competicao-trabalho

Cooperação e Competição no Ambiente de Trabalho – Ambas são Importantes

Por: José Roberto Marques | Blog | 09 de agosto de 2019

É comum encontrar uma mesma oferta de trabalho que é atraente para mais de uma pessoa. A alta quantidade de candidatos para poucas vagas aumenta a competitividade do mercado. Além disso, o cenário faz com que os candidatos fiquem mais afiados nas entrevistas, na elaboração do currículo e nos estudos. Afinal, pode ser que uma pós-graduação ou um curso complementar seja a diferença na hora do recrutador escolher a pessoal ideal para o cargo. 

A competitividade não simplesmente some quando você consegue um espaço profissional. Na maioria das empresas, a competição continua acontecendo mesmo após ter conseguido o trabalho. Isso pode ocorrer por diversos motivos. Continue lendo o artigo que vou te explicar os principais deles. 

Ainda tem mais: vou te mostrar a importância que tanto a competitividade e a cooperação têm dentro da nossa vida profissional. Tenho certeza que esse é um assunto relevante para quem está buscando por progresso dentro do ambiente de trabalho. Acompanhe!

Quer evoluir, crescer e atingir novos patamares profissionais?
Acesse meu eBook “O Poder do Autoconhecimento”, é um presente!

3 principais benefícios da competitividade 

Conforme falei acima, mesmo depois de conseguir um novo emprego, é possível que a competição continue no seu dia a dia. Apesar de parecer algo ruim logo de cara, é preciso analisar a situação com atenção para entender que existe o lado negativo e o positivo da competitividade. Confira os 3 principais:

1 – Querer ser melhor a cada dia: a constante competição exige que você tenha ainda mais atenção e empenho em todas as atividades que realiza cotidianamente. Um projeto feito com pouca dedicação pode ser motivo para que a sua expertise não seja mais vista como necessária. Imagine o perigo de não ser mais necessário no time, não é mesmo? Uma parte desse esforço diário é estar em autodesenvolvimento profissional e pessoal sempre. 

Para te ajudar nesse processo com assertividade, recomendo o coaching. Por meio de ferramentas e técnicas especializadas, você constrói a sua própria jornada de autoconhecimento, essencial para o seu desenvolvimento. No fim das contas, você terá consciência das suas características positivas e como elas podem ser fortalecidas. Além disso, entende e aprende a lidar com os seus pontos sabotadores, ou seja, que atrapalham e até impedem o seu sucesso. 

Mais do que isso, o método também trabalha na edificação da sua inteligência emocional, fundamental para lidar estrategicamente com a pressão da competitividade todos os dias. A partir desse exercício, você ganha mais competência para gerenciar os seus sentimentos em situações de pressão e ainda consegue equilibrar melhor a vida profissional e pessoal.

2 – Estudar mais: como existem pessoas que estão buscando por mais espaço dentro da empresa, é essencial aprofundar os estudos. Além de ampliar o seu conhecimento, os estudos trazem mais referências para que você realize um trabalho melhor e elabore argumentos para cavar o seu lugar. 

O coaching também pode ser interessante para você que está buscando estudar mais. Além de progredir em questões relacionadas a sua sabedoria interna, o método também pode ajudar você a encontrar os estímulos ideais para que você potencialize suas qualidades profissionais e ative o seu intelecto. 

3 – Trabalho em grupo mais frutífero: a competitividade pode ser ótima para os colaboradores que trabalham em grupo, pois ela estimula cada um do time a dar o máximo de si e ainda a ajudar uns aos outros. No fim das contas, a competição funciona como uma troca saudável de conhecimento, experiências e habilidades que resultam em um trabalho mais assertivo e com qualidade maior. 

3 principais malefícios da competitividade 

Agora que você já conhece quais são os benefícios da competitividade, é hora de conhecer o outro lado da moeda. Saiba quais são os 3 principais malefícios da competição negativa: 

1 – Trabalho em grupo estressante: acima eu disse que as atividades realizadas em time podem ser ainda mais frutíferas com a competitividade saudável. Porém, existe uma linha tênue entre o que é saudável e o que não é. Portanto, é essencial ter atenção para a competição não se transforme de um debate respeitoso para uma briga com argumentos pobres e até desrespeitoso. Aliás, esse item tem muita conexão com o próximo ponto. Continue lendo para entender mais!

2 – Falta de cooperação: em uma organização, todos os profissionais e todos os departamentos devem colaborar para que as metas e objetivos sejam plenamente alcançados. Este é o poder da cooperação e do engajamento, elementos essenciais ao trabalho em conjunto.

Ou seja, as habilidades relacionadas a construção e sustentação de relacionamentos interpessoais, compartilhamento de conhecimentos técnicos e experiências são caraterísticas da competitividade também. Você já achou ao contrário? Se sim, não se preocupe, pois só ver o lado negativo da competição é comum. 

Essas capacidades conectadas à cooperação e a competitividade saudável fazem com outros profissionais também possam expandir seus conhecimentos e melhorar sua produtividade e resultados. Por isso, nada mais justo do que dizer que a cooperação e a competição no trabalho são tão importantes e essenciais.

Embora em muitos locais a competição se destaque mais do que a cooperação, é importante buscar um meio-termo. Isso garante aos colaboradores oportunidades iguais de mostrarem seu potencial, tanto individualmente como em equipe e crescer na empresa.

3 – Quem só vê o lado bom ou o lado ruim: como eu disse acima, é comum que as pessoas confundam a competitividade com algo ruim e que não consiga ligar a característica à cooperação. Dessa forma, elas só enxergam a competição de forma negativa, sem buscar entender se existem pontos positivos. Por isso, esteja sempre atento, pois nada no mundo é 100% bom ou 100% ruim. 

Quer evoluir, crescer e atingir novos patamares profissionais?
Acesse meu eBook “O Poder do Autoconhecimento”, é um presente!

A competição saudável é inspiradora

A competitividade é uma competência comportamental fundamental nas empresas, pois o colaborador consegue mostrar seu trabalho e a capacidade de lidar com a pressão, elevando o próprio nível e dos demais profissionais de sua equipe. Na prática, isso estimula a competição saudável, pois em um ambiente de alto nível e alto desempenho, os colaboradores passam a se inspirar nos diferenciais de seus colegas e encontrar incentivos para investir em seu próprio desenvolvimento.

Deste modo, podemos dizer que a competitividade no trabalho é bastante positiva quando proporciona aos profissionais desenvolverem novas capacidades e evoluir na carreira. Aliado a um perfil colaborativo e cooperador, isto potencializa ainda mais as chances de sucesso do profissional. 

Gostou da ideia? Então, esteja sempre atento ao seu desempenho, procure ser colaborativo, cooperar com seus colegas e competir de modo saudável, sempre respeitando os seus limites e o espaço do outro. Esse comportamento favorece o aprimoramento contínuo de suas capacidades, o progresso de novas e ajuda você a se destacar ainda mais no mercado.

Comente e compartilhe o que achou deste artigo abaixo!

 

Copyright:https://www.shutterstock.com/

Deixe seu Comentário: