pnl-historia-conceito

Programação Neurolinguística – História e Conceito  

Por: José Roberto Marques | Blog
Programação neurolinguística

Boumen Japet/Shutterstock A PNL é uma poderosa chave para abrir e expandir a mente humana

 

Programação Neurolinguística é o estudo de como representamos e percebemos neurologicamente a realidade e de como podemos alterar essa representação para atingirmos resultados desejados. Também chamado de PNL, o método surgiu na década de 1970, por meio dos estudos de Richard Bandler, à época estudante de Sistemas e Matemática, e John Grinder, estudante de Psicologia e Linguística.

Em conjunto, os jovens pesquisadores desenvolveram um grupo de técnicas, pressupostos e modelos que combinavam elementos desses distintos campos de abordagem e que acabou sendo chamado de Programação Neurolinguística.

À primeira vista, PNL é uma expressão um tanto obscura. Quando passamos a conhecer este maravilhoso campo de estudo, no entanto, nos damos conta de que, na verdade, ela compreende três ideias simples. Para saber mais sobre a PNL e os seus benefícios, continue a leitura deste artigo!

 

O Que é Programação Neurolinguística – PNL?

A PNL é uma disciplina que se desenvolveu a partir da tarefa de responder à seguinte pergunta: como especificamente os terapeutas considerados mestres em comunicação conseguiam, de forma consistente e exitosa, os objetivos terapêuticos a que se propunham?

E, por meio dessa busca, se chegou a uma pergunta ainda mais fundamental: qual é a estrutura da experiência subjetiva nos seres humanos? A resposta a essas duas perguntas fundamentais provocou o desenvolvimento de poderosas e efetivas ferramentas de comunicação e mudanças de extrema utilidade na área da psicoterapia, na educação, nas organizações empresariais e institucionais e em qualquer profissão cuja atividade tenha a ver com comunicação.

A PNL é uma revolucionária forma de utilização da comunicação humana.

Definição de Programação Neurolinguística segundo a sigla PNL

PROGRAMAÇÃO: Programar. Refere-se ao processo de organização dos componentes de um sistema, neste caso, o dos sistemas representacionais sensoriais, mediante o qual as pessoas pensam, aprendem, se motivam, mudam. É a habilidade para descobrir e utilizar os programas que nós usamos (nossa comunicação para conosco e para com os outros) em nosso sistema neurológico para alcançarmos nossos resultados específicos e desejados.

NEURO: Neurônios, Sistema Nervoso. Derivado do grego “neurón” = nervo, indica o princípio fundamental de que toda a conduta, que também é o resultado de um processo neurofisiológico (quer dizer que o Sistema Nervoso participa). Refere-se ao sistema dos processos internos, conscientes e inconscientes, por meio dos quais toda a experiência é recebida e processada, incluindo os nossos cinco sentidos: visual, auditivo, cinestésico (sensação e emoção), olfativo, gustativo.

LINGUÍSTICA: Linguagem, comunicação. Derivada do latim “língua” = linguagem, indica que este processo neurológico é representado, ordenado e codificado em sequências específicas formando modelos e estratégias por meio da linguagem. O idioma e outros sistemas de comunicação não verbais são os meios pelos quais as nossas representações neurais são codificadas, ordenadas e determinam o seu significado. Inclui: imagens, sons, cheiros e palavras (self-talk)

Dessa forma, a Programação Neurolinguística significa programar o sistema nervoso, por meio da linguagem e da comunicação, para se conseguir os resultados que se quer. PNL não é somente um conjunto de técnicas, é, sobretudo, uma atitude. Em outras palavras, PNL é como usar o idioma da mente para alcançar constantemente  resultados específicos e desejados.

Curiosidade para ver a vida como uma oportunidade sem precedentes para aprender

É o primeiro modelo que detecta e descreve a relação de como processamos as informações externas e internas e seus efeitos nos nossos comportamentos, emoções e relações. PNL é simplesmente mudança orientada para metas objetivas, para resultados, aplicável para qualquer sistema humano: famílias, grupos, empresas, comunidades, países etc., ou simplesmente para um ser humano. PNL é um caminho para a busca da excelência humana.

Você é feliz?

Conheça as 4 técnicas mais utilizadas em PNL

1. Ancoragem

A técnica da ancoragem consiste na definição de um gatilho que desperta um estado desejado, por meio de uma associação positiva. Para que isso ocorra, a pessoa deve definir qual é o seu estado desejado: menos ansiedade ao trabalhar, menos estresse antes de dormir, mais coragem para praticar exercícios físicos etc.

Após a definição desse estado desejado, a pessoa deve buscar pela memória algum momento de sua vida em que tenha vivenciado essa emoção e esse sentimento almejado. Por fim, é preciso associar esse estado a um determinado gesto, postura ou atitude.

Assim, colocar o pijama pode ser um gatilho para ancorar o sentimento de relaxamento antes de dormir. Lavar o rosto pode ser um gatilho para ancorar o sentimento de coragem para exercitar-se pela manhã, entre outros exemplos.

2. Reforço Positivo

O reforço positivo não é exatamente uma novidade da PNL, mas uma técnica já consagrada na psicologia que a PNL definiu como um de seus pilares. Nessa técnica, quando uma pessoa tem um bom comportamento, ela deve receber algum tipo de recompensa. Por exemplo, o aluno que tira uma nota alta na prova da escola pode comer um chocolate.

A ideia é associar o prazer dessa recompensa, no caso o sabor do chocolate, ao estímulo de repetir esse comportamento positivo, no caso ter uma boa nota. Essa associação cria, no cérebro, um vínculo de estímulo àquela determinada atitude. Com a repetição dessas atitudes ao longo do tempo, os comportamentos tendem a se automatizar, ajudando o indivíduo a transformar os seus hábitos e a alcançar os seus objetivos.

3. Ressignificação

A técnica da ressignificação consiste em transformar o significado de uma atitude, acontecimento ou experiência, quebrando as crenças limitantes e substituindo-as por ideias mais construtivas e motivadoras. Essa técnica permite que crenças automáticas deem lugar a novas perspectivas.

Por exemplo, uma pessoa pode dizer que “nasceu pobre e vai morrer pobre”. Essa é uma crença limitante que muitos indivíduos têm, pois não leva em consideração o fato de que podem, por seus esforços, alcançar uma realidade financeira mais confortável.

Assim, um coach pode questionar o porquê de essa pessoa acreditar nessa ideia. Conforme a pessoa desenvolve o seu raciocínio, naturalmente haverá algumas incoerências. O coach deve aproveitá-las para fazer a desconstrução da ideia e a substituição por uma crença mais positiva.

4. Espelhamento e rapport

Por fim, a técnica de espelhamento e rapport é indicada não especificamente para que uma pessoa alcance os seus objetivos, mas para que se conecte e obtenha mais abertura e intimidade com as pessoas com as quais estiver conversando.

Essa técnica consiste em sincronizar a respiração e imitar os gestos e posturas corporais da pessoa com quem você estiver conversando. Isso deve ser feito de forma discreta — você pode esperar alguns segundos para repetir o gesto do seu interlocutor. Inconscientemente, esse movimento espelhado estreita a sua relação com o seu interlocutor, pois ele vai se sentir mais à vontade para lhe dar mais abertura. É uma técnica de aproximação e persuasão.

As técnicas acima são apenas alguns dos exemplos de métodos da PNL. Há várias outras, como linguagem hipnótica, metáforas e exercícios de respiração. Todas essas técnicas ajudam o indivíduo a modificar padrões de pensamento, desenvolver novas crenças e hábitos e até mesmo adquirir um discurso mais persuasivo para influenciar pessoas. Todos esses fatores contribuem para que ele alcance os seus objetivos em diferentes áreas da vida.

E você, o que achou das técnicas de PNL? Já teve alguma experiência ou tem curiosidade em conhecer o método? Então, deixe o seu comentário no espaço abaixo. Por fim, não se esqueça de compartilhar este artigo com todos os seus amigos, colegas e familiares, por meio das suas redes sociais!

Imagem: Por Jerome.Romme

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: