sofrer-ansiedade-sintomas

Sofrer de Ansiedade

Por: Equipe JRM | Ansiedade | 08 de maio de 2019

Sentir ansiedade de um modo geral é uma parte normal da vida. Porém as pessoas com transtornos de ansiedade, com frequência, têm preocupações e medos intensos, excessivos e persistentes sobre as situações diárias. Repetidas vezes, os transtornos de ansiedade ocorrem episódios de sentimentos repentinos de ansiedade muito forte, medo ou terror que alcançam um nível máximo em questão de minutos como os ataques de pânico

Estes sentimentos de ansiedade e pânico interferem nas atividades diárias, são difíceis de controlar, são desproporcionais em comparação com o perigo real e podem durar um grande tempo. Com o propósito de prevenir estes sentimentos, as pessoas que sofrem de ansiedade podem evitar certos lugares ou situações. Os sintomas podem começar já na infância ou na adolescência e continuar até a idade adulta.

Alguns exemplos de transtorno de ansiedade são: Transtorno de Ansiedade Generalizada, Transtorno de Ansiedade Social (Fobia Social), Fobias Específicas e Transtorno de Ansiedade por Separação. Pode ser possível ter mais de um transtorno de ansiedade. Às vezes a ansiedade surge de algo no passado da pessoa que requer tratamento.

Qualquer que seja o tipo de ansiedade que sofre, um tratamento pode ajudar. Seja ele por meio alternativo (chás, remédios homeopáticos, meditação) ou tradicionais (remédios, psicólogos, psiquiatras).

Como normalmente se faz pensar, a ansiedade é uma emoção que não é ruim ter a princípio. A ansiedade consiste em uma ativação do organismo que se prepara para fazer frente a uma ameaça de perigo e implica fatores cognitivos, fisiológicos e condutores ou motores. Tanto as sensações físicas quanto os pensamentos e condutas aparecem sempre em maior ou menor quantidade.

Aquela emoção que se produz quando antecipamos essa ameaça, quando pensamos no que irá acontecer e tratamos de nos preparar como aguardar o que está pela frente. O estresse aparece quando há muitas demandas, se tornando excessivas, dentro do nosso ambiente de convívio, seja no trabalho ou em um ambiente mais privado, como a nossa casa, a nossa família.

É possível ver mudanças nas relações sociais e familiares, no trabalho e também nos estudos. As emoções extremas presentes nos transtornos de ansiedade podem ir, desde uma simples sensação de nervosismo, a episódios de terror e pânico. Recomendamos que busque profissionais de saúde para poder trabalhar em conjunto e ajudar todas as suas necessidades, sejam elas, físicas, psicológicas e espirituais.

As pessoas que sofrem de ansiedade irão observar que:

  1. Têm um ímpeto muito forte para dar respostas para as pessoas. Algo sem pensar;
  2. Custa-lhes controlar sua reação, suas atitudes. É algo que demanda muito trabalho mental;
  3. Sua forma de vida muda devido à ansiedade, evitando as situações que lhe causam danos, que lhe prejudicam.

Em nossa sociedade, as pessoas que sofrem de ansiedade são comuns e existem diversos remédios para a ansiedade muito efetivos. Detectando os sintomas logo no início da ansiedade, irá ter um tratamento mais rápido e estará utilizando de um tratamento mais apropriado para aprender a controlar, manejar estes sintomas, melhorando a qualidade de vida.

Existem diferentes tipos de ansiedade. Veja abaixo os mais importantes e mais comuns. É muito importante poder conhecer o tipo de ansiedade e os sintomas que a acompanham para poder prevenir os sinais e ter a solução o quanto antes.

  • Ansiedade Generalizada:

Podíamos dizer que uma pessoa tem a Ansiedade Generalizada se a sensação de ansiedade e preocupação está presente na maior parte do tempo e por qualquer coisa. Este transtorno interfere no seu dia a dia, por grande período de tempo. Este tipo se caracteriza pela alta preocupação que as pessoas sofrem.

Se tem uma sensação de preocupação constante, e é muito exagerada sobre questões da vida, por exemplo: a saúde, a família, o trabalho, o relacionamento afetivo, os filhos, o futuro, etc.  Este grupo de pessoas tenta – por meio de pensamentos – antecipar continuadamente os desastres ou catástrofes tanto em relação a si mesmo quanto com o resto de pessoas mais próximas. Os pensamentos que o rondam são do tipo “vou perder o meu trabalho” ou “me dói a cabeça, é certo que eu tenho algo grave”.

Em consequência do que comentamos sobre a Ansiedade Generalizada, as pessoas com este tipo mostram vários sinais físicos e sintomas associados. Os mais comuns são tensão muscular, dores de cabeça, tremores, enjoo chegando a vomitar, necessidade de ir ao banheiro com frequência, irritabilidade, entre outros.

  • Transtorno Obsessivo Compulsivo:

São pensamentos ou ideias de caráter ansioso, que podem influir em nosso comportamento. As pessoas com este problema se sentem “oprimidas” por seus próprios pensamentos, por imagens/fotos ou impulsos. As obsessões se podem definir como ideias, pensamentos, imagens ou impulsos persistentes que invadem nossa mente.

Seriam obsessivos os pensamentos repetidos e persistentes sobre determinados objetos, por exemplo: maçanetas, telefones públicos, os assentos dos ônibus, torneiras, canetas etc. As pessoas que sofrem de TOC (sigla para esta ansiedade) acreditam que estão contaminadas ou sujas e que vão transmitir a contaminação. Por este motivo, passam horas e horas lavando as mãos nos banheiros ou utilizando álcool gel. Outra forma é na hora de fechar portas e janelas, que ficam abrindo e fechando até ter a certeza que fecharam da maneira certa.

A pessoa pode ser consciente de que suas obsessões não têm nenhum sentido, a maioria das pessoas próximas, familiares, amigos, não tentam fazer resistência de algum modo. Porém, é realmente muito difícil e complicado se desprender destas ideias e pensamentos.

  • Síndrome do Pânico

A grande diferença dos Transtornos de Pânico para as pessoas que têm Ansiedade Generalizada é que os sintomas de pânico são mais fortes e têm início em problemas psicológicos. Geralmente, as pessoas com transtornos de pânico sentem como se o coração estivesse acelerado, começam a suar, aparecem tremores nas mãos, sensação de fraqueza no corpo, notam uma forte pressão no peito junto a uma sensação de sufocamento e de falta de ar.

Ao perceber estes sintomas, a pessoa interpreta estas sensações de forma muito catastrófica, crendo que vai sofrer um ataque do coração, que algo mau vai acontecer ou que a morte está próxima. Essa é uma sensação difícil para quem sofre; geralmente se sente uma sensação fora do real, que a pessoa pode perder o controle do próprio corpo e sente também que pode começar a ficar doida.

Todos estes sintomas são um obstáculo para o desenvolvimento normal das atividades do dia a dia. O conjunto de sensações e sentimentos interferem em todas as tarefas que deseja desempenhar, pois se reduz o número de atividades pelo desconforto físico que sentem. Normalmente estas pessoas que sofrem da Síndrome do Pânico acabam indo para as emergências de hospitais pensando que têm algo grave, por causa dos sintomas. São sintomas da Síndrome do Pânico.

Visto que é normal ter ansiedade, sentir um nervosismo em alguma situação que normalmente causa isto, não é motivo para se preocupar e acreditar que você está sofrendo de algum transtorno. Mas, se isto for algo recorrente, além de ter um pensamento forte sobre o futuro e ficar sempre nervoso sobre isso, é recomendável que algum especialista seja consultado por você para saber o que está acontecendo.

Todos estes transtornos podem ser controlados com remédios específicos para cada caso e também com meditação, acompanhamento de psicólogos, além de outros processos, como a busca do autoconhecimento.

Copyright: 601874060 – https://www.shutterstock.com/pt/g/photographeeeu

Deixe seu Comentário: