Voltar

A Síndrome da Dependência do Amor Negativo – Parte 1

Publicado em | 0 comentários

VGstockstudio/Shutterstock A Síndrome do Amor Negativo revela como as influências negativas de nossa infância impactam diretamente em nossa vida adulta

Como Coach, atuando há mais de 28 anos do processo de desenvolvimento humano, acredito que o Processo de Identidade é uma das mais poderosas e importantes ferramentas do Coaching. Precisamos saber quem somos, como, por que, para conseguirmos dar mais e maiores passos.

Nesse processo conseguimos captar a grande maioria das informações acerca de comportamentos adquiridos desde nossa infância, e que são características marcantes quando adultos. Neles encontramos comportamentos provenientes do nosso convívio com os pais, bem como do ambiente familiar, são repetição de padrões. Eles podem ser positivos e estimulantes ou negativos e limitantes.

Com esse reconhecimento conseguimos trabalhar de uma forma mais assertiva quanto à eliminação desses bloqueios e limitações, que tem como consequências a falta de autoestima, depressão, síndrome do pânico, entre outros distúrbios, que nos inibem no processo de evolução.

Síndrome da Dependência do Amor Negativo por Bob Hoffman

Assim, adentramos no conceito da Síndrome da Dependência do Amor Negativo, criado na década de 60, pelo norte-americano Bob Hoffman, que explica como herdamos certos tipos de comportamentos dos nossos pais, mesmo que de forma involuntária. Essa adoção de comportamentos provém desde a infância, onde no processo de desenvolvimento a criança adquire traços, atitudes e comportamentos negativos de seus pais, como forma de serem reconhecidas, aceitas e amadas.

Os problemas aparecem quando, ao se tornarem adultos, essas características são utilizadas inconscientemente, de uma forma natural, sem que percebamos. Elas podem custar a felicidade e realização de uma pessoa.

Vale ressaltar que é muito comum as pessoas se reconhecerem agindo como seus pais, inclusive repetindo comportamentos que considera repulsivo. Claro que adotamos comportamentos positivos também, mas são os negativos que atrapalham nossas vidas.

As 3 Reações da Síndrome do Amor Negativo

Bob Hoffman dividiu em três, as reações à Síndrome do Amor Negativo. São elas:

Por adoção: são os traços e comportamentos adotados, de forma espontânea, dos nossos pais. Fazemos isso com a intenção de que eles nos amem mais.

Por rebelião: agindo de maneira oposta a seus pais, vivenciando um conflito interno. Porém, em algum momento o comportamento adotado, que está internalizado pode vir à tona.

Por transcendência: quando os traços negativos são ultrapassados, sem conflitos e sentimentos negativos.

É importante observar que as pessoas absorvem traços negativos para atrair amor e atenção, e em longo prazo o resultado é contraditório, sentimento de culpa, falta de amor próprio, dificuldade em encontrar sua própria identidade.

O autor norte-americano aponta o caminho para eliminarmos esses traços de amor negativo, que é o perdão, pois segundo ele perdoar nossos pais, espiritual, emocional e intelectualmente, e ainda nos autoperdoar é a solução para alcançarmos a paz interior. Perdoar e amar incondicionalmente nossos pais, esse é caminho.

Precisamos ainda ter a compreensão de que nossos pais também já foram crianças e herdaram os traços dos pais dele e assim sucessivamente. Que somos responsáveis por nossos comportamentos, e ao mesmo tempo não somos, assim como dos nossos filhos.

Porém, entendendo como esse sistema funciona, como ele vem, ao longo de anos, sendo passado de geração para geração e de como podemos nos esvaziar dele, contribui de forma significativa para nosso processo de identidade e de evolução como seres humanos.

 

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!