feliz?

3. Avalie o seu nível de expectativas

Se seu relacionamento está passando por uma crise, provavelmente a pessoa amada está te decepcionando de alguma maneira. Quando você constatar que isso está acontecendo, verifique se essa sua decepção faz realmente sentido, ou se as suas expectativas em relação ao parceiro foram excessivamente altas.

Quanto mais criamos expectativas, maiores serão os efeitos da frustração, caso não sejamos correspondidos. Isso vale para todos os aspectos da vida e, com os relacionamentos, não é diferente.

A questão é que, muitas vezes, cobramos do parceiro coisas que nem mesmo nós somos capazes de dar. Será que você é compreensivo como exige que a outra pessoa seja? Será que você dá o carinho que tanto diz que gostaria de receber? Esse exame de consciência pode ser a solução para a crise que está sendo enfrentada.

4. Verifique o potencial de crescimento do casal

Todo relacionamento saudável é aquele em que os dois envolvidos correspondem às necessidades de cada um. Isso diz respeito ao carinho, ao afeto, ao contato físico, aos conselhos, ao companheirismo e, acima de tudo, à capacidade de fazer planos em conjunto.

Quando essas coisas não existem mais, ou elas devem voltar à rotina do casal, ou é melhor colocar um ponto final no relacionamento. Duas pessoas que se amam e compartilham a vida juntos fazem isso para que despertem a melhor versão de cada um. Uma vida a dois é construída em nome do amor, do progresso e do desenvolvimento.

Se você acredita que não há mais o que fazer, não há mais para onde crescer e não há mais sentimentos a serem cultivados, é hora de terminar. Em contrapartida, se você sente que seu relacionamento pode ser reconstruído, é hora de voltar a fazer planos juntos e investir no desenvolvimento do casal.

5. Resolva as questões individuais antes de resolver as questões do casal

Muitas vezes, os problemas do casal na verdade são originados por questões individuais que não estão bem resolvidas. Um dos dois (ou os dois) pode estar lidando com questões de ciúme exagerado, necessidade de controle, dominação, submissão, estresse, depressão, conflitos familiares, crises financeiras, reprodução de padrões familiares disfuncionais, entre outros.

Nesses casos, é possível apostar em práticas psicoterápicas que ajudam o indivíduo a lidar com essas questões, evitando que elas interfiram no relacionamento. Por isso, antes de tentar resolver os problemas de casal, verifique se não há questões individuais a serem trabalhadas. Muitas vezes, resolvendo esse aspecto individual, as questões do casal já são automaticamente resolvidas por tabela.

Humildade e discernimento sempre

As dicas acima permitem que cada pessoa, e consequentemente o casal, possam ter mais qualidade de vida. Isso exige esforço, dedicação, boas doses de autoconhecimento, humildade e, acima de tudo, maturidade.

Pode ser realmente que a melhor decisão a se tomar seja terminar a relação. Assim, os dois estarão livres para um novo começo, com novas pessoas que correspondam melhor às suas expectativas. Se esse for o caso, não espere que a situação assuma contornos extremos. Discussões agressivas, raiva, ódio e até mesmo traições são elementos traumatizantes. Evite que a relação chegue nesse ponto para terminá-la.

Em compensação, se você conseguir colocar as dicas acima em prática, resolver as coisas por meio do diálogo e conseguir uma resposta recíproca, o relacionamento terá tudo para ser revitalizado. Há, ainda, uma terceira possibilidade, que é a de o casal dar um tempo para refletir antes de tomar sua decisão – o que também pode ser uma boa ideia, desde que os dois estejam de acordo.

Que com as dicas acima você seja capaz de revitalizar seu relacionamento ou, se for o caso, ter a maturidade para encerrar a relação. De um jeito ou de outro, o que importa é que você alcance a felicidade.

Se você gostou das dicas, não se esqueça de deixar seu comentário no espaço abaixo e também de compartilhá-las com aqueles que você ama.

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: