Handshake,As,Successful,Negotiation,Ending,,Close-up.,Unknown,Business,People,Shaking

Empregabilidade: o que é e como desenvolver?

Por: José Roberto Marques | Blog

Uma maioria expressiva das pessoas necessita de empregos para obter o seu sustento. Por mais que novas empresas e vagas surjam a cada dia, é fato que a competitividade tem estado cada vez mais acirrada no mercado de trabalho em vários segmentos de atuação.

Por conta disso, as pessoas precisam desenvolver estratégias para que estejam fortes nessa competição. É comum vermos mais de 200 inscritos para uma única vaga de emprego, sendo que somente aquele que estiver mais preparado a conquistará. Estamos falando aqui em empregabilidade. Para saber o que este conceito significa e como pode ser desenvolvido, continue a leitura deste artigo!

Conquiste resultados extraordinários através do Coaching!
Clique aqui e conheça mais sobre essa poderosa metodologia!

O que é empregabilidade?

Como você já deve ter deduzido pela introdução deste artigo, a empregabilidade é, por definição, a capacidade que uma pessoa tem de obter um emprego e de manter-se nele. Em outras palavras, um indivíduo é considerado empregável quando tem características que o tornem atraente aos empregadores.

Essas características envolvem os conhecimentos do profissional, as suas experiências prévias, as suas habilidades notáveis e, acima de tudo, os diferenciais que ele pode oferecer em relação aos seus concorrentes. Quanto mais uma pessoa tiver uma característica profissional rara e desejada, maior será a sua empregabilidade.

Como a empregabilidade pode ser desenvolvida?

A seguir, você conferirá 8 dicas para desenvolver a sua empregabilidade.

1. Invista em autoconhecimento

Investir em autoconhecimento significa mergulhar numa busca por si mesmo. Quanto mais alguém mergulhar nessa busca, mais conhecimento a pessoa adquirirá sobre a sua própria personalidade, sobre os seus objetivos na vida e sobre as suas aspirações profissionais.

Além disso, o autoconhecimento permite que as pessoas identifiquem as suas forças e as suas características que ainda precisam de mais desenvolvimento. Esse “diagnóstico” é muito importante, pois mostra o que a pessoa deve evidenciar no mercado de trabalho e o que ela deve trabalhar para melhorar.

2. Atualize-se frequentemente, sem perder o foco

O sucesso de uma pessoa no mercado de trabalho é diretamente proporcional aos seus conhecimentos e habilidades. Isso quer dizer que quanto mais uma pessoa estuda e participa de treinamentos que lapidam as suas habilidades, mais preparada para o trabalho ela vai estar.

No entanto, algumas pessoas, especialmente aquelas que já têm mais tempo de carreira, podem cair no erro de acreditar que já sabem de tudo. Este é um engano grave, pois o mundo muda a todo instante, de modo que não existe uma profissão cujos saberes e habilidades não precisem ser atualizados de tempos em tempos.

3. Compartilhe o que você sabe

Algumas pessoas creem que, em um mercado de trabalho competitivo como este em que estamos, todo conhecimento adquirido deve ser mantido guardado, apenas para nós mesmos. Ensinar alguém a fazer algo é visto como “entregar o ouro ao bandido”.

O que essas pessoas esquecem, contudo, é que ao ensinar alguém algum conceito ou habilidade relacionada à sua profissão, você automaticamente coloca-se como referência no assunto. Muitos empresários bem-sucedidos estão aumentando ainda mais o seu poder de influência ensinando outras pessoas a serem empreendedoras também. Isso não é criar concorrentes, mas criar “discípulos”.

4. Construa e mantenha uma rede de contatos

Em uma situação de desemprego, a maioria de nós recorre à nossa rede de contatos, pedindo oportunidades e referências. Quando isso ocorre, enviamos e-mails e mensagens de textos para amigos, familiares, colegas de faculdade, ex-colegas de trabalho, entre outros. Essa atividade de construir e de manter uma rede de contatos é conhecida como networking.

Você é feliz?

Quanto mais você se mantiver em contato com essas pessoas, mais fortes estarão os seus laços quando precisar delas. Entretanto, lembre-se de que essa é uma via de mão dupla, ou seja, da mesma forma que somos ajudados, também nós precisamos oferecer ajuda aos colegas.

5. Conviva com os profissionais da sua área

O convívio com os profissionais do seu segmento de trabalho é muito importante. As relações que você estabelecer com essas pessoas permitem não apenas que você troque conhecimentos com elas, mas também que construa parcerias vantajosas para as partes envolvidas.

Por isso, fique atento aos eventos referentes à sua área, como encontros, simpósios, feiras, treinamentos, premiações, entre outros. Além de serem excelentes ocasiões para aprender algo novo e atualizar os seus conhecimentos, elas ainda podem favorecer o networking.

6. Seja proativo

Uma característica que tem feito muita diferença no mercado de trabalho nos últimos tempos é a proatividade. Ser proativo significa ter autonomia para tomar decisões e agir, sem esperar receber uma ordem de um superior. Isso não significa que você deva desrespeitar a hierarquia da empresa, mas, dentro das possibilidades, pode (e deve!) propor novas ideias e solucionar os problemas que identificar, sem que alguém precise ordenar que você o faça.

Antigamente, os funcionários eram contratados apenas para obedecerem às ordens dos seus chefes. Contudo, na atualidade, as empresas têm procurado pessoas proativas, isto é, que não apenas façam o que se pede, mas também que tragam ideias novas e sejam mais ativas para melhorar a organização em tudo aquilo que for possível.

7. Saiba vender o seu peixe

No mundo da publicidade, há uma lenda que diz que os ovos da pata são mais nutritivos do que os ovos da galinha. Mas então, por que os ovos da galinha são muito mais consumidos? É uma questão de divulgação. Quando a pata bota o ovo, ela não faz barulho, já a galinha cacareja e deixa bem claro o seu feito, atraindo as atenções do fazendeiro. Em outras palavras, a galinha sabe “vender o seu peixe”, mesmo tendo um produto inferior.

No mercado de trabalho, uma dinâmica semelhante ocorre. Precisamos saber vender o nosso peixe, ou seja, ressaltar as nossas conquistas. Isso deve ser feito em nossos currículos, nas entrevistas de emprego e nas atitudes que demonstramos no próprio dia a dia. Não basta ser, é preciso parecer. Por isso, dê o melhor de si, e não apenas o suficiente para receber o salário.

Mostre as suas capacidade e habilidades, pois, se você não as colocar em evidência, ninguém o fará por você. Invista no seu marketing pessoal, pois é por meio dele que você obterá o respeito e a admiração das pessoas do seu meio. Isso o ajudará não apenas a obter boas oportunidades, como também a negociar salários melhores. Apenas não exagere na dose, pois a autopromoção excessiva pode esbarrar na arrogância, OK?

8. Recorra à ajuda especializada

Ao ler os tópicos acima, você pode ter sentido que precisará de ajuda para entender melhor os seus propósitos profissionais, desenvolver as suas habilidades e descobrir como divulgá-las adequadamente aos recrutadores. Para orientá-lo nesse processo, você pode recorrer a alguns especialistas.

É o caso dos mentores e dos coaches, que conhecem o caminho das pedras e que podem oferecer conhecimentos e técnicas específicas para que você consiga determinar os seus objetivos e planejar a conquista de cada um deles com sucesso.

Que as dicas acima sejam úteis para que você aumente a sua empregabilidade e alcance resultados extraordinários na sua carreira! E, sempre que precisar, conte com o auxílio dos profissionais do IBC! Estamos aqui para orientá-lo numa trajetória de sucesso!

Se você gostou deste artigo, não se esqueça de deixar o seu comentário no espaço abaixo. Além disso, lembre-se de compartilhar este artigo nas suas redes sociais. Assim, você poderá levar esta mensagem e ajudar a todos os seus amigos, colegas, familiares e a quem mais estiver necessitado destas dicas!

Imagem: Por Iryna Rahalskaya

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: