Voltar

3ª Lei da Aprendizagem – Aprendemos Através das Relações

Publicado em | 0 comentários

Photobac/Shutterstock O aprendizado depende da relação empática e harmônica entre o mestre e seus alunos

Podemos começar tratando das relações humanas, essas que se dão entre aquele que aprende e aquele que ensina. Se acreditarmos que o aprendizado é um ato relacional, logo é possível afirmar que essa relação deve ser objeto de interesse de ambos.

Tanto o aluno deve respeitar e admirar seu mestre, quanto o mestre deve demonstrar genuíno interesse no aprendizado e sucesso do seu discípulo. Essa fórmula gerará afeto e humanizará essa relação, abrindo o caminho para resultados extraordinários de aprendizado e experiência de vida.

Todos nós tivemos na escola os professores dos quais gostamos e dos quais não gostamos. Por vezes, as matérias lecionadas pelos professores que não gostamos eram também as matérias em que menos tínhamos sucesso.

Aproxime-se De Seus Alunos

Há algumas fórmulas dos mestres desenvolverem aproximação com os alunos, melhorando o relacionamento e estabelecendo vínculos de aprendizagem. É necessário se aproximar do aprendiz, retirando a capa de supremacia que o saber nos confere.

O mestre deve parecer uma pessoa comum, que só se diferencia dos outros pelo conhecimento. Fale da sua vida, dos seus desafios pessoais, dê exemplos próprios. Isso aproxima e quebra as barreiras existentes.

Podemos pensar, também, no aprendizado relacional levando em consideração a relação que temos com aquilo que está sendo ensinado. Ensinar e aprender; é uma questão de estabelecer vínculos, tanto entre quem aprende e quem ensina, quanto com aquilo que é ensinado e aprendido.

Todos nascemos para aprender, por isso, o aprendizado é facilitado quando temos uma relação com aquilo que está sendo ensinado. Na verdade, epistemologicamente, relacional vem das relações que estabelecemos entre os conteúdos. O adjetivo “relacional” veio da constatação de que, a fim de aprender qualquer coisa, devemos ser capazes de nos relacionar com ela e relacioná-la com a vida, com algo que já nos é familiar.

Se, criamos barreiras, conscientes ou não, sobre determinado conteúdo, nossa relação com ele será sempre de crítica, dúvida, desdém, o que impede que o conhecimento seja gerado. Sem abertura sincera ao novo jamais conseguiremos fazer com que ele faça sentido para nós.

A Importância de Abrir-se Para o Conhecimento

Isso não quer dizer que só aprenderemos o que gostarmos. Isso quer dizer que temos que criar relação com os conteúdos e entre os conteúdos. Muitas vezes é necessário ressignificarmos algumas situações e criarmos um comportamento positivo frente a algumas áreas do conhecimento para que o aprendizado relacional seja possibilitado.

Veja que algumas personalidades nos chamam a atenção e nos abrem caminho para situações novas. Independente da nossa religião ou das nossas filosofias de vida, todos conhecemos Gandhi, Buda, Chico Xavier, Papa João Paulo II.

A simpatia que temos por uma ou outra pessoa nos faz mais abertos a conhecer de onde eles vieram, o que eles acreditavam, quais foram suas missões de vida. Conteúdos que antes eram quase proibidos por nossos valores passam a nos ser mais simpáticos. Tudo isso porque abrimos uma janela no campo relacional, tanto com o outro quanto com o objeto a ser conhecido.

E você, como tem adquirido seus conhecimentos e aprendizados? Comente e compartilhe!

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!