metodo-grow

Grow – Foco no crescimento

Por: José Roberto Marques | Blog | 07 de julho de 2018

O Grow é uma ferramenta de Coaching muito importante quando falamos na definição assertiva de metas, como meio para alcançarmos resultados extraordinários. A sigla que em inglês representa crescimento traz quatro preceitos simples e poderosos, pois de forma prática e objetiva, ajudam a fomentar as perguntas poderosas que nos ajudarão a ajudar nossos coachees em sua jornada de crescimento.

No Grow, as metas são definidas em primeiro plano porque são elas que nortearão todas as ações. De modo geral, muitas pessoas começam a se organizar com base na sua realidade atual e não nos seus objetivos. Entretanto, isso pode fazer com que elas fiquem extremamente focadas em seus problemas, buscando apenas formas para resolvê-los e, consequentemente, um tanto quanto desmotivadas por conta disso.

G

Goal (Meta) – o objetivo pode ser definido tanto para aquela sessão de Coaching específica como para alvos de curto, médio ou longo prazo.

R

Reality (Realidade) – significa conhecer bem o seu estado atual e entender quais são os seus desafios.

O

Options (Opções) – consiste em identificar e levantar os recursos, ferramentas, estratégias, mecanismos, alternativas e soluções para os problemas apresentados.

w

What/When/Whom – consiste em definir o que deve ser feito; quando deve ser feito; por quem deve ser feito e o que vou fazer para resolver a questão.

Contudo, este é um processo altamente flexível e inteligente. Ao seguir o Grow mesmo que o primeiro passo seja definir as metas, nada impede que depois de ter analisado melhor sua Realidade, considerados suas Opções e visto o que deve ser feito, como e por quem, por exemplo, você volte ao começo e reavalie se as suas metas estão congruentes com os recursos que dispõe. A Inteligência deste modelo está em poder verificar e analisar cada ponto antes de tomar uma decisão e de agir de forma prática.

G

meta

R

Gerar nos colaboradores uma imagem mais positiva da empresa,

Os colaboradores tendem a ver todas as políticas da empresa como uma forma de

puni-los ou prejudicá-los. Exemplo real: a implantação da política de feedbacks semanais

realidade dos gestores com suas equipes, visto como punitivismo.

O

opções

w

que?

quando?

  1. Revisão dos processos de comunicação da empresa visando esclarecer pontos obscuros gerando menos ruído e percepções
  2. Aproximar por meio de reuniões ou brainstorming as lideranças de suas equipes a fim de construir uma nova percepção sobre o
  3. Implantar um treinamento sobre a cultura do feedback

Ação 1 – realizada em parceria entre a equipe de marketing, operacional e desenvolvimento humano. (primeira reunião a ser marcada pela diretoria)

Ação 2 – a ser realizada por todos os gestores e acompanhada pelo RH. A meta para que política seja implantada imediatamente e acompanhada por meio de ata.

Ação 3 – Cronograma de treinamento a ser divulgada pelo RH na próxima segunda-feira.

Atente-se para um exemplo de como a ferramenta Grow pode ajudar em um planejamento de ações com foco em uma meta específica:

Como sabemos, Coaching tem foco no futuro com ações no presente, por isso as metas são tão importantes para que o coachee consiga visualizar como as transformações e mudanças que está propondo podem ser positivas e benéficas para sua vida. Portanto, pensar além do cenário atual é muito mais motivador e inspirador do que se concentrar apenas no problema para só depois pensar na solução.

Por isso, segundo John Whitmore, mais do que um acrônimo, Grow é, acima de tudo, Consciência e Responsabilidade. Para ele, estas questões devem ser aplicadas para potencializar a tomada de consciência e a responsabilização das pessoas por seus resultados e não para que sejam subjugadas. Um bom líder, por exemplo, ao aplicar estas reflexões convida a sua equipe a fazer parte de algo maior, a pensar sobre como pode contribuir e não simplesmente coloca nela o dever de conseguir as metas.

Deixe seu Comentário: