polivalencia-profissional

Polivalência – Como ser um Profissional Polivalente Pode te Ajudar  

Por: José Roberto Marques | Blog | 11 de junho de 2019

Você sabe o que significa ser polivalente no ambiente de trabalho? Esse conceito consiste em ter diversas habilidades e conseguir executar várias coisas ao mesmo tempo de forma assertiva e sem perder a qualidade da entrega. Se você quer saber mais sobre o assunto é só continuar lendo o texto!

O que é ser polivalente na realidade

Se polivalente não é apenas ter habilidades técnicas, mas também ser um colaborador antenado, engajado, proativo, flexível e dinâmico, que usa seus conhecimentos para ajudar a empresa a solucionar os problemas, superar dificuldades e inovar sempre.

Mais do que isso, um profissional polivalente também é aquele que tem resiliência, pois sabe lidar com as pressões por resultados, os momentos de crise, os conflitos de ideias e, mesmo assim, destacar-se nas situações. Podemos dizer que esta resiliência é o que lhe faz conquistar o autoconhecimento e autoconfiança necessária para manter o foco em suas metas e objetivos e superar as expectativas.

Se você está buscando por exercícios que ajudam a desenvolver o autoconhecimento e a autoconfiança, recomendo o coaching. O método é uma excelente forma de você conseguir entender mais sobre si mesmo e conseguir usar essas informações a seu favor na vida profissional e pessoal. Por meio da compreensão e do exercício constante do autoconhecimento, o coachee (aprendiz) alcança as formas corretas para despertar o seu potencial máximo.

A importância da polivalência no trabalho

O ambiente de trabalho está cada dia mais competitivo e exigente. O perfil do profissional burocrata, que cumpre rigorosamente seus horários e só entrega o convencional já não é mais tão solicitado. Hoje em dia, é preciso fazer isso e muito mais!

Agora, o profissional deve estar antenado com o que está acontecendo a sua volta e deve estar verdadeiramente comprometido com os resultados da empresa, sempre empregando o seu melhor para conquistá-los.

Justamente por causa dessas mudanças, é relevante possuir habilidades de comunicação, senso de urgência, bom trato nos relacionamentos interpessoais, aptidão para trabalhar em equipe e também liderar pessoas. Estes são apenas alguns dos diferenciais dos profissionais polivalentes. Não por acaso, são estes os colaboradores que empreendem mais nas empresas e também aqueles que crescem mais rápido.

Isso ocorre porque, dentro da dinâmica do mercado, quem tem visão estratégia e de futuro, consegue se antecipar quais são tendências e estar devidamente pronto atendê-las. Os polivalentes são assim: não desistem.  

Esse tipo de pessoa busca ampliar suas competências emocionais, técnicas e comportamentais, por meio de formações e cursos de coaching, por exemplo. Baseando-se nas suas experiências profissionais e de vida. E tem mais: eles também buscam a automotivação que precisam para continuar a crescer e gerar resultados, seja no âmbito da carreira, empresa ou de sua vida pessoal.

Exemplos de pessoas polivalentes

Para que você consiga entender profundamente o que é ser polivalente e as consequências dessa característica, vou mostrar dois exemplos.

A série de filmes “Vingadores”, que é baseada em quadrinhos da Marvel, que mostram diversos seres humanos e seres do espaço que são considerados super heróis. Hoje, vamos focar no Gavião Arqueiro, que é uma pessoa comum com grandes habilidades com de arco e flecha. Apesar de ter essa capacidade fora do comum, no meio dos outros heróis da turma, tais como a Capitã Marvel, o Homem de Ferro e a Feiticeira Escarlate, ele parece não ter nada de especial.

Para você ter uma ideia, a Capitã Marvel quebra grandes naves, o Homem de Ferro constrói super máquinas e a Feiticeira Escarlate é capaz de mover grandes objetos. Isso é apenas uma pitada do que esses humanos nada ordinários podem fazer.

Enquanto isso, o Gavião Arqueiro é um homem que deve usar as habilidades que têm, dentro dos seus limites, e não se intimidar pelos poderes dos outros. Além de tudo isso, há um ponto muito importante em relação a este herói: ele tem uma família. Imagine que ele tem que salvar o mundo diversas vezes e ainda dar atenção para a mulher e três filhos.

Claro que não é uma tarefa fácil para ele. A sorte é que a sua esposa, Laura, trabalha dentro de casa, cuidando da fazenda e das crianças, enquanto ele trabalha fora. No fim das contas, ele tem que ser polivalente para conseguir gerenciar os dias em que salva o mundo com os dias em que está com a família.

Outro filme que é interessante de analisar a polivalência é o filme “O Diabo Veste Prada”, que é baseado no livro homônimo. Na história, a Andy é uma jornalista que trabalha como assistente pessoal da Miranda Priestly, editora-chefe da revista de moda Runway. Apesar de ser jornalista, a Andy deve se desdobrar em 10 pessoas para conseguir atender as demandas da chefe. São solicitações que vão desde necessidades profissionais até as pessoais. Caso ela não consiga cumprir com uma tarefa com excelência está sujeita a ser demitida.

É interessante acompanhar a evolução da Andy no filme, tanto em relação às suas habilidades técnicas quanto ao desenvolvimento das suas características. Ao longo da história, você percebe a necessidade da polivalência na profissão dela e em como isso pode afetar a vida pessoal, caso não seja balanceado.

Como usar o conhecimento

Não basta ler o texto, é preciso entendê-lo e conseguir aplicar o conhecimento no dia a dia profissional e pessoal. Não falei aqui que você tem que fazer 30 coisas ao mesmo tempo e esperar que todas elas saiam com perfeição. É preciso elencar prioridades e escolher aquilo que você vai gastar mais tempo e energias. De todo modo, isso não impede de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Tudo depende de como você deseja organizar o seu dia.

Imagino que agora está ainda mais clara a importância de buscar desenvolver e aprimorar sempre nossas competências profissionais e, especialmente, a de estar atento ao nosso ambiente de trabalho. É sempre possível aprender novos assuntos com leituras e com os colegas que estão ao nosso lado.

Saiba que isso é essencial para conseguir compreender a importância da nossa participação na manutenção do equilíbrio do sistema, onde, com nossas habilidades intelectuais e emocionais, devemos ser polivalentes e colaborar sempre para o sucesso do todo. Seja um profissional polivalente!

Gostou do texto? Curta, comente e compartilhe conhecimento em suas redes sociais!

Até o próximo artigo!

 

Copyright: Olena Yakobchuk/Shutterstock

Deixe seu Comentário: