Dinâmica da Empatia – É Hora de se colocar no lugar do outro!

Por: José Roberto Marques | Blog | 12 de fevereiro de 2017
Equipe de mãos dadas no alto durante dinâmica da empatia

Racorn/Shutterstock Colocar-se no lugar do outro é um dos benefícios da dinâmica da Empatia

Aprender a aceitar o outro com as dificuldades que ele tem; ter empatia é um dom que devemos aprimorar frequentemente. Mais do que um sinal de evolução das nossas habilidades da vida social e em coletividade, é um atributo pessoal que só enriquece quem o possui. No fim das contas, podemos inclusive dizer que essa é uma qualidade a ser desenvolvida e aperfeiçoada durante o processo de Coaching Group.

Se um dos objetivos de todas as formas de Coaching é exatamente desenvolver potencialidades e nos promover a melhor versão de nós, esse trajeto inclui necessariamente um trato a mais nas particularidades com que nos apresentamos na vida interpessoal e nos diversos níveis de relacionamento.

Aprimorar nossa capacidade de sentir empatia pelo outro, nossa capacidade de compreensão das nuances humanas e nosso “jogo de cintura” na incrível arte de lidar com o outro são, portanto, demandas de um projeto de melhoria pessoal.

Quando o Coaching Group aborda diretamente o assunto é um atalho para o caminho que se pretende trilhar. Como resultado dessa dinâmica, tem-se uma reflexão bastante particular sobre as fragilidades que podemos superar, bem como daquelas de todos à nossa volta.

Dinâmica da Empatia

Sem fulanizar as questões, o legado dessa dinâmica acaba sendo uma compreensão melhor sobre problemas que, se não são nossos, bem que poderiam sê-lo. Cada participante deve escrever em um pedaço de papel em branco, que receberá do condutor da dinâmica, alguma dificuldade que encontra no relacionamento interpessoal e que não gostaria de expor oralmente em qualquer ambiente semipúblico.

Todos devem escrever de forma diferente, ou seja, com uma letra que não entregue a identidade do autor, bem como, claro, não se identificar no papel. Em seguida, o coordenador da dinâmica recolhe os papéis entregues e os mistura. Após um sorteio, os papéis são pegos pelos participantes da dinâmica, que assumem como seus, os problemas lá escritos.

O problema é lido em voz alta e uma solução é proposta. A intenção não é fazer perguntas, nem debates. Feitas todas as leituras e sugestões de soluções, o coach deve propor questões ao grupo, tais como: “O outro compreendeu seu problema?”; “Como você se sentiu ao ver o problema descrito?”; “Você compreender o problema do outro?”; e “Como você se sentiu em relação ao grupo?”.

Assim, todos têm a possibilidade de se colocar no lugar do outro, pois entender melhor seus comportamentos e sentimentos é essencial para desenvolver a empatia necessária para a convivência em grupo.

Deixe seu Comentário: