metaforas-construcao

A Construção das Metáforas

Por: José Roberto Marques | Ativadores Mentais | 29 de janeiro de 2019

metáfora é, conforme os estudos da linguagem, uma forma de atribuir sentido conotativo a algo, ou seja, um sentido que não o comum, cotidiano, cristalizado pelo uso. Metáfora é um termo que no latim, meta significa: algo e phora significa: sem sentido. Esta palavra foi trazida do grego onde metaphora significa: mudança e transposição.

Metáfora é a comparação de palavras em que um termo substitui outro. É uma comparação abreviada em que o verbo não está expresso, mas subentendido.

Eu tenho um convite muito especial para você!
Já ouviu falar sobre coaching?
Trouxe um material completo e gratuito para você baixar agora!Clique aqui!

Esta figura de linguagem corresponde na substituição de um termo por outro através de uma relação de analogia. É importante referir que para que a analogia possa ocorrer, devem existir elementos semânticos semelhantes entre os dois termos em questão.

Quando dizemos, por exemplo, “tenho nervos de aço” estamos tomando de empréstimo algumas características do aço, como o fato de ser um material de extrema resistência, e atribuindo-a aos “meus nervos”.

A construção de metáforas na linguagem é muito utilizada na escrita poética e literária, e sempre está ligada ao sentido, ao significado de um determinado termo. Se por um lado as metáforas auxiliam na construção de uma realidade literária, ficcional, não real, por outro, elas podem ser utilizadas no rumo inverso, do ficcional para o real, de forma que uma determinada história possa ter seu sentido utilizado como reflexão para a vida cotidiana.

Pode ser um tipo de eufemismo, ou de romantização, mas as histórias quebram a frieza das informações. Muitos palestrantes e trainers já descobriram essa forma de se comunicar e, antes de qualquer conteúdo, lançam uma história, seja um caso pessoal, às vezes até familiar, seja um case de alguma empresa, seja uma parábola, um conto enfim… Desde que seja uma estrutura narrativa já se tem a oportunidade de começar diferente.

A amplitude semântica dos contos faz a principal riqueza desse método. Chamo essas histórias, nos meus treinamentos, de metáforas. Realmente existem várias formas metafóricas de se falar sobre um assunto. Não há informação no mundo que, se transformada em metáforas, não atingirão seu objetivo de chegar até as pessoas.

O uso de contos para influenciar no comportamento das pessoas não é algo novo. A prática de contar histórias é tão antiga quanto à própria capacidade de comunicação. Fruto da oralidade e da necessidade de manter uma memória, os grupos humanos sempre cultivaram o hábito de transmitir os grandes feitos de sujeitos e povos.

Muitas dessas histórias encerram com o que os contos infantis chamam de “moral da história”, que se caracteriza por uma espécie de conclusão da narrativa em que as peripécias do personagem suscitem uma reflexão no leitor/ouvinte. Assim, os contos não seriam um mero lazer, mas influenciariam no modo como as pessoas veem e agem no mundo.

Exemplos de frases metafóricas e seus significados

  • Encher a cara – A cara, ou seja, o rosto é a parte do corpo que sempre fica exposta. Assim, quando uma pessoa bebe, não há como esconder a cara que demonstrará a embriaguez.
  • Brincar com fogo – O fogo pode queimar e até matar. Por isso ele é associado ao perigo, ao risco que uma pessoa corre.
  • Cantar de galo – O galo canta para demarcar território, mostrar que está no comando. Quando dizemos que uma pessoa canta de galo essa expressão assume o sentido de que essa pessoa está querendo demonstrar poder, mostrar que manda em algo.
  • Achamos a chave do problema – O problema não é nenhuma fechadura, mas para resolvê-lo (ou abri-lo) o elemento que se diz ter achado é tão necessário quanto uma chave para abrir uma porta.
  • A cruz pode enfrentar a espada – Não se trata, naturalmente, de usar o crucifixo como arma… Quer-se dizer, por exemplo, que a religião cristã, simbolizada pela cruz, pode enfrentar a violência, simbolizada pela espada
  • O doce sabor da liberdade – Enquanto abstração que é, a liberdade não tem sabor nem doce, nem salgado.
  • Queria pintar a casa com uma cor quente – Ninguém se queimará ao encostar numa parede vermelha.
  • Ela me encarou e seu olhar era pedra – A dureza e rigidez da pedra está sendo atribuída ao olhar. Podemos observar que a palavra pedra está sendo usada de forma figurativa e não no sentido literal da palavra.

As Metáforas e o Processo de Coaching

No processo de ressignificação, dentro do processo de Coaching, as metáforas são ferramentas básicas. Para isso, é necessário não só conhecer uma quantidade significativa de metáforas, mas compreender como os mecanismos narrativos desses contos podem atingir as emoções do coachee a ponto de surtir um efeito observável no seu escopo comportamental.

As metáforas motivam não unicamente o comportamento verbal, a fala e a escrita, mas também o comportamento não verbal: os gestos, as emoções, os pensamentos, as experiências humanas em geral.

Na Psicologia e na Sociologia essa utilização é conhecida como Modelagem Simbólica. Sua utilização é extremamente vasta e, a exemplo das metáforas da literatura, tenta-se transferir o sentido de um fato para outro.

Assim, se os contos são utilizados no universo infantil para mudança de comportamento, nada impede que os adultos também tenham seus contos e suas metáforas, a fim de retomar o sentido de algumas práticas. Mais ainda na área da saúde, em que muitas doenças são difíceis de compreender, e seu processo complexo, as metáforas são formas de atuar sobre o otimismo e a ressignificação da situação de enfermidade.

Muitos gostam de explicar as histórias e isso é um erro. A responsabilidade por atribuir sentido a uma narrativa é de quem a ouve. Esse, aliás, é outro trunfo dessa lei maravilhosa da aprendizagem – a possibilidade de, com a mesma história, falar de duas, três ou mais temas diferentes.

Eu tenho um convite muito especial para você!
Já ouviu falar sobre coaching?
Trouxe um material completo e gratuito para você baixar agora!Clique aqui!

Muitas corporações vem utilizando esse poder, de contar sua história, como ferramenta para alavancar um produto, um profissional, um serviço. No marketing chama-se a isso de storytelling, uma ferramenta que ajuda a conectar e engajar pessoas, além de gerar empatia, emoções e conexões em níveis intangíveis que nem sempre conscientemente compreendemos.

As metáforas, no entanto, não partem apenas do coach para o coachee. É preciso também reconhecer as metáforas que as pessoas usam para tentar expressar as sensações desencadeadas por um processo específico. Quem nunca tentou explicar algo com “é como se…”?

Assim, tantos em processos de Coaching como em nossa vida, as metáforas são poderosas aliadas do nosso autodesenvolvimento, pois nos ajudam a ilustrar o que de, outro modo, seria mais difícil explicar. Por isso, enquanto coach procure desenvolver continuamente esta habilidade e conquiste resultados extraordinários na abordagem aos seus coachees.

Créditos da Imagem: Por HAKINMHAN – ID da foto stock livre de direitos: 727839442

Deixe seu Comentário: