julgar-pessoas

Pare de Julgar as Pessoas

Por: José Roberto Marques | Blog | 27 de novembro de 2019

Por que julgamos tanto as pessoas a nossa volta? Por que esta atitude acaba sendo algo tão intenso em nossa vida pessoal e profissional? O que nos leva a julgar ou criticar o nosso próximo? Por que executamos este comportamento mesmo sabendo que ele é sabotador?

O pré-julgamento se tornou um comportamento tão comum para muitos de nós que muitas vezes nem percebemos que o cometemos. É só você parar para refletir em quantas vezes você já julgou alguém sem antes conhecer, já criticou alguma atitude de alguém sem ouvi-lo antes ou mesmo já repreendeu alguém por algo que você não considerou certo, não é mesmo?

“Quem julga as pessoas não tem tempo para amá-las”. Esta poderosa frase dita pela Madre Tereza de Calcutá é um sábio exemplo de como o ato de julgar as pessoas não nos acrescenta nada, pelo contrário, só nos impede de amarmos, compreendermos e aceitarmos o nosso próximo com seus erros e acertos, defeitos e qualidades presentes em qualquer ser humano.

Clareie seus pensamentos com meu ebook “Detox da Mente”!
Um desafio que irá te ajudar a ter uma vida mais leve e feliz!

Aprenda a não julgar o próximo

Confira algumas dicas que podem te auxiliar a não praticar este comportamento limitante:

Olhe para si mesmo antes de julgar alguém

“Por que você olha para o cisco no olho do seu irmão e não percebe a trave que há no seu”? Com certeza você já deve ter ouvido este versículo da Bíblia milhares de vezes. E trata-se de uma grande verdade e uma valiosa dica para aprendermos a não julgar o nosso próximo.

Antes de julgar alguém, procure avaliar sua vida e atitudes. Antes de apontar o erro de uma pessoa se preocupe em corrigir os seus.

Errar é humano

Antes de criticar alguém por alguma atitude cometida, lembre-se de sempre se lembrar que todos nós somos humanos e estamos suscetíveis aos erros diariamente. Apontar o dedo para alguém não fará resolver o problema e muito menos acrescentará nada em sua vida e na da pessoa julgada.

Por isso, antes de julgar, procure propor soluções que possam contribuir com o crescimento, mudança e melhora da pessoa. Ofereça ajuda ao invés de condenar.

Palavras machucam

Antes de fazer algum julgamento sobre a vida de alguém pense em como suas palavras podem machucar as pessoas. Lembre-se que você tem o livre arbítrio para pensar da forma que quiser, mas não tem o direito de ser cruel.

Por isso, antes de repreender alguém, meça suas palavras e tome cuidado para não ferir a pessoa e causar um problema ainda maior.

Examine sua própria consciência

Outra dica importante para eliminarmos o julgamento da nossa vida é examinarmos a nossa própria consciência e avaliarmos se somos realmente melhores que os outros e, principalmente, se temos respaldo suficiente para indicar o erro de alguém.

Será que somos tão perfeitos ao ponto de apontar as falhas do nosso próximo?

Você é feliz?

Quem julga será julgado

Outro ponto importante a ser lembrado é que aquele que julga em algum momento também será julgado, isso porque tudo o que fazemos, seja bom ou ruim, acaba voltando para nós de algum jeito, não importa o tempo.

Por isso, lembre-se que o que você fizer ao seu próximo também pode ser feito com você.

Se coloque no lugar do outro

Considero esta, uma das dicas mais importantes para aprendermos a não julgar. Se colocar no lugar do outro nos ajuda a tentar compreender a pessoa, entendê-la em sua essência antes de fazer pressupor um julgamento e, principalmente, imaginar o que faríamos se estivéssemos no lugar da pessoa julgada.

Não se culpe

Nos colocamos, por instinto, na defensiva sempre. Somos humanos, por isso agimos assim. Dessa forma não conseguimos enxergar claramente o comportamento do outro. Faça uma pausa antes de reagir desse modo. 

Esteja atento

Embora o julgamento seja um instinto natural, tente se segurar antes de falar, ou enviar uma mensagem pelo seu whatsapp que cause qualquer indisposição com outra pessoa. As palavras ditas ou escritas, as vezes são irrecuperáveis. Por isso, faça uma pausa. Observe se você consegue entender de onde a pessoa pode estar vindo. Tente reformular seu pensamento interno crítico em positivo, ou pelo menos neutro. Afinal de contas, não sabemos as razões do comportamento da outra pessoa. 

Não faça conjecturas

Quando alguém discorda de nós ou de alguma forma dificulta nossa vida, lembre-se de que normalmente não é sobre nós. Pode ser sobre sua dor ou luta. Por isso, dê ao outro o benefício da dúvida. Não mensure nunca a dor de uma pessoa. Alguns escondem melhor as dores do que outras. 

Veja o lado bom do outro

Isso requer prática, pois nossas mentes naturalmente examinam o negativo, mas, se tentamos, quase sempre podemos encontrar algo de bom em outra pessoa. Afinal, somos mais parecidos do que diferentes. Quando me sinto crítico de alguém, tento me lembrar de que a outra pessoa ama sua família como eu, e quer ser feliz e livre de sofrimento, assim como eu. Mais importante, essa pessoa comete erros, assim como eu.

Reformule

Quando alguém faz algo de que você não gosta, pense nisso como se estivesse resolvendo um problema de uma maneira diferente da que você faria. Ou talvez eles tenham um horário diferente do seu. Isso pode ajudá-lo a ter uma mente mais aberta e a aceitar seu comportamento. O Dalai Lama diz: “As pessoas tomam diferentes caminhos buscando satisfação e felicidade. Só porque eles não estão no seu caminho não significa que eles se perderam”.

Conheça o poder do processo de ressignificação! Assista meu vídeo.

Olhe para dentro de você

Às vezes, podemos estar julgando alguém por algo que fazemos ou fizemos. Por exemplo, na próxima vez em que você estiver gritando com alguém enquanto percebe que fez algo errado, pergunte a si mesmo: “Eu já cometi esse mesmo erro?” Irá perceber que erros acontecem e todos nós os cometemos. 

Se eduque

Quando as pessoas fazem coisas que são irritantes, elas podem ter uma deficiência oculta. Então, se alguém invadir seu espaço lembre-se novamente, não é sobre você. 

Você já perguntou a si mesmo se é verdadeiramente feliz?
Clique aqui e descubra qual é o grau da sua felicidade!

Dê à pessoa o benefício da dúvida

Ninguém acorda de manhã e diz que quer ser um idiota. Todos nós fazemos ou procuramos fazer o melhor que pudermos, ou com os recursos que tem no momento. 

Sinta-se bem com você mesmo

Sábio é aquele que se sente bem consigo mesmo, sem julgamentos. Sinta bem com sua família, sem julgar as escolhas dela. Se você está bem com seu corpo, com certeza não irá tirar “sarro” da aparência de ninguém. Não seja duro com você mesmo e não será duro com os outros. 

E você, o que tem feito para aprender a não julgar o seu próximo? Deixe o seu comentário e lembre-se de curtir e compartilhar o conhecimento!

 

Copyright: PathDoc/Shutterstock

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: