Relacionamento-difícil

Como Lidar Com um Relacionamento Difícil com os Pais?

Por: Pollyana Ribeiro | Blog | 31 de julho de 2017

Verdade seja dita, nem todo mundo pode se gabar de não ter um relacionamento difícil com os pais e de viver em harmonia com seus genitores. Problemas desta natureza são muito comuns, aliás, pois nem sempre pais e filhos chegam a um denominador comum em relação aos seus valores, interesses, formas de enxergar o mundo e de se relacionar com as pessoas.

Até certo ponto isso é natural, pois os descendentes não serão necessariamente cópias fiéis de seus pais e de suas mães em sua forma de ser, pensar e agir. Cada pessoa tem sua história e sua visão do que é bom ou ruim, do que é certo ou errado e, especialmente, do que é melhor para ela em cada momento de sua vida. Assim é com os pais. Assim será com os filhos!

As dificuldades no relacionamento começam exatamente quando ao invés de entendimento surgem os conflitos, quando ao invés do diálogo surgem os julgamentos e quando ao invés de empatia, se faz presente à antipatia a tudo que venha do outro. Fique sempre atento a estas intolerâncias!

Pais e Filhos – Como Lidar com um Relacionamento Difícil?

Muitos filhos “são do contra” não para afrontar seus pais, mas na tentativa de mostrar a eles que existe algo além daquelas suas velhas crenças arraigadas. Por outro lado, quando um pai ou uma mãe defendem seu ponto de vista, por mais diferente que este seja do seu, aquilo também tem uma razão de ser, pois faz parte das suas formações e ideias ou de conceitos herdados ou alimentados, nos quais eles acreditam verdadeiramente.

Qual é então a sua diferença para o seu pai ou para os seus filhos se, ambos, na essência do conflito, estão apenas defendendo aquilo em que acreditam? Em se tratando de um relacionamento difícil, por mais que uma das partes não concorde, o importante é, antes de qualquer julgamento, colocar-se no lugar do outro, e buscar compreender a origem daquilo, pois nada existe por acaso.

O paradoxo está em fazer exatamente das diferenças que afastam as famílias o seu ponto de maior tolerância, empatia, respeito e união. É fácil gostar de alguém quando ele segue a mesma cartilha que você e comunga das mesmas ideias. Entretanto, não podemos dizer que todos que pensam diferente são piores do que nós ou merecem menos o nosso respeito.

Melhor é Aprender e Crescer Juntos!

Ouvir é um dos maiores atos de respeito de um ser humano para com outro, pois por mais que você não concorde com o que está sendo dito, em toda comunicação existe algo que podemos aprender e levar para a nosso crescimento, sejam as crenças que queremos continuar a não ter, sejam os comportamentos e atitudes que desejamos assimilar e trazer para a nossa vida.

Então, quando se trata de pais e filhos este respeito se torna ainda mais importante, pois envolve a maior relação de amor que os seres humanos podem ter em sua passagem pela terra. Pais – não é porque seus descendentes não são exatamente iguais a você, que sua forma de ver o mundo está errada! Filhos – não é porque os seus pais não pensam igual a vocês, que eles não merecem seu respeito, compreensão e entendimento!

A ambos ressalto que isso não quer dizer aceitar tudo como é calar-se, mas sim aceitar o convite a aprender a conviver com as diferenças, a que as partes possam sintonizar-se e, não fazer delas, barreiras para o amor em família, o respeito e o aprendizado e crescimento em conjunto. Assim, se eu sei o que o outro não sabe e, o outro sabe o que eu não sei, melhor é quando juntamos as nossas compreensões e criamos uma terceira visão.

Não há nada que não possa ser modificado e nem melhorado, até mesmo um relacionamento difícil e, isso se aplica também às nossas crenças e valores enraizados, pois nós podemos evoluir sempre. Para isso, basta apenas uma mente aberta e aceitar o convite! Pais e filhos: aceitem, tratem os seus conflitos com amor e tenham relações infinitamente melhores!

Deixe seu Comentário: