dizer-nao

Saiba dizer não!

Por: Equipe JRM | Alta Performance | 21 de outubro de 2020

Olá querida pessoa,

Espero encontra-lo em paz, harmonia e com saúde.

“Não”: uma palavra tão simples e curta, mas que é capaz de suscitar insegurança e angústia em muitas pessoas. Insegurança, porque temem em rejeitar algo por medo de não serem mais amadas, e angústia, por se sujeitarem a situações que não gostariam e que não condizem com suas convicções. Será que vale a pena dizer “sim” apenas para ser aceito? Continue acompanhando e saiba o quanto é importante se libertar dessas amarras e dizer “não” quando sentir que é necessário.

 

Ser de luz, viver é fazer escolhas. Para alcançar os objetivos, as pessoas devem dizer sim às portas que se abrem, mas não a todas. Nem todos os caminhos da vida nos levam aos lugares em que realmente desejamos chegar. A sabedoria inclui a capacidade de dizer sim, a capacidade de dizer não e, acima de tudo, a inteligência para discernir um momento do outro.

Você já se arrependeu por ter dito “sim” a alguém no calor do momento e, por fim, acabou se arrependendo? Saiba que você não está sozinho. Aliás, a dificuldade em dizer “não” é uma queixa bastante frequente e que pode trazer algumas consequências bem graves.

Afinal, por que dizer “não” é tão difícil?

Um amigo te pede dinheiro emprestado. O chefe te pergunta se você pode assumir uma tarefa (e você não tem experiência no assunto). O filho te pede para comprar um brinquedo incrível, porém caro.

Mesmo que você saiba que a resposta certa para todas essas circunstâncias seja “não”, é difícil colocar essa palavra nos lábios, não é mesmo? Mas por que isso acontece?

Quando ouvimos uma proposta de alguém; seja um amigo, chefe ou filho; entendemos que essas pessoas recorreram a nós porque nutrem algum tipo de confiança ou de admiração por nós. O medo de se impor e de dizer “não” está relacionado ao medo de decepcionar o outro, de perder aceitação social e de obter uma imagem negativa em relação aos outros.

Mas convenhamos: se essas pessoas não estão preparadas para ouvir um “não”, elas não estão de fato querendo um amigo, mas sim um “fazedor de favores”. Não se trata de um relacionamento saudável.

Quanto ao filho que te pede um brinquedo, ele é uma criança que precisa ouvir respostas negativas para que saiba lidar com a frustração, adquirindo maturidade ao longo de seu crescimento. Nossas vontades não são sempre feitas, e é de criança que isso é aprendido.

Quando dizemos “não” para propostas ou solicitações que nos foram feitas, estamos estabelecendo limites. Se você é um advogado especializado em direito civil, por exemplo, tem todo o direito de recusar uma proposta de trabalho na área de direito penal, afinal de contas, essa não é a sua área de expertise. Dizer “sim” numa situação para a qual você não se sente seguro pode acabar provocando resultados negativos.

Dessa forma, também podemos afirmar que dizer “não” nos ajuda a definir nossas prioridades. Recusar uma festa para ter um tempo de qualidade com os filhos, recusar uma proposta de emprego para aceitar outra mais vantajosa, recusar-se a fazer um favor se não tiver possibilidade de realizá-lo – todas essas são escolhas que fazemos diariamente.

Aliás, toda vez que dizemos “sim” a uma opção, estamos automaticamente dizendo “não” a todas as outras. Como você pode perceber, a vida é feita de escolhas, e dizer “não” é um processo perfeitamente natural e necessário.

Entenda o medo de dizer “não”

Cada pessoa tem os motivos que a levam a ter medo de dizer “não”, contudo, geralmente esse receio vem da necessidade de agradar para ser aceito. Assim, muitas fazem sacrifícios aceitando coisas que não gostariam apenas para se sentirem incluídas, parte de um grupo, o que representa uma grande dependência emocional. E o problema se agrava quando indivíduos mal intencionados se aproveitam dessa vulnerabilidade para conseguir o que querem.

Para ilustrar, acompanhe o seguinte exemplo: Paulo é um rapaz muito tímido e inseguro que acaba de entrar na faculdade. No primeiro dia, ele chega e escolhe um lugar isolado na sala de aula, próximo à parede e no fundo. Percebendo sua vulnerabilidade, João se aproxima, demonstra desejar fazer uma amizade, mas, na realidade, quer mesmo é obter vantagens e se aproveitar da situação.

Você é feliz?

Paulo se sente feliz, pois antes acreditava que jamais conseguiria fazer uma amizade tão facilmente. Com medo de que João se afaste, aceita tudo o que ele impõe, fazendo trabalhos sozinho e colocando o nome do “amigo”, emprestando dinheiro mesmo sem saber se terá retorno, enfim, coisas que ele não faria naturalmente, mas que faz por medo de ser isolado.

A situação apresentada no exemplo é comum, acontece com muitas pessoas e é altamente nociva, porque o indivíduo inseguro tende a dizer “sim” por medo de ser abandonado e sofrer, porém, acaba sofrendo do mesmo jeito se sujeitando a coisas que não gostaria ou não acham corretas. Vale lembrar que isso acontece mesmo quando não há má intenção do outro lado, mas, quando há, as consequências são ainda piores.

7 Dicas para aprender a dizer não e se tornar uma pessoa segura

Se você se identificou com o exemplo apresentado e encontra problemas para dizer “não”, saiba que sempre é tempo de mudar de atitude e se libertar da insegurança. Confira, a seguir, sete dicas poderosas que ajudarão a fortalecer sua autoconfiança e permitir que fale “sim” e “não” com sinceridade e sem medo de rejeição.

1 – Evite responder de forma automática

Após passar anos da sua vida aceitando coisas que não gostaria por medo da rejeição, é bem provável que tenha se habituado a isso, respondendo sempre no automático. Então, para colocar fim a esse comportamento vicioso, é importante que comece a refletir antes de responder, até mesmo para que se certifique se deseja ou não aceitar. Se for possível pensar rápido, ótimo, se não for, peça tempo para pensar.

2 – Seja claro e direto

Lembre-se que assim como tem o direito de dizer “não”, também não precisa ficar se justificando. É claro que, quando há uma proximidade maior com a pessoa que fez o convite, é natural dar uma justificativa, mas isso não significa que precise ficar se desculpando. Responda de forma clara e direta, claro, sempre com educação, mas sem fazer muitos rodeios.

3 – Saiba separar a recusa da rejeição

Um dos principais pontos para aprender a dizer não é ter a consciência de que irá recusar uma situação e não uma pessoa. Se um amigo te chama para um programa e você não está com vontade de sair, ao recusar você estará dizendo “não” para aquele convite e não para o amigo e o relacionamento que possuem. Aprenda a separar as coisas e tudo se tornará mais leve.

4 – Sugira formas de adaptar os compromissos que desejar aceitar

Vamos supor que surja um convite que você queira aceitar, mas que precisa realizar outra tarefa no mesmo horário, em vez de sacrificar o compromisso anterior, sugira uma adaptação. Por mais que para muitos isso pareça simples, a verdade é que para pessoas inseguras é um grande desafio. Se isso te parece desafiador, faça uma vez e, ao ver que é simples, irá se habituar cada vez mais a realizar negociações.

5 – Jamais se sinta culpado ao dizer “não” para seu filho

Um ponto extremamente importante a ser considerado está relacionado ao ato de dizer “não” para crianças. Muitos pais encontram essa dificuldade porque associam o “sim” ao amor, e a verdade é que educar envolve colocar limites. Portanto, reflita a respeito disso e tenha em mente que quando nega algo ao seu filho, o faz porque sabe que aquilo não será bom para ele.

6 – Defina limites nos seus relacionamentos

Cada indivíduo é um universo e se relacionar envolve visitar o mundo do outro, mostrar o seu e ambos se adaptarem. Todo relacionamento precisa de limites, para que um entenda até onde pode ir sem magoar, ferir ou invadir. Deixe claro aos seus amigos, familiares, colegas de trabalho e seu par quais são os seus limites e respeite também os deles, isso gera equilíbrio e mantém as relações saudáveis.

7 – Seja sempre verdadeiro consigo mesmo

Por último, antes de querer agradar terceiros, tenha sempre como prioridade ser verdadeiro consigo mesmo e fiel aos seus valores. Se conhecer, saber o que você acha certo ou errado e deseja para a sua vida permitirá que tenha mais segurança para dizer “sim” e “não” sem medo de ser rejeitado. Então, através dessa postura assertiva, saberá diferenciar são os seus verdadeiros amigos daqueles que te procuram apenas por conveniência e interesse.

Conceda favores às outras pessoas na medida das suas possibilidades, sempre levando em conta a sua vontade. Embora, em um primeiro momento, essa pareça uma resolução egoísta, trata-se de uma medida de autopreservação e manutenção da autoestima. Tenha coragem de ser você e aqueles que te amam verdadeiramente saberão valorizar isso. Lembre-se, o seu tempo é tão valioso quanto o das outras pessoas.

Se gostou, deixe o seu comentário e compartilhe o artigo em suas redes sociais!

Copyright: https://www.shutterstock.com/home

Fontes:

https://psychcentral.com/lib/learning-to-say-no/

https://www.inc.com/jonathan-alpert/7-ways-to-say-no-to-someone-and-not-feel-bad-about-it.html

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: