Top,View,Shot,Of,Group,Of,Creative,Designers,Discuss,The

6 motivos que explicam por que a propaganda é a alma do negócio

Por: José Roberto Marques | Blog

Circula pelo meio da comunicação a informação de que o ovo da pata é muito mais nutritivo do que o ovo da galinha. Você sabia disso? Mas então, por que todos nós consumimos muito mais o ovo da galinha?  Segundo os profissionais da comunicação, isso ocorre porque a pata é extremamente silenciosa quando bota o ovo, mas a galinha logo cacareja para anunciar o ovo que botou fez ao fazendeiro.

Legal, mas por que estamos falamos de animais num artigo sobre propaganda? É simples! Mesmo com o produto inferior, a galinha sabe vender melhor, pois anuncia a quem quiser ouvir que há ovos no ninho. Já a pata, tendo um produto líder, deixa de comunicá-lo e, com isso, perde popularidade e freguesia.

Por isso, não basta ser o melhor, é preciso parecer o melhor, ou seja, comunicar à sociedade o que você tem a oferecer. Caso contrário, como as pessoas conhecerão o seu produto? Essa é a essência da propaganda!

Conheça os passos que vão te tornar um Líder Extraordinário!
Clique aqui e baixe meu ebook “Leader Coach”! É um presente!

O que é a propaganda?

A propaganda (ou publicidade, embora alguns autores apontem diferenças entre os termos) é a atividade de comunicar a sociedade sobre as soluções que alguém pode oferecer — produtos, serviços, ideias etc. O termo “propaganda” vem do latim, propagare, que significa “propagar” ou “difundir”. Esse conceito começou a ser utilizado pela Igreja Católica, em campanhas para divulgar a sua fé cristã em diversos países.

Apesar das raízes políticas e religiosas, quem ganhou mais poder foi mesmo a propaganda comercial, também chamada de publicidade (neste artigo, empregaremos os dois termos como sinônimos). Esse tipo de comunicação tem o objetivo específico de melhorar a imagem de uma marca, impulsionar as suas vendas e, consequentemente, promover o lucro.

Por que a propaganda é a alma do negócio?

Por mais que trabalhar com propaganda seja uma atividade extremamente criativa, ela é, na verdade, uma área profissional extremamente técnica, desenvolvida com base em muitas pesquisas e estudos para que seja eficaz. Se você deseja saber por que a propaganda é a alma do negócio, confira os seis principais motivos a seguir.

1. Porque ela estuda o cenário da empresa

Quem vê uma campanha linda circulando na televisão ou na internet nem imagina como aquilo tudo começou. A verdade é que a parte mais criativa é o fim de um processo que começa com muito estudo e análise.

A campanha de uma marca de cerveja é completamente diferente da campanha de uma empresa que desenvolve softwares para outras empresas, por exemplo. Os contextos são totalmente distintos, e este é o ponto de partida do trabalho de um publicitário: analisar o contexto.

Por isso, as equipes de atendimento e planejamento mergulham na vida da empresa, analisando a sua história, os seus valores, os seus produtos/serviços, os preços praticados, o seu tipo de cliente, o seu histórico de comunicação etc. Além dessa análise interna, também são pesquisados todos os fatores externos que podem interferir na vida da empresa: mudanças no comportamento do consumidor, ações da concorrência, a dinâmica político-econômica do local no momento, questões naturais etc.

2. Porque ela identifica o problema de comunicação

Depois de fazer essa análise de cenário, tanto interna quanto externa, os publicitários identificam o problema de comunicação que a empresa está enfrentando. Esse “problema” não necessariamente significa algo ruim, como uma crise de imagem, mas algum ponto que precisa ser corrigido ou evidenciado pela comunicação da empresa.

Por isso, um problema de comunicação pode ser desde tirar a marca de uma polêmica (por exemplo: marcas de cosméticos que são acusadas de fazer testes em animais) até simplesmente divulgar o novo sanduíche da rede de fast food. O problema de comunicação é aquilo que precisa ser resolvido pela área para que a empresa possa alcançar os seus objetivos.

3. Porque ela conhece o consumidor

Além da identificação do problema de comunicação, é necessário fazer uma pergunta muito importante: a quem essa campanha se destina? Isso é importante para definir o público-alvo da comunicação, tomando como base o perfil de clientes da empresa. Quanto mais o publicitário compreender quem faz parte desse público, mais eficazes serão as suas escolhas de argumentos, canais de comunicação, linhas criativas, escolhas textuais/visuais, apelos básicos etc.

Você é feliz?

Assim, é importante conduzir pesquisas adicionais para saber se aquelas pessoas que a empresa entende como o seu público-alvo de fato o são. Essas pesquisas precisam ser muito profundas, de modo que a empresa não apenas encontre o perfil demográfico desses indivíduos (gênero, faixa etária, faixa de renda, geolocalização etc.), mas também que seja capaz de traçar um perfil psicográfico (rotina, estilo de vida, carreira, valores pessoais, hobbies, desejos, necessidades, medos, objetivos de vida etc.).

4. Porque ela seleciona os melhores canais de comunicação

O levantamento realizado sobre o público-alvo permite que a equipe de comunicação identifique qual é a melhor maneira de se comunicar com essas pessoas, levando em consideração o seu estilo de vida. Se o público em questão passa o dia trabalhando no escritório, não faz sentido anunciar o produto num programa de televisão matinal, certo?

Entre as escolhas de campanha, há muitas soluções que a área de comunicação pode oferecer: publicidade tradicional, marketing digital, ações promocionais, estratégias de merchandising, patrocínios, promoção de eventos, relações públicas, e por aí vai. Tudo depende do cenário da empresa e do público a quem se destina a campanha.

No caso da publicidade tradicional, é preciso também fazer a escolha dos meios e veículos, sempre justificando as decisões tomadas. A televisão é um meio, em que Globo e SBT são exemplos de veículos. A internet é um meio, em que UOL e YouTube são exemplos de veículos. A mídia impressa é um meio, em que a revista Veja e a Folha de São Paulo são exemplos de veículos.

5. Porque ela argumenta de forma criativa

O ponto principal de uma campanha de propaganda é a escolha dos seus argumentos, ou seja, das ideias que estimularão o público a tomar a atitude que a empresa deseja — a compra de um produto/serviço, no caso da propaganda comercial. Mas quais informações precisam aparecer na campanha para que ela seja persuasiva?

Novamente, tudo vai depender das respostas obtidas nas pesquisas feitas na etapa de planejamento. Se as pesquisas indicam que o que o público de uma marca de carros mais prioriza é o conforto, por exemplo, não vale a pena fazer uma campanha falando sobre design, certo?

Essas informações norteiam todo o processo criativo, que se divide em duas partes: a parte textual (desenvolvida pelo redator, que elabora os títulos, textos e slogans) e a parte visual (desenvolvida pelo diretor de arte, que define as imagens, fontes, cores, símbolos e animações da campanha).

6. Porque ela estabelece diferenciais competitivos entre as marcas

Depois de todo esse processo de pesquisa, planejamento e criação, enfim, a campanha é veiculada e chega ao alcance do público. Nesse momento, a empresa e o time de comunicação precisam ficar atentos para monitorar se a veiculação da campanha está produzindo o efeito desejado no consumidor. Em caso afirmativo, é só dar continuidade à campanha. Em caso negativo, é preciso reformular a comunicação.

Quando o processo é conduzido de forma estruturada e pautada em informações confiáveis, as campanhas de propaganda produzem resultados positivos. Isso permite não apenas que a empresa aumente os seus lucros, mas também que as suas marcas se fortaleçam e obtenham diferenciais competitivos. Por isso, quando o público desejar um carro seguro e confortável, pensará na marca X, mas quando priorizar um design arrojado, imediatamente recorrerá à marca Y, por exemplo.

Assim, a propaganda facilita o processo de decisão de compra, pois dá alma e características humanizadas às empresas e às suas marcas. Isso é essencial para aumentar o faturamento das organizações, mas também para ajudar o público a descobrir quais são as soluções que as empresas oferecem e qual delas é a mais indicada para a sua necessidade.

Como você pode perceber, a propaganda é um instrumento de comunicação extremamente poderoso. É por meio dela que as marcas se conectam com o público e transmitem as suas mensagens, convencendo os indivíduos a agirem da forma X ou Y, de acordo com o contexto.

E você querida pessoa, imaginava que a construção de uma campanha de propaganda fosse assim tão complexa? Qual a sua opinião sobre esta “alma do negócio”? Deixe o seu comentário no espaço abaixo. Por fim, não se esqueça de compartilhar este artigo com os seus amigos, colegas e familiares, por meio das suas redes sociais!

Imagem: Por Jacob Lund

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: