Autoimagem- Como ela ilustra o que pensamos sobre nós!

Por: José Roberto Marques | Blog | 07 de fevereiro de 2017
Homem se olhando no espelho observando sua autoimagem

G-stockstudio/Shutterstock A autoimagem é o que pensamos sobre nós e como pensamos que os outros pensam sobre nós

Quando trabalhamos o Coaching em conjunto com autoimagem não nos limitamos apenas ao exterior, porque o Coaching é um movimento de dentro para fora, o processo que acontece é inverso. A percepção inicial parte da projeção interior, das crenças que carregamos, do que acreditamos e valorizamos em nós próprios. Ou seja, é a definição que fazemos de nós mesmos.

A autoimagem é aquela apresentação involuntária que você faz ao se descrever para alguém. É a maneira que se retrata para outra pessoa. Trabalhar a autoimagem é colocar em coerência aquilo que está dentro de você com o que prática e transmite ao mundo. Esse conhecimento da autoimagem vai muito ao encontro do autoconhecimento, assunto que conversamos em meu blog muitas vezes, que fala sobre os pontos fortes e pontos de melhoria. Lembre-se sempre de se lembrar de nunca mais esquecer: “Quanto mais me conheço, mais me curo e mais me potencializo” JRM.

A Construção da Autoimagem e seu Significado

A teoria de autoconceito desenvolvida pelo psicólogo, William James, refere-se às questões relacionadas à construção do self, “eu” ou “ego”. Eu, José Roberto Marques, sou apaixonado em falar e ensinar as pessoas a usarem os dois lados do cérebro, melhor dizendo, a fazerem conexão do “Self 1” o “Eu” e do “Self 2” o “Comigo mesmo” –  vamos entender melhor o que é cada um deles:

. Self 1 – Falador; conhecedor; julgador; intelecto; faz referência ao eu que pensa, eu racional.

. Self 2Emocional; capacidades e habilidades naturais; aprende com o erro; entende que o erro faz parte do processo de aprendizado.

A autoimagem – o self – é o fluxo de pensamento que a pessoa reconhece como sendo verdade sobre si, sobre o ambiente que ela está inserida, e a maneira que performa nas situações que participa. A nossa personalidade e o nosso comportamento revelam a essência da autoimagem que possuímos. Logo, se alterarmos a retrato que fazemos de nós, tudo aquilo que exteriorizamos, também, se modifica.

No processo de reconhecer, descobrir e melhorar a autoimagem, e também, a maneira que desejamos nos apresentar para as pessoas inclusive a forma que nos colocamos nos ambientes que frequentamos, é muito importante neste movimento fazermos o exercício de alterar positivamente as imagens que temos de nós mesmos.

Cuidado- Cérebro não Distingue o que é Real do que é Imaginário!

A nossa mente é uma máquina de formar imagens, tais imagens são reconhecidas como verdadeiras, porque nosso cérebro não sabe diferenciar o que real do que é imaginário. Então, quanto mais imagens e sentimentos positivos nós tivermos, de nós mesmos, a nossa autoimagem será transformada e conduzida a uma autoestima mais elevada.

O autoconceito é o ponto inicial, porque é dele que vem tudo aquilo que julgamos e consideramos de nós. Nessa etapa entra a avaliação que fazemos de nós, é aonde nos descrevemos e damos nomes às características que possuímos ou acreditamos ter. A partir do autoconceito construímos a autoimagem, ou seja, como nos vemos e o que mostramos aos outros que somos, e só então chegamos até a autoestima, o que podemos chamar de amor próprio, o estar bem com o todo que possuímos.

Relação entre autoconceito, autoimagem e autoestima

Autoconceito ↔ Autoimagem ↔ Autoestima ↔ autoconceito↔

Fonte: Mendes, Dohms, Lettnin, Zacharias, Mosquera e Stobäus (2012)

Exercício de Autoimagem

Neste momento eu quero te convidar a pegar papel e caneta, fazer uma lista e relacionar as crenças voltadas ao que acredita que você é, e o que transmite para as pessoas. Partindo do autoconceito, lembre-se dos nomes que você se descreve, as definições, as imagens, as características, os julgamentos que tem de si. Como está seu autoconceito? Como você se descreve? Bem ou mal?… Alegre?…Triste?…Amoroso?… Rancoroso?…Carinhoso?… Agressivo?… Fraco?… Forte?… Introvertido?… Extrovertido?… Bonito?… Feio?… Escreva as palavras que fazem sentido para você, todas essas são apenas para te ajudar a buscar na sua memória palavras usa para te descrever.

Quando terminar, relacione as características mais poderosas e as visualize, assuma que elas podem ser mais fortes que já são. Visualize também as descrições que podem ser melhoradas e edificantes e em que gostaria de transforma-las, exercite visualizar a mudança e lembre-se que a mente não sabe que diferenciar o real do imaginário, então use esse recurso a seu favor para ressignificar as imagens que tem de você. Só você tem o poder de transformar a sua vida.

Vou te fazer três perguntas poderosas, talvez as mais poderosas desse capítulo, por isso eu vou te pedir muita verdade, seja sincero, afinal, só você mesmo vai ter acesso a sua resposta. Busque responder com toda sinceridade que possui, encontre na sua genuinidade a clareza para dar o melhor de si nessa resposta. Esteja aberto, se achar necessário, se dê um tempo para refletir antes de responder. Permita-se encontrar dentro de você a sua mais verdade.

Como você imagina que é a verdade sobre você?  Qual a verdade que você acredita sobre você? Qual a verdade que você assume viver de hoje em diante?

Não sei se foi fácil ou difícil responder essas perguntas, mas de uma coisa eu tenho certeza, se você respondeu com genuinidade e desejo de encontrar e assumir o melhor que há em você já está acontecendo um processo de mudança interior, mesmo que ainda não perceba. Quando escrevemos e falamos o que acreditamos sobre nós é construída uma energia poderosa, porque conectamos os sentidos a fala e os pensamentos, e ao assumir o que foi idealizado é muito provável que as atitudes sejam direcionadas ao que foi assumido com verdade.

A auto-observação e o caminho para uma autoimagem positiva

A auto-observação é um caminho que capacita o ser humano uma maior percepção do estado emocional. Para fazer esse movimento é preciso uma disposição interior, um desejo de avançar no autoconhecimento e a vontade de despertar uma autoimagem positiva. A prática da observação oferece muitos ganhos, por meio dela é possível se conectar melhor consigo mesmo, pois se de um lado você se conhece e reconhece suas emoções fica mais descomplicado dirigir as ações e ter comportamentos mais assertivos na vida e nas relações.

Quando ela se torna um hábito, e começa a fazer parte das atividades diárias passa a ser um forte exercício para o crescimento pessoal, quanto mais conhecimento de si, mais desenvolvimento, mais potencialidade, mais fortalecimento e intensificação dos resultados.

Estar em sintonia com aquilo que somos de verdade possibilita a conexão com o “eu maior” o que eu chamo de grandeza interior, quando você reconhece que o único responsável por tudo que acontece na sua vida é você, mesmo que não consiga alterar algum fato, o mais importante é tirar de cada situação aprendizados e ousar ir além a cada instante.

O caminho da autoimagem positiva é construído com o cuidado, com o amor próprio, com a aceitação e a mudança interior que reflete no comportamento externo, é quando toma a forma sólida e consistente para concretizar a afirmação da melhor parte que há em você. O desenvolvimento de formular uma descrição confiante de si, aniquilando as crenças limitadoras e assumindo as fortalecedoras.

O que as pessoas sentem e pensam quando te conhecem pela primeira vez?

Imagina que você tivesse prestado atenção em todas as pessoas que já encontrou pela primeira vez na vida. Se fosse para classificar os sentimentos e o que elas pensaram de você ao te ver pela primeira vez, quais seriam? Como essas pessoas te perceberam? O que essas pessoas pensarão sobre você? Qual a impressão que você sente quando as pessoas te conhecem?

Busque na sua memória quando você entrou no ambiente de trabalho pela primeira vez, ou no primeiro dia de algum curso que você fez, até mesmo no encontro com uma pessoa que acabou de conhecer, ou quando conheceu alguém em uma viagem ou na rua. E se não vier nenhum momento ou alguma pessoa, você pode criar o momento ou uma pessoa.

Eu já ouvi dizer muito falar de mim assim: “Poxa, você existe mesmo, Zé!” Quando eu penso o que as pessoas sentem e pensam quando me conhecem pela primeira vez, eu lembro sobre a minha extroversão, do meu jeito brincalhão, simples, do meu amor pelo Coaching e por transformar vidas, porque ouviu falar de mim, ou assistiu alguma coisa, palestra ou vídeo na internet, elas imaginam e confirmam que realmente sou um ser incomum, com umas ideias diferentes… E para mim é ótimo ser cada vez mais diferente.

Aproveite essa leitura, resgate na sua memória as lembranças e, escreva tudo, ou apenas, o que acredita que vai te ajudar a se conhecer mais, a melhorar a sua autoimagem e com isso, se fizer sentido para você, inicie novas atividades que farão você se sentir bem com esses pensamentos.

Nessa fase, o que mais importa não é o que as pessoas acham de você, mas sim, como você se sente, ou se está de acordo ao que você realmente é ou gostaria de transmitir para os outros. É um exercício poderoso de autoconhecimento. E mais uma vez valorizar os pontos fortes e dar forças aos pontos que percebe que precisa melhorar. Ao pensar o que as pessoas sentem de você o que vem à sua cabeça? Se sente confortável ou se incomoda? Realmente está transferindo aos outros como gostaria de ser visto, é uma análise que pode contribuir poderosamente na sua vida.

E como você gostaria de ser visto pela primeira vez?

Essa pergunta vem como chave de ouro para completar tudo que já refletiu sobre a questão da autoimagem. A resposta para essa pergunta é aquilo que você gostaria de transmitir para as pessoas pela primeira vez. Sabe aquela impressão de quando chega num lugar e não precisa falar nada, mas a sua presença, sua postura e seu olhar já falam por si só? É isso!

Como você quer ser visto? O que você deseja que as pessoas sintam quando te olham pela primeira vez?

O autofeedback no processo do Coaching é uma passagem belíssima que conduz ao autoconhecimento. Projetar o melhor que temos em nós, ou o melhor que desejamos ser é uma descoberta poderosa de empoderamento interior que se destaca na imagem física. O que você já é no seu interior ou sente que pode ser está atrelado ao que transmite ao mundo com a sua presença física. Estar bem consigo é o combustível para acelerar a autoestima e a autorrealização dos sonhos profundos de uma alma.

Gostou deste tema? Deixe seu comentário e compartilhe os aprendizados e insights tirados do texto!

Deixe seu Comentário: