Como Enfrentar a Autoflagelação e se Libertar do seu Próprio Julgamento!

Por: José Roberto Marques | Blog | 14 de março de 2017
Vidro quebrado, uma metáfora da autoflagelação

Antonio Watman/Shutterstock A autoflagelação leva a pessoa a se mutilar para aplacar suas dores emocionais!

Segundo o dicionário informal, autoflagelação é o ato de causar dor a si mesmo e de se castigar fisicamente e, às vezes, também emocional e mentalmente. Na prática, este é um ato de autopunição que faz com que a pessoa acredite que, ao se machucar e causar dor física, ela irá amenizar sua culpa ou mesmo sofrimento.  Esta matemática não fecha, pois causar dor só traz mais dor.

Este problema é tão grave que leva o indivíduo a se mutilar com facas, cacos de vidros entre outros objetos cortantes, como forma de aplacar o desconforto que seus sentimentos causam e externalizar suas dores emocionais. O problema pode acometer crianças, adolescentes e adultos e, qualquer sinal, é importante buscar ajuda médica para que um tratamento correto possa ser realizado.

Demi Lovato e o Drama da Automutilação

Falar sobre o assunto e buscar ajuda: foi isso que a cantora americana Demi Lovato, fez. Segundo a artista, desde os 11 anos de idade ela se automutilava por conta do bullying e suas consequências: os distúrbios de autoimagem e alimentares. Estes problemas faziam com que flagelasse o seu corpo como forma de punição pela vergonha que sentia da própria aparência.

Isso fez com que Demi fosse internada várias vezes para tratar seu distúrbio, mas sua experiência também a encorajou a compartilhar seu drama pessoal com o mundo. Seu objetivo era chamar atenção para o problema e de ajudar outros jovens como ela a lidarem de frente com seu problema. Hoje, a cantora se diz bem resolvida com seu corpo e aprendeu a amar suas curvas.

Como Lidar com a Autoflagelação

A autoflagelação é um sério distúrbio psicológico que deve ser tratado por profissionais especializados, a exemplo de psicólogos e psiquiatras. Causa enorme sofrimento emocional e pode levar a danos físicos irreversíveis. Para evita que isso aconteça, é importante estar atento aos sinais de automutilação e também aos comportamentos e ideias das pessoas próximas em relação a si mesmas.

Caso, você também sinta essa vontade de aplacar sua dor emocional se machucando, saiba que isso não é o melhor caminho e que você não merece este tipo de sofrimento e nem passar por isso para sentir-se um pouco menos, pior. Pare de se julgar tão negativamente e comece a reconhecer suas qualidades, dons, talentos, competências, habilidades e não deixe que a opinião dos outros minem sua autoestima, autoconfiança e amor próprio.

Reconheça a situação e busque ajuda de sua família, amigos e de especialistas e não tenha vergonha de assumir que precisa de apoio. Fazer isso é essencial a que possa trabalhar seu problema corretamente, aprender a lidar com suas dificuldades, ser ajudado e, especialmente, a superar seus desafios sem sucumbir a eles e, ser mais feliz consigo mesmo. Permita-se!

 

Deixe seu Comentário: