gestores

Tipos de Gestores em Uma Empresa – Perfis Bons e Ruins

Por: José Roberto Marques | Blog | 18 de março de 2018

Os gestores são como capitães de um navio, pois são eles que guiam a empresa para o destino desejado e que coordenam o trabalho dos “marinheiros”, no caso, a equipe. Cada indivíduo tem o seu perfil e suas características pessoais, traços que acabam influenciando em seu papel como líder. Contudo, existem determinadas habilidades que são importantes dentro de uma organização e que têm impacto decisivo sobre a performance dos colaboradores e os resultados de uma forma geral. Para saber mais sobre o assunto, veja quais são os principais tipos de gestores e conheça seus pontos positivos e de melhoria.

Tipos de Gestores e Seus Pontos Positivos e de Melhoria

Veja quais são os perfis de gestão mais comuns e descubra em qual deles você se encaixa. Vale lembrar que muitos profissionais podem possuir características de mais de um perfil, o que é interessante se forem traços positivos e que ajudem no desenvolvimento da organização e da equipe de colaboradores.

Gestor Autoritário

Esse é o modelo mais tradicional de gestão, algo que hoje é visto como ultrapassado, pois foi comprovado que a imposição da autoridade se mostra ineficaz na maioria das vezes. O gestor autoritário é aquele que é chefe apenas por uma questão de hierarquia da empresa, mas que não possui liderança frente aos colaboradores. As consequências desse excesso de autoridade costumam ser: baixa produtividade, alto índice de turnover e desmotivação.

Entretanto, é necessário dizer que algumas características do gestor autoritário, quando bem dosadas, podem ser interessantes em momentos específicos, como quando é necessário tomar uma decisão mais rápida, por exemplo. O fato de ter agilidade, indo direto ao ponto, permite que ele encontre soluções com mais rapidez.

Gestor Democrático

O oposto do perfil anterior, o gestor democrático considera que todos os membros da companhia são importantes para que se tenha bons resultados. Ele costuma dar voz aos colaboradores e considerar a opinião deles ao tomar decisões. Essa atitude é positiva porque os profissionais que vivem o dia a dia da empresa de perto sempre podem ter algo interessante a acrescentar ao conhecimento técnico e estratégico do empresário.

Os gestores que possuem perfil democrático devem se atentar apenas para não pesar a mão e deixarem de exercer a posição que possuem em plenitude. Por mais que valorize e considere o papel das pessoas, é necessário saber cobrar resultados para que eles aconteçam e ter uma posição de líder. Isso pode ser feito em tom amigável, sem parecer autoritário, basta usar as palavras certas e fornecer feedback constante aos subordinados, para que saibam exatamente o que espera deles.

Gestor Especialista

Esse perfil se refere aos profissionais que possuem uma ampla bagagem de conhecimento técnico a respeito da área de atuação da empresa. Contudo, muitos deixam a desejar quando se trata das competências de comportamento, que são fundamentais para se de ter um bom relacionamento com os seus liderados. Assim, eles têm muito a ensinar aos colaboradores, mas possuem dificuldade de passar esse conhecimento e de se comunicar e interagir.

Você é feliz?

Como sempre digo, hábitos podem ser transformados e características podem ser conquistadas. O Coaching com foco em liderança, por exemplo, é uma ótima opção para gestores especialistas. Através desse poderoso processo é possível que eles desenvolvam sua inteligência emocional, além de outras habilidades comportamentais que irão agregar ao seu conhecimento técnico e transformá-los em grandes líderes.

Gestor Executor

O executor é o tipo de gestor conhecido popularmente como “mão na massa”, pois gosta de viver o dia a dia da empresa e manter contato direto com os funcionários. Essa atitude é positiva porque permite que ele obtenha uma visão diferente do negócio, o que pode agregar bastante ao processo de tomada de decisão. Além disso, ajuda a fortalecer os laços com a equipe, criando uma relação de colaboração e confiança.

Um ponto a ser observado com atenção, é que os líderes com perfil executor devem se atentar para não focarem demais na ação e deixarem as estratégias e o planejamento de lado. Focar apenas na ação leva o profissional a viver apagando incêndios ao invés de encontrar soluções efetivas para que o problema não se torne recorrente. É necessário encontrar o equilíbrio entre agir e planejar para que os resultados sejam positivos.

Gestor Paternalista

O lado amigável e acessível desse perfil é positivo porque promove o trabalho colaborativo e motiva os membros da equipe. Todos se sentem à vontade para conversar com o chefe e dar sugestões ou mesmo fazer algum tipo de reclamação. Trata-se de uma abordagem bastante comum em empresas brasileiras e que, inclusive, é a preferida entre os profissionais do nosso país, que tem como característica marcante a informalidade entre as pessoas.

Contudo, o gestor paternalista deve se atentar para que, ao buscar ser democrático, não acabe pesando a mão e misturando o pessoal com o profissional. Por mais que se tenham relações de amizade com os funcionários fora da organização, dentro dela é necessário manter certa postura, a fim de conseguir cobrar os resultados e, obviamente, obtê-los. O excesso de intimidade e protecionismo compromete a tomada de decisões, pois, muitas vezes, faz com que emoções tenham maior peso do que fatos concretos, o que prejudica a equipe.

Gestor Coach

Esse é um dos perfis mais valorizados pelas empresas na atualidade e se refere aos gestores que lidam com os seus colaboradores como verdadeiros líderes coaches, levando-os ao desenvolvimento de suas habilidades e competências por meio de técnicas e ferramentas de Coaching. Esse modelo de gestão reúne conhecimentos técnicos, mas também habilidades voltadas para o crescimento dos profissionais que fazem parte da organização no âmbito emocional e comportamental também. Os benefícios dessa abordagem incluem: motivação, engajamento, foco, aumento da produtividade e positividade, melhoria na comunicação e nos relacionamentos interpessoais, redução do índice de turnover e um ambiente propício para o desenvolvimento.

Para se tornar um líder coach, um gestor deve buscar uma formação em Coaching, para que tenha um contato profundo com a metodologia e suas ferramentas poderosas. Assim, poderá passar para os seus liderados toda a transformação que vivenciou através da experiência, levando-os a descobrirem o seu potencial máximo e a demonstrá-lo por meio do seu trabalho diário. Certamente esse é um investimento que trará excelentes resultados e será um diferencial competitivo para a empresa. Como se pode ver, a maioria dos tipos de gestores tem os seus pontos positivos e de melhoria. Cabe a você buscar aperfeiçoar as suas características e os diferenciais que já possui e buscar outras habilidades que o mercado exige e que também acredita serem importantes, a fim de conseguir extrair o máximo potencial, tanto seu como de sua equipe. Assuma o seu papel de capitão do navio com foco, empatia, amor, postura, engajamento, paixão, resiliência, bons exemplos, feedbacks, automotivação, dedicação e responsabilidade e, com certeza, conseguirá conquistar os resultados extraordinários que todos buscam e merecem ter!

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: