linguagem-corporal

O que é linguagem corporal e quais os principais tipos

Por: José Roberto Marques | Blog | 28 de outubro de 2020

Você já deve ter ouvido a expressão “o corpo fala”, não é mesmo? Ela não surgiu à toa. Ao longo do tempo, muitos cientistas têm se dedicado ao estudo da linguagem corporal, ou seja, da comunicação que fazemos que não é expressa em palavras.

Muitas vezes, gestos e expressões faciais são mais verdadeiros e reveladores do que as palavras. Por isso, ter um conhecimento básico sobre o tema pode ser muito útil nas relações interpessoais. Neste artigo, você conhecerá melhor os tipos de linguagem corporal que existem, alguns exemplos de sinais positivos e negativos, bem como algumas dicas para compreender os sinais que o corpo emite. Continue a leitura e confira:

Potencialize suas habilidades e permaneça em constante desenvolvimento!
Clique aqui e descubra como isso é possível! Acesse “Tudo sobre Coaching”!

O que é linguagem corporal?

Na comunicação interpessoal, a linguagem corporal é o nome dado ao conjunto de gestos, posturas, expressões e movimentos que transmitem algum significado aos interlocutores. Esses elementos não-verbais podem ser intencionais ou inconscientes, mas, de uma ou de outra forma, revelam como a pessoa está de fato se sentindo naquele momento.

Por exemplo, quando você está conversando com uma pessoa, e ela está com as pernas inquietas, balançando-as incessantemente, isso pode ser um sinal de que aquela conversa a está deixando ansiosa, ou mesmo que ela esteja preocupada por algum outro motivo.

Esses sinais não-verbais são mais difíceis de serem interpretados, já que não são tão explícitos. Uma pessoa pode dizer que está muito feliz, mas a sua postura indicar medo ou timidez, sem que ela perceba. Por isso, conhecer bem a linguagem corporal ajuda as pessoas a perceberem as reais emoções do indivíduo, o que nem sempre coincide com o que ele diz.

Por que a linguagem corporal é importante?

Como é possível perceber, a linguagem corporal revela intenções e emoções das pessoas. Por isso, se alguém diz que te adora, mas sempre mantém os braços cruzados quando conversa com você, essa pessoa possivelmente não está assim tão à vontade. Isso permite, por exemplo, a detecção de mentiras, mas este é um aspecto que exige muito estudo e experiência.

Além disso, você mesmo pode usar a linguagem corporal a seu favor diante de determinadas circunstâncias. Repetir os gestos de uma pessoa durante uma conversa pode, por exemplo, comunicá-la de que você está interessado nela. Numa entrevista de emprego, um aperto de mão firme (mas não excessivamente forte) ajuda a expressar confiança e energia ao entrevistador.

Os 4 tipos de linguagem corporal

A linguagem corporal subdivide-se em quatro grandes áreas, concentradas em diferentes focos:

  1. Cinésica

É a área da linguagem corporal que cuida da identificação e da análise interpretativa de gestos e expressões faciais. A postura do tronco do indivíduo, os movimentos de braços e pernas e a contração de músculos da face durante uma interação interpessoal estão entre os principais aspectos da análise cinésica.

  1. Proxêmica

A proxêmica é subdivisão da linguagem corporal que se dedica ao estudo do espaço físico que as pessoas ocupam durante uma interação. Ela estuda as relações de proximidade e distância entre os indivíduos, a existência ou ausência de contato físico, e os significados emocionais que esses posicionamentos expressam no contexto.

Você é feliz?

  1. Paralinguagem

A paralinguagem é o estudo das modificações das características sonoras da voz. O volume de voz com o qual uma pessoa se comunica e o tom de voz empregado podem alterar completamente o sentido de uma frase. Esses recursos expressam emoções, como alegria, raiva, medo, sarcasmo, entre outros.

  1. Tacêsica

Tacêsica é o ramo da linguagem corporal que foca especificamente na análise do contato físico, isto é, dos toques entre indivíduos durante uma interação. O contexto dos interlocutores, o local onde se toca e a pressão exercida são fatores que podem modificar a interpretação dessa linguagem. Um toque pode expressar carinho, atração sexual, apoio, raiva etc.

Alguns sinais positivos

Agora que você já conhece as principais áreas de estudo da linguagem corporal, vamos a alguns exemplos com significados positivos.

Como citamos anteriormente, um aperto de mão firme pode expressar confiança. O mesmo pode ser dito de uma postura ereta, com gestos ágeis. Manter os braços descruzados e as pernas abertas durante uma interação expressa calma e relaxamento.

Um tom de voz médio e uma fala não muito lenta expressam que a pessoa de fato acredita naquilo que diz. Além disso, quando o indivíduo olha nos olhos de seu interlocutor, ele comunica que está dizendo a verdade e que confia naquele que está lhe ouvindo.

Alguns sinais negativos

Contudo, há também alguns sinais da linguagem corporal que podem expressar emoções negativas. A falta de contato visual, por exemplo, pode transmitir a sensação de insegurança no que se diz ou até mesmo uma mentira. Uma fala muito baixa ou muito acelerada também pode ser técnica para encobrir uma informação que não é verdadeira.

Braços cruzados durante uma conversa podem indicar que a pessoa não está se sentindo à vontade naquele contexto ou que não concorda com o que a outra pessoa diz. Lábios cerrados também podem revelar que a pessoa quer manifestar uma opinião contrária, mas que está se segurando para não fazê-lo. O balanço constante de pernas, por sua vez, pode ser um indicativo de ansiedade ou de impaciência.

5 dicas para entender a linguagem corporal

É claro que os sinais acima são constatações de especialistas da área ao longo do tempo. No entanto, cada contexto é único e sujeito a análises subjetivas. Não há respostas prontas em linguagem corporal, mas há 5 dicas que podem ser bastante úteis:

  1. Confie nos sinais do corpo

O psicólogo iraniano Albert Mehrabian conduziu pesquisas sobre linguagem corporal na década de 1960. Ele chegou à conclusão de que os sinais corporais têm relevância de 55% no contexto comunicacional, contra 38% referentes ao tom de voz e apenas 7% relativos ao conteúdo das palavras. Portanto, se você notar alguma incoerência entre o que uma pessoa diz e sua linguagem corporal, confie nesta última, pois a precisão é maior.

  1. Mantenha o contato visual

Olhar nos olhos de seu interlocutor é uma expressão de honestidade e confiança. Em contrapartida, aqueles que estão sempre desviando o olhar podem transmitir a sensação de distração, de falta de confiança ou de mentira. No entanto, foque atento também às pessoas que olham aos seus olhos de forma muito fixa e enfática — podem ser pessoas que conhecem a linguagem corporal e estão tentando disfarçar uma mentira.

  1. Cuide de sua postura

Ombros caídos, cabeça baixa e braços cruzados: temos uma tríade de uma pessoa descontente, desconfortável ou insegura. Se você deseja transmitir uma imagem de autoconfiança e proatividade, mantenha a espinha ereta, a cabeça numa altura neutra e os braços abertos. Contudo, não erga a cabeça em excesso, pois isso pode transmitir uma imagem de arrogância.

  1. Fique mais atento durante as atividades rotineiras

Diante de uma reunião de trabalho, apresentação ou entrevista de emprego, é natural que as pessoas estejam mais atentas e cuidadosas quanto à sua linguagem corporal. Por isso, se você deseja analisar uma pessoa verdadeiramente, deixe para fazê-lo num momento em que ela estiver mais relaxada, ou quando ninguém estiver olhando. Nesse contexto, a linguagem corporal da pessoa será mais “genuína” e menos “maquiada”.

  1. Desconfie dos excessos

Há indivíduos que conhecem um pouco mais sobre linguagem corporal e acabam pecando pelo excesso. Por isso, desconfie se uma pessoa demonstrar autoconfiança ou autoestima em demasia, pois a pessoa pode, na verdade, carecer desses dois itens e estar querendo te convencer do oposto. Profissionais treinados sabem diferenciar uma linguagem corporal genuína de um gesto “fake”.

O objetivo deste artigo não é que você se torne um especialista em linguagem corporal, mas esperamos que você tenha adquirido alguma noção sobre o assunto, que é bastante vasto e complexo.

Se você gostou das informações, deixe seu comentário no espaço abaixo e não se esqueça de compartilhar esse artigo com seus amigos, colegas e familiares.

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: