divindade-interior

Divindade Interior

Por: José Roberto Marques | Blog | 23 de abril de 2019

Muitas vezes, vemos o egoísmo e a insegurança invadir nosso ser, fazendo com que deixemos de entender o que está acontecendo no mundo. Focamos nossa energia apenas em nossos problemas, nas contas a pagar, no relacionamento que não está indo bem, nos problemas com dinheiro, nas brigas com os familiares, entre outros.

Porque nos cegamos dessa forma para as coisas do mundo e nos voltamos para nós mesmos, em um movimento autocentrado? Podemos dizer que calamos nosso Divino Interior. Mas será que um dia ele falou conosco? Será que algum dia nós o ouvimos?

Quando estamos desconectados da consciência Universal, estamos em um Estado de sofrimento, no qual predominam o julgamento, as críticas a si mesmo e aos outros, culpa, ressentimento, angústias, ou seja, sentimentos ruins que são constantemente alimentados pelo rancor, pela raiva, por um remoer de lembranças que só causam dor.

O Sofrimento não é causado pela situação em si, mas pela percepção do que aconteceu e pela forma como nos questionamos, pela nossa incapacidade de aceitar os fatos como são e de entender o motivo por trás de cada um deles. Somos a fonte de nosso sofrimento, pois tudo o que pensamos e o que somos é fruto de nossas vivências e experiências e a forma como lidamos com elas.

Quando adquirimos a percepção de que podemos mudar o rumo de nossa própria vida e deixar o sofrimento de lado, partimos desse estado em que tudo parece limitado e dolorido e seguimos pelo caminho da expansão da consciência, para atingir o estado em que nossa consciência se torna ilimitada e conseguimos nos conectar a tudo o que nos cerca.

Atingimos, assim, o Estado de Graça, no qual vivemos em Estados equilibrados de Consciência, sem que o estresse, ansiedade e angústia sejam os condutores de nossa vida. Conseguimos vivenciar profundamente a amorosidade e a calma interior.

Nos conectar com o Universo significa aceitar que nossa frequência energética é a fonte organizadora de todos os desequilíbrios existentes em nossa vida. Ao nos conectarmos com nós mesmos, reequilibramos as energias, atraímos tudo que o que possa ser positivo e que nos clareiam a mente e expandem nossa consciência.

Passamos a aceitar que somos parte de uma Consciência Maior, nos aproximamos de nossa verdadeira essência, possibilitando atingirmos um estado de iluminação e conexão com nossa divindade interior.

Pense por um instante: quantas vezes ignoramos o sentimento de que não deveríamos fazer alguma coisa?

Essa Divindade é uma voz interior que nos chama para a ação, que nos impede de correr riscos, que nos abraça e conforta nos momentos difíceis. Podemos ter os melhores amigos do mundo, mas se não fizermos dessa voz o nosso refúgio, não seremos nada.

O Divino é o amigo supremo, aquele que nos livra dos julgamentos e das condenações. Diante dele, somos perfeitos e podemos demonstrar tudo o que amamos ser, pois é sua forma de mostrar todo o amor, gentileza e generosidade que possui.

Você é feliz?

Estende sua mão para ajudar sem nos causar mágoas ou danos. Ele é infinito em amor, bondade, transbordando e nos preenchendo de Amor e Paz.

O Divino é toda a sabedoria do Universo, é aquele que estará presente em todos os momentos de sua existência, nos bons e nos ruins, nos alegrando ou nos sustentando. Ele pavimenta os caminhos, cuida para que as pedras que nos impeçam de avançar sejam compreendidas e para que a vida seja vivida com tranquilidade e paz.

A partir do instante em que passamos a cultivar a presença do Divino Universal em nossa vida, ele se torna um guia interno para todos os momentos, dizendo o que é melhor em cada situação, nos apresentando toda a Abundância que a energia universal pode nos oferecer.

Damos voz para que ele fale através de nós, para percebermos que cada um de nós carrega a Divindade, a soberania Universal. Somos nós o corpo que abriga a Alma, a expressão singular do que significa a energia infinita.

Contudo, só conseguimos abraçar essa energia, senti-la até o fundo de nossa alma quando olhamos para dentro de nós mesmos, começamos a ver nossa verdade interna e seguimos o caminho do Estado da Graça, que nos levará à Gratidão, à entrega, ao respeito, à alegria, ao Amor, à Compaixão.

Conectar-se consigo mesmo está relacionado a sair do automatismo da vida e tomar consciência de nossas ações, pensamentos e comportamentos. Elevar-nos a um bem-estar que também inclui o bem-estar do outro, nos ajudamos ao mesmo tempo que ajudamos os outros.

Nesse Estado de Beleza interna, todas as nossas ações têm origem direta no coração, a fonte primária da Compaixão, Amor e de uma verdadeira vontade de servir a todos sem esperar qualquer tipo de retribuição ou troca. Damos sabendo que retornará, mas não necessariamente em ações do outro, mas sim pela energia positiva que circula por todo Universo.

Quantas vezes já não desejamos a felicidade e o sucesso? Quando estamos no Estado de conexão com o Universo, atingimos a felicidade e o sucesso juntamente com o outro. Querer que o próximo seja feliz e que brilhe será tão genuíno quanto desejar isso para nós mesmos.

Mergulhando na sabedoria ao expandirmos a consciência, percebemos que todos os Seres Humanos fazem parte de um mesmo organismo, no qual todas as partes estão conectadas e quanto mais conectados, mais impacto positivo devolveremos a tudo e a todos.

Nos conhecer, experienciar verdadeiramente nossa essência nos leva à compreensão das redes de conexões que formam o Universo. Só no momento em que nos preenchemos com a Consciência da Unidade, conseguimos criar e reforçar laços com nossa família, com pessoas do trabalho, com amigos, com desconhecidos, com tudo o que nos rodeia.

Nesse Estado, aceitamos nossa história tal qual ela é, aceitamos o passado, aceitamos quem realmente somos e no que nos tornamos. Honramos e respeitamos a nossa história e percebemos que cada um carrega consigo uma história que também merece ser honrada e respeitada.

Precisamos, assim, abraçar nosso Divino Interior, ouvi-lo sempre que nos orienta, seguir os passos que ele nos avisa ser os corretos e nos entregar ao respeito, Compaixão e Amor por nós mesmos que é, consequentemente, o sentimento que daremos a todos os outros que estão ao nosso redor.

Calamos essa voz quando estamos distantes da Consciência Infinita, mas deixamos ela sobressair sobre todas as coisas quando expandimos nossa visão sobre todas as coisas. Deixe que ela fale, ouça e contemple a verdadeira ação divina manifestada em si mesmo, pois nós somos aqueles que carregamos a matéria suprema.

Reflita agora: de que maneira você o tem calado ou tampado seus ouvidos? Sua consciência ainda é limitada ou você já atingiu a infinitude do Universo? Você está pronto para se encontrar com sua Divindade Interior?

 

Copyright: 1090914488 – https://www.shutterstock.com/pt/g/cristinaconti

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: