sentimento-vs-emocoes

Identifique a Diferença Entre Sentimento e Emoção

Por: José Roberto Marques | Blog | 27 de novembro de 2017

A forma como um indivíduo se sente, determina como ele irá agir. Conhecer os seus sentimentos e entender como eles geram as emoções que sente é um dos principais caminhos do autoconhecimento. Entretanto, é importante entender a diferença entre sentimento a emoção, para que você consiga compreender a origem deles e tenha maior controle sobre a sua vida, desenvolvendo a chamada inteligência emocional.

Outro benefício que o autoconhecimento traz é a possibilidade de conseguirmos entender melhor outras pessoas. Então, ao invés de se chatear com alguém porque fez algo que não gostou; o ser humano que conhece e diferencia emoções e sentimentos conseguirá ter uma visão diferente e mais positiva. Isso proporcionará uma melhora nos relacionamentos pessoais de todos os tipos, desde os mais próximos até os profissionais.

Tenho um convite especial para você! Quer se conhecer melhor?
Clique aqui, Entenda a si mesmo, Verdadeiramente e na Essência!

Diferença Entre Sentimento e Emoção

É bastante comum vermos o uso das palavras sentimento e emoção como sinônimos, entretanto, no âmbito da psicologia, elas são consideradas diferentes, apesar de terem uma forte relação. Digo isso, porque são as emoções que geram os sentimentos e, eles, por sua vez, podem despertar outros tipos de emoções. Veja, a seguir, o conceito de cada um para entender melhor a diferença.

Emoções: ocorridas nas regiões subcorticais do cérebro, as emoções são capazes de criar diversas reações no corpo, através da liberação de hormônios, alterando o estado no qual o indivíduo se encontra. Basicamente, são reações instantâneas que se tem perante os acontecimentos da vida. Veja como elas ocorrem:

  • São desencadeadas por fatos.
  • Acontecem acompanhadas de reações orgânicas do corpo (suor ou choro, por exemplo).
  • São direcionadas para o exterior e têm relação com a comunicação, pois expressam algo.
  • Muitas vezes são intensas e de duração curta.
  • É possível definir o que desencadeou a emoção.

Exemplos de Emoções:

  • Primárias (Inatas): medo, tristeza e alegria.
  • Secundárias (Sociais): culpa, ciúme e vergonha.
  • Emoções de Fundo: bem-estar, calma e mal-estar.

Sentimentos: encontrados nas regiões neocorticais do cérebro, os sentimentos são formados através de reações geradas de forma consciente pelas emoções. Eles são influenciados, principalmente, pelo histórico de cada indivíduo, o que inclui, suas crenças e experiências vividas. Por isso, cada pessoa tem uma reação diferente perante emoções e, enquanto alguns perdem a calma facilmente, outros conseguem manter a tranquilidade, mesmo perante situações consideradas graves.

  • São resultados das experiências emocionais dos indivíduos.
  • Acontecem no íntimo de cada pessoa e não podem ser percebidos pelo mundo externo.
  • São menos intensos que as emoções, mas possuem uma duração mais longa, podendo perdurar por toda a vida.
  • Não têm uma causa imediata que pode ser definida.

Um bom exemplo para entender a diferença entre emoções e sentimentos é em relação à medo e pânico. A sensação que se tem ao encarar um animal feroz de forma repentina é pânico, pois dura por alguns instantes gera reações no corpo, por isso, é uma emoção. Já o que se sente ao pensar no mesmo bicho é medo, ou seja, um sentimento que se tem em relação a ele.

Com base nos dois conceitos, é possível identificar as principais diferenças. A primeira delas é que as emoções dificilmente conseguem ser escondidas, pois costumam ser visíveis no corpo de uma pessoa quando ela está sentindo raiva, medo, tristeza ou alegria, por exemplo. Além disso, são sensações que têm uma duração mais curta. Quando se trata de sentimentos, eles acontecem na mente, então podem passar despercebidos por outras pessoas e durar muito mais tempo, como é o caso do amor.

O Surgimento dos Sentimentos e Emoções

Pesquisas científicas já comprovaram que os sentimentos e emoções do ser humano começam a existir ainda no útero da mãe. Então, tudo aquilo que é sentido ao redor daquele bebê que está se desenvolvendo é absorvido por ele. Medo, insegurança, alegria, raiva, rejeição, são exemplos de sensações que o indivíduo pode sentir desde o início de sua existência e que serão determinantes na formação de sua personalidade.

Na primeira fase da vida, que vai do útero até por volta de sete anos de idade, uma pessoa irá registrar as emoções vividas, interpretá-las subjetivamente, de acordo com suas experiências, e, então, criar padrões de sentimentos e comportamentos. Um indivíduo que, durante este período, foi encorajado pelos pais sobre suas qualidades, tem grandes chances de se tornar um adulto mais seguro e consciente de seus talentos.

Por outro lado, aqueles que criaram seus padrões de comportamento com base em sentimentos de repressão e rejeição, por exemplo, podem se tornar inseguros e ter problemas de autoestima. A boa notícia é que é possível ressignificar esses sentimentos e encontrar mesmo nestas experiências negativas aspectos que levem ao crescimento, o que se torna possível através do autoconhecimento.

Descubra como anda o grau de felicidade em seus relacionamentos!
Acesse gratuitamente nosso Teste ” O Termômetro da Felicidade”!

A Importância de Diferenciar Sentimento e Emoção

O autoconhecimento facilita a relação que um indivíduo tem com os seus sentimentos e emoções. Quando se entende a razão de sentir angústia, medo ou insegurança, por exemplo, é possível racionalizar essas emoções e impedir que elas se transformem em crenças limitantes, aquelas que te impedem de se desenvolver, seja como pessoa ou profissional e que sabotam sua vida.

A palavra emoção tem um significado, no mínimo, curioso, que é impulso ou movimento. Isso porque as emoções levam um indivíduo a agir, são as reações que se tem perante determinados estímulos. Ao sentir dor, geralmente a reação mais comum é de encontrar uma forma de fazer com que essa sensação pare de acontecer. Quando o ser humano identifica algo como positivo, as emoções sentidas seguem a mesma linha. E, quando a percepção é negativa, as emoções também serão.

Os sentimentos, por sua vez, são mais conscientes e gerados a partir da forma com a qual cada indivíduo processa as emoções que sente. Essa diferenciação é muito importante para ter um maior entendimento sobre o que se sente e canalizar as sensações de forma positiva e consciente. O que se sente não é uma questão de destino, é possível aprimorar sentimentos e emoções para desenvolver novas formas de pensamento, hábitos e comportamentos, ou seja, escolher o que você vai cultivar dentro de si.

Sabendo de tudo isso, numa escala de 0 a 10, o quanto você acredita que conhece a origem de seus sentimentos e emoções? Refletir sobre o que sente é um hábito que pode ser conquistado pouco a pouco, que é capaz de trazer inúmeros benefícios para todos os âmbitos e resultados extraordinários para sua vida.

Copyright: 481499200 – https://www.shutterstock.com/pt/g/adike

Deixe seu Comentário: