Perceba Humor em Suas Ações e Experimente Sorrir Mais!

Por: José Roberto Marques | Blog | 10 de dezembro de 2016
Amigos sentados ao ar livre e sorrindo felizes

Ivanko80/Shutterstock Sorri é um elixir da juventude e traz paz e bem-estar e aumenta o bom humor

Segundo o grande pensador alemão Goethe, o humor é um indicador do equilíbrio. O que são humor e equilíbrio para você? O quanto você busca e dá valor a fim de atingir uma vida equilibrada e bem-humorada? É possível ter bom humor e equilíbrio em um meio estressante e desgastante? Em uma escala de 0 a 10, como andam o seu equilíbrio e bom humor? Seja qual forem suas respostas, é certo que humor e equilíbrio promovem nossa qualidade de vida. Falemos um pouco sobre isso.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, qualidade de vida é a percepção que o indivíduo tem sobre sua posição na sua existência. É a forma como cada pessoa pode e escolhe viver, e vai muito além de ter saúde física ou mental. Ter qualidade de vida significa estar bem consigo mesmo e com as pessoas, ter equilíbrio entre o pessoal e o profissional.

A qualidade de vida pode variar de acordo com as necessidades e desejos de cada pessoa. Isso porque alguns indivíduos encontram a felicidade e equilíbrio mental em poucas coisas, como passar mais tempo com a família ou ter noites de sono tranquilas, enquanto outros são mais “exigentes”. Dito isso, voltemos ao humor. Achar graça dos acontecimentos, sorrir ou gargalhar é, comprovadamente, essencial para termos qualidade de vida. O humor se relaciona também com as crenças que possuímos, pois elas nos impedem ou nos estimulam a perceber o mundo com leveza e graciosidade.

Como encontrar humor em nossas ações?

Para encontrarmos humor em nossas ações, devemos atribuir um novo sentido à frase “Não leve seus pensamentos tão a sério”, citada no tópico anterior. Desta vez, vamos recorrer novamente à ressignificação, voltada para o aspecto jocoso ou cômico dos nossos pensamentos, memórias, experiências, ações etc. Ao invés de se martirizar por ter enrolado a língua naquela reunião da empresa, pense que pôde quebrar o gelo da seriedade da situação e se lembre da “gafe” com risibilidade.

Um colega está sendo impertinente e você acredita que a irritação está tomando conta de você? Se imagine como uma terceira pessoa observando a situação e se divirta com os disparates que está ouvindo e com o modo como você, tolamente, ruboriza de raiva. Acha um tormento tomar seus remédios diariamente? Imagine que são balinhas e que vão te fazer bem. Levou um tombo em público? Dê risada.

Os benefícios do humor são imensuráveis. Além de nos ajudar a ter uma sensação de esperança, o riso libera endorfinas em nosso corpo, diminui o stress, fortalece o sistema respiratório, relaxa a mente, é benéfico para o sistema circulatório, melhora nossa imunidade, equivale a um exercício físico e, além de tudo, ajuda a nos integrarmos uns com os outros, porque parecemos mais gentis e atraentes quando somos bem-humorados. Quantas vezes você ri por dia? A média aponta que crianças riem centenas de vezes, ao passo que adultos, infelizmente, somente vinte vezes ou menos.

Path Adams e a Cura pelo Riso

Um novo ramo da medicina, a Psiconeuroimunologia, se debruça justamente sobre como as emoções influenciam na fisiologia das pessoas. Um sistema de crenças e valores negativo causa ao indivíduo a psicossomatização, isto é, o adoecimento a partir do conteúdo cognitivo. Emoções negativas, como cólera e tristeza profunda, podem causar todo tipo de enfermidades, de uma simples afonia temporária a um câncer. Caso nunca tenha assistido, recomendo o filme Patch Adams – o amor é contagioso (1998).

Baseada em fatos reais, a película conta a história de Hunter Doherty Adams, um estudante de medicina que tem consciência da importância do humor na cura das pessoas. Ao longo da trama, ele enfrenta várias retaliações advindas do alto escalão da medicina tradicional: profissionais tradicionalistas e frios. Atualmente, Adams é mundialmente respeitado e possui sua própria instituição, o Instituto Gesundheit, onde palhaços tratam dos pacientes através de suas travessuras, de modo similar ao dos Doutores da Alegria, no Brasil.

Se simplesmente nos deixarmos levar por influências contraproducentes, o mundo fará com que nos tornemos pessoas apáticas, gélidas e sem senso de humor. Crenças do tipo “preciso sofrer para ser recompensado”, “a vida é dura” e “o sucesso é para poucos” só agravam essa situação. A verdade é que todos queremos rir mais, ter liberdade, prosperidade, prazer, poder sorrir e receber sorrisos. Enfim, somos humanos, então queremos ser felizes. Adote a crença de que é possível, pois ela é verdadeira, e, como já sabe, isso se tornará realidade em sua vida.

Deixe seu Comentário: