autoconfianca-dicas

O Que é Autoconfiança?

Por: José Roberto Marques | Blog | 31 de outubro de 2019

Autoconfiança é a capacidade que a pessoa adquire de acreditar e ser capaz de fazer e/ou realizar alguma coisa. Serenidade e tranquilidade são características de uma pessoa autoconfiante, pois se mantém em equilíbrio mesmo quando passa por um momento de pressão e possui um forte senso de convicção sobre a sua capacidade de realização.

Durante a trajetória de vida das pessoas, elas se deparam com várias dificuldades e oportunidades. Em ambas as situações o nível de autoconfiança dessas pessoas é colocado em cheque e, muitas vezes, elas duvidam da própria capacidade de gerar mudanças.

Todos os movimentos que acontecem na vida das pessoas são resultantes de suas decisões e atitudes, advindos da forma de enxergar o mundo. Essa visão é totalmente moldada pela maneira com que cada um olha para o próprio Eu.

Partindo desse pressuposto, o que você enxerga dentro de si, reflete diretamente naquilo que está fora, pois a realidade é apenas uma interpretação particular, diretamente influenciada através das diversas experiências vivenciadas pelo indivíduo.

Cuide dos seus Pensamentos

Se atentar à qualidade dos pensamentos para que consiga conduzir as situações diversas existentes no cotidiano, de maneira favorável para o crescimento pessoal e profissional, é o princípio da autoconfiança. Isto é, a principal competência emocional para a conquista do sucesso em todas as áreas da vida é a autoconfiança.

Autoconfiança de nada vale se não houver competência. Além da inteligência emocional é preciso ter conhecimento sobre aquilo que está sendo feito ou será feito por alguém. Por isso, preparar-se é essencial.

Segundo o Coaching, para conquistar a autoconfiança é necessário ter: crenças positivas, autoconhecimento, preparação, atitude e iniciativa, honrar e respeitar a própria singularidade.

Como Potencializar a Autoconfiança?

Se você quer ser um excelente professor, faça especializações, faça cursos que ajudarão você a desenvolver habilidades essenciais. Além da técnica, a preparação também está diretamente relacionada com a organização e o planejamento. É natural que um profissional se sinta mais confiante durante reuniões de apresentação de algum projeto ou atendendo um cliente quando está preparado para isso. A aula de um professor que se preparou é diferente de uma aula sem planejamento/livre.

Cada pessoa possui as suas particularidades, ninguém é igual a ninguém. Ninguém é bom em tudo. Logo, as pessoas são autoconfiantes quando possuem segurança no que estão fazendo, por isso a importância de uma pessoa se autoconhecer para que possa fazer escolhas adequadas aos seus talentos.

Os autoconfiantes não costumam se comparar a outras pessoas já que compreendem que cada ser é único/individual. Ou seja, ninguém é pior e nem melhor, as pessoas são singulares. A importância crucial para desenvolver a autoconfiança é que uma pessoa tenha a possibilidade de propagar um comportamento e esse comportamento causar consequências que fortaleçam tais comportamentos onde está inserido.

Por exemplo, se um jogador de futebol chuta uma bola em direção ao gol, a bola, ao entrar no gol, fortifica positivamente o comportamento de chutá-la – nesse caso não foi preciso que outra pessoa reforçasse o comportamento.

A mesma coisa acontece quando outra pessoa que está com a chave do carro em mãos decide abri-lo. Essa pessoa, ao girar a chave na maçaneta da porta do carro ou apertar o botão do alarme, caso seja automático, conseguirá abrir o carro por conta própria.O comportamento de “girar” a chave recebe o reforço que é a porta literalmente aberta. Ao sair correndo de casa para fazer uma prova e perder o ônibus, se a pessoa decidir ir andando, ela consegue acelerar os passos e chegar a tempo de fazer a prova.

6 Dicas Para Aumentar Sua Autoconfiança

  1. Esteja atento

Você não pode mudar algo em sua vida se ainda não se atentou para isso. Simplesmente tomando consciência de nossa conversa interior negativa, começamos a nos distanciar dos sentimentos que ela traz. Sem essa consciência, podemos facilmente cair na armadilha de acreditar em nossa conversa autolimitada, e acreditar em tudo que você pensa. Os pensamentos são apenas pensamentos. 

Sempre que se pegar em alguma situação de autocrítica, observe cuidadosamente o que está acontecendo, e lembre-se: são apenas pensamento e não fatos. 

  1. Mude sua história

Todos nós temos uma narrativa ou uma história que criamos sobre nós mesmos que molda nossas autopercepções, sobre as quais nossa auto-imagem central se baseia. Se quisermos mudar essa história, temos que entender de onde veio e onde recebemos as mensagens que dizemos a nós mesmos. De quem são as vozes que estamos internalizando.

Muitas vezes temos pensamentos negativos automáticos como: eu não perco peso, eu não tenho sorte, podem ser repetidos em sua mente com tanta frequência que você começa a acreditar que eles são verdadeiros. Da mesma forma que esses pensamentos são aprendidos, eles também podem ser desprendidos e sair de nossa mente. Um bom treinamento é repetir frases positivas de si mesmo, diariamente. 

Ter o hábito de anotar todas as coisas positiva que você acha de você mesmo, vai fazer com que sua autoestima suba de nível e evita também a depressão. Um número maior de declarações positivas escritas está correlacionado com uma melhoria maior. 

  1. Evite comparações 

Duas coisas importantes são praticar a aceitação e parar de se comparar com os outros. Não é porque algum amigo seu aparece super feliz na rede social ou mesmo num encontro pessoalmente, não significa que ele é o mais feliz de todos. As comparações levam apenas à conversa interna negativa, que leva à ansiedade e ao estresse. Sentimentos de baixa auto-estima podem afetar negativamente sua saúde mental e outras áreas da sua vida, como trabalho, relacionamentos e saúde física.

  1. Reconheça seu valor

Todos nós temos nossos pontos fortes e fracos. Alguém pode ser um excelente engenheiro, mas um péssimo cozinheiro. Nenhuma das duas qualidades define seu valor essencial. Reconheça quais são seus pontos fortes e os sentimentos de confiança que eles geram, especialmente em momentos de dúvida. É fácil fazer generalizações quando você comete alguma falha. Quando acontecer isso, lembre-se que você é “demais” em muitas habilidades. Se você tiver dificuldade em identificar suas qualidades, peça a um amigo que as indique. Às vezes, é mais fácil para os outros ver o melhor em nós do que para nós vermos em nós mesmos.

  1. Pratique exercícios

Estudos demonstram uma correlação entre exercício e aumento da auto-estima, bem como melhor saúde mental. O exercício cria a capacitação física e mental, especialmente levantamento de peso, onde você pode calibrar as realizações. Exercício organiza seu dia em torno de auto-cuidado. Não se culpe em trocar uma outra tarefa importante do trabalho em fazer exercícios. O resultado é um grande relaxamento, prazer e uma boa noite de sono. Outras formas de autocuidado, como alimentação adequada e sono suficiente, também demonstraram efeitos positivos na autopercepção de uma pessoa.

  1. Ajude pessoas

O trabalho voluntário para ajudar aqueles que são mais necessitados de atenção, saúde, cuidado, ajuda a tirar o foco dos pensamentos ruins. Quando você é capaz de ajudar alguém, isso torna você menos focado em seus próprios problemas. Quanto mais você faz algo do que possa se orgulhar, mais fácil é reconhecer seu valor. Fazer as coisas que alguém pode respeitar sobre si mesmo é uma atitude que aumenta o valor pessoal. É algo tangível. Ajudando algum abrigo de idosos, crianças carentes, uma Ong, são atitudes que significam algo e valorizam não apenas a si mesmo, mas também a outra pessoa

Conseguir chegar a tempo é o reforço positivo. E o sentimento de autoconfiança está diretamente ligado aos comportamentos bem- sucedidos.

Copyright: Fotogestoeber/Shutterstock

Deixe seu Comentário: