cultura-organizacional-o-que-e

A cultura organizacional segundo Edgar Schein

Por: José Roberto Marques | Blog | 15 de abril de 2019

Nascido em 1928, na Suíça, Edgar Schein é um professor da MIT Sloan School of Management e escritor famoso por seu apoio à área de gestão de pessoas, sendo um dos principais precursores da definição de cultura organizacional. Continue lendo o artigo para saber mais sobre o notável trabalho desse profissional!

O que é cultura organizacional

Vamos começar com o básico, explicando o que é cultura organizacional. O termo nada mais é do que a junção de características que diferenciam uma empresa ou instituição da outra. O exercício constante é fundamental para qualquer negócio que busca alcançar resultados assertivos e rentáveis.

5 características fundamentais

Existem alguns conceitos essenciais que devem envolver a cultura organizacional. Descubra quais são os 5 principais:

 

  1. Integridade: é essencial que as práticas do dia a dia sejam construídas com base na honestidade, ética, respeito, virtudes que formam a integridade. Do contrário, a empresa dá oportunidade para que os funcionários ajam sem considerar a obrigatoriedade da verdade e da preocupação com o próximo.
  2. Coletividade: cada colaborador deve pensar além de si mesmo todos os dias. Isso significa que ele deve exercer a sensibilidade e o altruísmo com os colegas, ajudando em momentos de dificuldade. Que fique bem claro que esse tipo de comportamento está longe de passar a mão na cabeça de quem fez algo errado ou antiético. É importante que cada um assuma a responsabilidade pelo o que fez. Do mesmo modo, é fundamental que você entenda os motivos de cada um e não sai julgando ninguém pelos corredores da firma.
  3. Responsabilidade: falei dessa característica acima e acredito que seja necessário destacá-la também de outra forma. O trabalhador deve exercer suas funções diariamente tendo em mente que qualquer entrega que ele faça é importante e que afeta diretamente nos resultados do time e da empresa como um todo. Esse tipo de sentimento faz parte da responsabilidade que o colaborador deve ter para realizar suas tarefas com produtividade sem perder a qualidade.
  4. Criatividade: essa característica não está conectada somente ao mundo das artes. Não importa qual seja o ramo da empresa em que você trabalha, é fundamental que os funcionários sejam incentivados a serem criativos. Por exemplo, a criatividade pode ajudar na solução de problemas e na otimização de processos.
  5. Proatividade: a empresa deve criar um ambiente em que seja possível ser criativo e também proativo. O funcionário tem que se sentir confortável para sugerir mudanças de procedimento, novas funcionalidades, ideias fora da caixa e muitos outros pontos que cooperam não somente para alcançar os resultados, mas para motivar a todos a fazerem o mesmo.

Quando estes 5 principais pontos são atingidos em uma corporação é mais fácil criar, sustentar e espalhar a cultura organizacional.

O que Edgar Schein apresentou ao mundo

O estudioso Schein defendia que a cultura corporativa é composta por 3 níveis. Conheça cada um deles agora:

  1. Símbolos e comportamentos: estes conceitos dizem respeito a qualquer componente da cultura que seja concreto ou visível por todos os colaboradores de uma organização, tais como a vestimenta, linguagem e comportamentos.
  2. Valores e normas: estes temas estão relacionados a todos os itens importantes que regem e norteiam uma empresa e a todas as regras de comportamento estabelecidas dentro do meio corporativo. Isso vale para as políticas e códigos de ética e conduta.
  3. Pressupostos: este último nível diz respeito a todos os componentes dificilmente reconhecidos dentro do convívio diário entre os colaboradores de uma empresa. Ou seja, são todos os comportamentos inconscientes presentes na mente dos profissionais no ambiente de trabalho. Um exemplo disso são as crenças e regras adquiridas ao entrar na organização, sem que ninguém mencione, aprendidas por meio da convivência e o famoso “tempo de casa”. Edgar Schein acreditava que estes pressupostos têm a capacidade de influenciar diretamente a maneira como um colaborador pensa e age diante de diferentes situações no trabalho.

Todos estes fatores devem estar presentes e são fundamentais para o sucesso de qualquer negócio! Aliás, você notou uma conexão entre eles e as características que falei acima?

5 principais benefícios da aplicação do conceito

A aplicação correta da cultura organizacional é uma forma de desenvolver todo o quadro de funcionários da empresa com ética. Confira quais são os 10 principais benefícios desse conceito no dia a dia:

  1. Capacitação profissional: os colaboradores que têm a oportunidade de trabalhar em uma empresa com uma cultura organizacional bem definida e inclusiva têm mais chance de se desenvolver profissionalmente e até pessoalmente. Mais do que isso, ele é estimulado a investir na sua educação continuada, até podendo solicitar uma verba educacional para isso. O coaching é uma ótima forma de ampliar capacitações e ajudar o trabalhador a alcançar sua melhor versão, sem perder a essência.
  2. Redução de conflito: quando as políticas estão bem estabelecidas e há uma comunicação clara delas, há menos chance de surgir mal entendidos e até brigas entre funcionários.
  3. Administração de demandas: com um cenário mais saudável é mais fácil administrar as atividades, delegar para as pessoas certas e ainda conseguir qualidade e produtividade ao mesmo tempo.
  4. Gerência de processos internos: o item acima contribui diretamente para o melhor gerenciamento dos fluxos internos.
  5. Branding: todas as ações acima cooperam diretamente para a construção da marca no mercado, sendo interessante tanto para o público-alvo quanto para os concorrentes e o resto do mercado.

Como medir os resultados

De que adianta fazer um monte de ações de cultura organizacional e não medi-las depois, não é mesmo? Por isso, é fundamental criar métricas e analisar os resultados. Para isso, é preciso seguir dois passos básicos. Confira quais são:

  1. Planejamento e definição de métricas: o primeiro passo é elaborar um planejamento estratégico com objetivos, ações, cronograma e prazos. Com esse documento em mãos, é possível determinar métricas mínimas e máximas que cada ação deve alcançar.
  2. Aplicação: depois de definir quais são erão as ações e o calendário de aplicação é hora de começar o trabalho! As pesquisas de clima, formulários online sobre liderança, feedback 360° são algumas das ações mais comuns de cultura organizacional. Só não se esqueça de coletar os dados, fazer a verificação detalhada e compartilhar os resultados com todos. Mais do que isso: elaborar planos táticos para sanar os problemas

 

Este artigo foi útil para você? Então lembre-se de curtir e compartilhar o conhecimento!

Copyright: © Depositphotos.com / Wavebreakmedia

 

Deixe seu Comentário: