Assiduidade: O que é? - JRM Coaching
assiduidade

Assiduidade: O que é?

Por: José Roberto Marques | Blog | 13 de abril de 2018

O conceito de assiduidade pode ser definido como aquilo que é contínuo, frequente e constante. No mundo corporativo, um profissional assíduo é aquele que é comprometido com o seu trabalho e não falta sem motivos sérios, tais como uma doença. Ao longo do texto vou explicar melhor a importância de um colaborador ter essa característica. Continue comigo!

Quem perde com a falta

Agora que já mostrei qual é o conceito de assiduidade é importante deixar claro que ter esse traço no trabalho é bom tanto para o funcionário quanto para a equipe e a empresa.

A falta de alguém do time sem justificativa pode motivar a desorganização na área. É preciso redistribuir as atividades que esse colaborador realiza e também verificar possíveis serviços que podem estar parados ou que precisam de andamento. Provavelmente nesse dia, cada um do grupo terá que fazer um esforço maior para que as entregas não atrasem. A linha de lucros da empresa também deixar de crescer nesse momento, pois o time perde em produtividade.

Além disso, o colaborador que faltou também fica em desvantagem. Quando ele voltar terá que perder uma parte do seu tempo para entender tudo que aconteceu na sua ausência e o status das suas atividades. E, é claro, explicar o motivo da falta para a gestão ou liderança. Se não houver uma justificativa plausível, esse evento será um fator de peso para a avaliação de desempenho.

Como monitorar ausências

Combater as faltas sem motivo é uma questão que deve envolver a participação do colaborador e do gestor ou líder.

A gestão e a liderança devem estar atentas à frequência dos funcionários com monitoramentos regulares. Muito além de somente fiscalizar os seus subordinados, os líderes devem dar o bom exemplo e fazer o possível para construir um ambiente de trabalho em que os compromissos e as obrigações sejam respeitados.

Ações para aumentar a assiduidade nas empresas

As constantes faltas ao trabalho podem levar o profissional à demissão por justa causa, porém tanto o processo de afastamento quanto de contratação é dispendioso para a empresa, pois impacta na produtividade e no tempo para o recrutamento e seleção de novos colaboradores.

Os gestores precisam ficar mais atentos aos processos de seleção dos profissionais e também focados em criar mecanismos efetivos que estimulem a motivação e frequência das equipes. Quanto mais assertivas forem essas ações, melhores serão os resultados, o que influencia diretamente na assiduidade e desempenho do colaborador.

 

Algumas atitudes são muito efetivas para combater as abstinências. Uma ação muito eficaz é buscar fazer o mapeamento dos principais motivos que levam os profissionais a faltar ao trabalho. Em muitos casos, não é intencional, mas em decorrência das condições do transporte público, dificuldade de acesso à empresa, problemas de saúde ou mesmo pela falta de creches onde possam deixar seus filhos enquanto trabalham.

Caso seja um problema pessoal, pode ser o caso de a empresa compreender e dar oportunidade para que ele resolva. Por exemplo, se a pessoa precisa resolver questões relacionadas a um divórcio, a empresa pode permitir uma saída antecipada com a promessa de que as horas faltantes serão cumpridas em determinado prazo.

Outro caso que pode acontecer é a falta de motivação do funcionário para trabalhar por conta da função dele, de problemas reais que existem dentro da equipe, da liderança ou da organização. Funcionários desmotivados devido a alguma questão podem faltar ao trabalho como forma passiva de protesto contra práticas da empresa ou mesmo devido a problemas de relacionamento interpessoal.

Fique atento quando esse problema for recorrente para identificar as suas causas e como as corrigir o quanto antes. Este é o momento para analisar a fundo qual é o problema e quais são as possíveis soluções. Manter o ambiente de trabalho saudável é fundamental!

O coaching pode ser um poderoso aliado nesse sentido. O método tem as ferramentas ideais para mostrar ao coachee que a presença e o trabalho dele são requisitados e muito bem vistos pela empresa. É importante mostrar que ele é um funcionário bom que pode ficar ainda mais empoderado!

A metodologia coaching também é um eficiente dispositivo para o líder que quer melhorar seu desempenho. Não é porque a sua equipe está faltando que a sua liderança seja ruim, porém é preciso reavaliar seus discursos e atitudes. A capacitação Leader Coach Training (LCT) do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) é excelente para mostrar como você pode praticar o autoconhecimento, melhorar sua comunicabilidade, desenvolver suas qualidades, diminuir os pontos sabotadores e a gerir a equipe de forma extraordinária!

Estar mais próximo dos profissionais, ouvi-los e buscar compreender suas razões, necessidades e dificuldades também é papel das organizações. Isso mostra respeito e comprometimento com as pessoas, que na maioria das vezes, querem trabalhar, mas esbarram em problemas externos.

Lembre as regras da empresa

A assiduidade é uma questão básica que deve fazer parte do comportamento de todos os profissionais. Um dos modos de fazer com que os colaboradores percebam isso é lembrá-los da importância de seguir com o que foi acordado.

Como gestor, trate a falta ao trabalho como algo grave e procure manter esse tom com todos os seus subordinados, para fazê-los compreender que se trata de um descumprimento ao contrato de trabalho estabelecido.

Exceto em casos de razões legítimas que justifiquem o absenteísmo, relembre todas as políticas e diretrizes, normas e procedimentos da organização e advirta os funcionários sobre as consequências de manter esse comportamento.  

O que muda com a atualização da CLT

Além de ser uma característica que demonstra a dedicação e a disciplina do trabalhador, a assiduidade está escrita no contrato de trabalho, tornando-se obrigatória em qualquer relação empregatícia. Isso vale mesmo com a reforma da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Mais de 100 pontos da CLT foram alterados a partir de novembro de 2017. A forma trabalhista trouxe diversas atualizações para o setor, porém agora só vou falar da criação de alguns pontos. As novidades trouxeram a regulamentação do home office (trabalho remoto) e do trabalho intermitente (que possui interrupções), alteração no horário de almoço e duração da jornada de trabalho.

Destaquei esses pontos, pois são eles que se relacionam com o assunto que estamos falando agora. O acordo estabelecido entre patrão e empregado é o que vai prevalecer sobre a lei. Portanto, é preciso ter atenção em relação a frequência no trabalho, assim como às regras que você e seu gestor desenvolveram.

Trabalhe em conjunto

Quando há um trabalho em conjunto entre líderes, RH e profissionais cria-se um ambiente de parceria e engajamento, onde a empresa busca oferecer condições mais favoráveis aos seus colaboradores, e estes, em contrapartida, eles tendem a respeitar os horários, o tempo de expediente e também desempenham bem as suas funções diárias.

Tudo isso é bastante positivo, pois eleva a motivação de funcionários, valoriza seu trabalho, evita ausências e potencializa os resultados. Isso é extraordinário e traz um excelente retorno a todos. Então, fica a dica: valorize seu trabalho e marque presença!

Compartilhe esse artigo nas suas redes sociais!

 

Deixe seu Comentário: