valorizacao-trabalho

A Importância da Valorização no Trabalho e na Vida

Por: José Roberto Marques | Blog | 27 de março de 2019

Se você é proprietário, gestor ou líder e deseja manter seus profissionais felizes e produtivos é essencial que você os valorize constantemente. Ao contrário de mimar as pessoas, é preciso planejar ações que deem combustível para o desenvolvimento das habilidades técnicas e evolução profissional.

Esse tipo de processo contribui para a construção e a manutenção de um ambiente positivo, criativo, empreendedor e engajado, em que os funcionários sentem realmente que pertencem à organização e que são importantes, não importa qual seja a função deles.

Ressalto o que parece ser óbvio,  entretanto, repetir isso é importante porque os líderes ruins ainda são os principais responsáveis pelos pedidos de demissão. E, na maioria das vezes, os profissionais pedem demissão por não se sentirem valorizados como merecem.

Mas, nenhum caso é perdido. É possível trabalhar no desenvolvimento do líder e também dos liderados. Quer saber como? É só continuar lendo o artigo!

A influência da Hierarquia das Necessidades Humanas

Ninguém gosta de ficar num ambiente, seja ele profissional ou pessoal, em que não seja valorizado e reconhecido, não é mesmo? Esta é uma afirmação antiga. Entenda o porquê disse agora mesmo!

Esse sentimento é uma das 5 necessidades básicas de todo indivíduo, de acordo com a teoria da Hierarquia das Necessidades Humanas, de autoria do pai da Psicologia Humanista ou Psicologia do Ser, o psicólogo americano, Abraham Maslow (1908-1970).

O estudioso colocou os níveis das necessidades profissionais do ser humano em uma pirâmide de 5 partes para facilitar o entendimento e seguir uma lógica de pensamento. Conheça quais são as 5 na ordem:

  • Biológicas e fisiológicas: a empresa deve oferecer uma infraestrutura que atenda aos principais requisitos de segurança e higiene; salários compatíveis com o mercado e que atendam à manutenção de moradia, saúde, alimentação e entretenimento; horários de descanso.
  • Segurança: apesar de já termos falado de segurança acima, esse item foca na importância da segurança do espaço de trabalho, além outros pontos como plano de saúde, seguro de vida, previdência, benefícios e até plano de carreira.
  • Social: construção de um ambiente que permita o desenvolvimento e a sustentação de relacionamentos interpessoais.
  • Ego: aqui você pode entender a relevância que o reconhecimento da empresa em relação às qualidades e pontos de desenvolvimento na vida do colaborador.
  • Autorrealização: mais do que ser reconhecido pela organização, o funcionário precisa entender que o seu trabalho coopera diretamente para os objetivos específicos e globais da empresa.

Você já conhecia a teoria do psicólogo americano? Comente as suas impressões no fim do artigo!

Por que a valorização é importante

De modo geral, nem eu, você ou qualquer outra pessoa que conhecemos gostaria de dedicar o seu melhor, o seu tempo, conhecimentos, experiências e habilidades e passar em branco na vida. Assim, a primeira valorização de que precisamos não é a dos demais, mas sim a nossa, pois quando nos valorizamos verdadeiramente nos vemos de maneira positiva.

Além disso, ainda reconhecemos nossos dons, talentos, competências, resultados, esforços e conquistamos a autoconfiança que precisamos para mostrar nosso melhor ao mundo. Esse tipo de sentimento pode ser classificado como autorreconhecimento. Ele é fundamental na nossa carreira e se estende a todas as áreas da nossa vida.

Depois, precisamos do reconhecimento das pessoas à nossa volta para nos sentirmos bem, importantes, amados e respeitados. Esse olhar cuidado pode vir por meio de um elogio de um colega; de um feedback público do seu chefe, liderado ou colaborador; uma promoção de cargo e/ou salário; ou mesmo de um amigo, parente ou desconhecido.

Profissionalmente falando, com essa filosofia é possível ganhar relevância na empresa em que trabalha e no mercado. Já no lado pessoal, esse tipo de lógica de pensamento também tem destaque, pois contribui diretamente para a autoestima.

Eu mesmo, como faço palestras, em todo o Brasil, ao final de cada evento sempre recebo o reconhecimento do público. Pode ser por meio de calorosas palmas, abraços fraternos ou mesmo pelas palavras positivas que as pessoas me dirigem verbalmente ou escritas. Isso não tem preço e não tem nada a ver com ego, mas com propósito e missão de vida. Isso me faz muito feliz, pois é um verdadeiro sinal de que estou indo no caminho certo!

Como adotar a prática no dia a dia

Já elogiou o seu colega de trabalho por uma boa entrega da atividade? Já incentivou o seu amigo a fazer uma mudança no visual para aumentar o bem-estar dele? Lembre-se de cuidar de quem está a sua volta tanto dentro quanto fora do trabalho.

Valorizar é saber reconhecer um trabalho bem feito, uma boa ação, um bom desempenho e os comportamentos e as atitudes positivas dos outros e, é claro, as suas. Transmitir esse tipo de enaltecimento é ser justo com os esforços realizados e saber reconhecer que aquilo que você ou outra pessoa fez é importante e traz grandes resultados.

Pense nisso, reconheça seu trabalho, as boas atitudes e também o bom desempenho de todos que se dedicam e dão o seu melhor, assim como você!

Tenha o bom senso como aliado

O estímulo aos elogios e reconhecimentos que faço neste artigo não tem relação com a perda da sua criticidade. É fundamental ter bom senso ao fazer um comentário positivo, pois caso não tenha critério você se torna um ser humano superficial.

Basicamente, não é para fazer distribuição de falas prestigiosas, mas sim, dar sua opinião sincera a respeito de bons trabalhos ou atitudes. Se você mantiver a honestidade ativada, não terá problemas com esse ponto.

Como o líder pode chegar a esse grau de desenvolvimento

A formação Professional & Self Coaching (PSC) do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), do qual sou fundador e presidente, é uma excelente forma para o líder se desenvolver. O programa de conteúdo desse curso ensina boas práticas de liderança e como aplicá-las no dia a dia.

Além disso, você aprende sobre o exercício do autoconhecimento, da autoestima e do autodesenvolvimento; prática da inteligência emocional; quais são as crenças limitadoras e como acabar com elas; a história, evolução e quais são as principais técnicas do coaching; o que são roteiros estruturados; o que são processos de identidade;  quais são os princípios da programação neurolinguística; quais são os fundamentos da psicologia positivas; e muitos outros tópicos que contribuem fortemente para o seu amadurecimento profissional e até pessoal.

Após completar o curso, você terá 6 certificações: Life Coach, Professional, Analista Comportamental, Leader, Self Coach (uma metodologia criada por mim) e a extensão universitária (reconhecimento acadêmico das Faculdades Monteiro Lobato, do Rio Grande do Sul). E tem mais! Você também terá o reconhecimento de 5 renomados institutos de coaching internacionais, que são: Internacional Association of Coaching, Global Coaching Community, European Coaching Association, Behavioral Coaching Institute e International Coaching Council.

Muito além dos certificados, os benefícios do curso, na verdade, são incalculáveis, indo desde a aplicação dos melhores métodos de liderança até o progresso de habilidades que te deem mais destaque no mercado. O curso ainda possibilita inclusive que você se torne um coach, caso queira encaminhar sua carreira para essa direção.

Agora que você já sabe mais sobre a importância da valorização do trabalho e da vida, do papel do líder e do coaching, você já pode começar a planejar como investir na sua evolução profissional. Não deixe para mais tarde o investimento na sua educação contínua!

Ficou com dúvidas? É só escrever nos comentários abaixo!

 

Copyright: Wakebreakmedia/Shutterstock

Deixe seu Comentário: