terapia-cognitiva-ansiedade

Terapia Cognitiva Comportamental Ansiedade

Por: Equipe JRM | Ansiedade | 09 de maio de 2019

Muito se fala da Terapia Cognitiva para o tratamento da ansiedade, porém como ela realmente é?

A Terapia Cognitiva é uma forma de psicoterapia que dá ênfase para a influência que têm os nossos pensamentos na maneira em que atuamos ao nosso redor, cotidianamente na nossa vida. A Terapia Cognitiva é um tipo comum de psicoterapia. Nas sessões de Terapia Cognitiva se trabalha com um conselheiro ou médico de saúde mental, o psicólogo. Ao ajudar a tomar consciência do pensamento que ocorre, seja ele positivo ou negativo, esta terapia permite ver com maior claridade as situações difíceis e responder a elas de uma maneira mais eficaz.

Há diversos métodos de Terapia Cognitiva: terapia emotiva racional, terapia racional do comportamento, terapia para viver racionalmente, terapia do comportamento dialético, terapia focada em esquema e organização. Porém, estas terapias têm certas características em comum:

  1. Têm como base a ideia de que somos nossos pensamentos, pois são eles que guiam os nossos sentimentos e nossa conduta, não apenas os fatores externos, mas também as pessoas, situações ou eventos da vida. A vantagem disto é que podemos mudar nossa forma de pensar para sentir e buscar a melhor forma de viver.
  2. Estas terapias são mais curtas e são consideradas as mais rápidas para obter resultados significativos e satisfatórios. O número em média de sessões obtidas pelos clientes vai de 10 até 20. Outros tipos de terapia, como psicanálise, por exemplo, podem ter anos e anos de consultas, fazendo com que o processo seja mais longo. O que faz a Terapia Cognitiva ser tão efetiva é a sua forma de trabalhar, pois são feitas sugestões e associações – quase igual ao Coaching. Basicamente, uma vez que a terapia inicia, a pessoa sempre está em terapia, porque muitos exercícios podem ser feitos por conta dos pacientes.
  3. A relação entre o terapeuta e o paciente é necessária, mas não é o principal. A relação deve ser boa, de confiança; a confiança ajuda demais, mas o principal é que o cliente mude a sua maneira de pensar e este é o ponto principal da Terapia Cognitiva.
  4. A Terapia Cognitiva não diz ao paciente como ele deve se sentir. A Terapia se concentra, tem foco, nos objetivos pessoais do paciente. Ela é estruturada com técnicas específicas e diferentes conceitos são aprendidos e entregues ao cliente em cada sessão. O objetivo principal do tratamento é ajudar o cliente a desaprender suas reações não desejadas e aprender novas maneiras de viver e pensar sobre determinada questão.

Abaixo estão alguns dos problemas de saúde mental que podem ser melhorados com a Terapia Cognitiva:

  • Depressão;
  • Transtornos Bipolares;
  • Transtorno de Ansiedade;
  • Fobias;
  • Transtorno de alimentação;
  • Transtorno de Personalidade;
  • Esquizofrenia.

Como bem sabemos, a psicologia é aquela disciplina encarregada de orientar e ajudar as pessoas que se encontram atravessando algum tipo de problema emocional. A ansiedade é um dos problemas mais comuns que podem aparecer.

A Terapia Cognitiva é uma de várias terapias dentro da psicologia que vêm mostrando ser efetivas para a cura da ansiedade e propõe uma série de técnicas que têm como objetivo curar a ansiedade ou no mínimo controlá-la.

Segundo a Terapia Cognitiva existem 2 tipos de ansiedade. Um dos tipos é a Ansiedade Saudável, que nos ajuda a nos mantermos em alerta diante de algum problema real que possa prejudicar a nossa vida. Graças à ansiedade podemos ficar mais atentos, por exemplo, a uma ameaça de alguma pessoa ou animal. Ela nos mantém mais aptos a proteger-nos diante de algum desastre natural e, quando nós atravessamos a rua, temos uma preocupação em olhar se vem algum carro antes de caminhar.

Porém também existe a Ansiedade Patológica, que, em vez de nos ajudar em uma situação perigosa, ela unicamente nos prejudica. Alguns exemplos de problemas relacionados com a ansiedade seriam a fobia social, a agorafobia, o transtorno de ansiedade generalizada, entre outros.

Algumas das técnicas que são utilizadas nas sessões de Terapias Cognitivas são:

  • Respiração pelo diafragma: esta técnica tem a função de relaxar a pessoa ou você mesmo. Saber respirar de maneira correta traz muitos benefícios para nossa saúde física e psicológica. Quando respiramos de forma adequada, nosso sangue se oxigena e se purifica. Em um nível psicológico, os benefícios que se experimentam ao respirar de maneira correta é a diminuição considerável de nossos níveis de ansiedade e de estresse; nos sentimos mais tranquilos e nossa energia aumenta, e é ótimo para realizar alguma atividade física.

Mas como praticar este tipo de respiração?

  1. Sente em uma cadeira ou encontre um local confortável onde possa manter a coluna ereta;
  2. Coloque uma de suas mãos sobre o seu abdômen e comece a inspirar lentamente e profundamente (tenha atenção para sua respiração não ser muito profunda);
  3. Mantenha por alguns segundos o ar que está inspirando, sentindo como se tivesse aumentado o seu abdômen. Pode segurar por 5 ou 15 segundos, por exemplo;
  4. Expire, solte o ar lentamente, expulsando o ar pela boca sentindo seu abdômen voltando ao tamanho normal;
  5. Necessário repetir este exercício 2 ou 3 vezes ao dia.
  • Relaxamento Progressivo: a técnica de relaxamento progressivo é uma das mais utilizadas dentro do tratamento de ansiedade. Este tipo de técnica está baseado em deixar o músculo tenso, mais “duro”, e depois relaxar cada um dos músculos do corpo, permitindo que a pessoa experimente a diferença entre quando contrai o músculo e o relaxamento. Finalmente a pessoa, contraindo muito cada músculo, irá ter benefícios melhores, pois estará sentindo um relaxamento mais profundo. Esta técnica é utilizada de maneira presencial nas sessões de Terapia Cognitiva. Pode também ser utilizada por meio de sons, como uma meditação acompanhada, mas isto apenas quando a pessoa já sabe fazer o relaxamento de maneira correta.

Os passos para fazer este relaxamento são os seguintes:

  1. Sente-se com as costas retas ou em um lugar confortável e em um ambiente com pouco ruído e luz. Feche os olhos e tente se desconectar de qualquer tipo de pensamento ou preocupação que possa existir no momento. Importante concentrar a atenção nas suas sensações corporais;
  2. Realize o mesmo treinamento sobre a respiração com o diafragma que acontece no exercício anterior;
  3. Busque contrair e relaxar cada um dos seus grupos musculares, podendo começar com os músculos do seu rosto, as mandíbulas, os olhos, o nariz, a boca, a língua, o pescoço, os ombros, os braços, as mãos, o tórax, abdômen, os pés e finalmente as pernas;
  4. Mantenha por uns minutos esse estado de relaxamento muscular e busque na sua mente locais em que você se sente bem, em que há uma paz interior, mesmo que nunca tenha ido neles. É uma viagem com a mente;
  5. Depois, busque ainda manter a concentração na respiração para o relaxamento continuar sendo prazeroso e contínuo.

Esses procedimentos ajudam a controlar a ansiedade, a depressão e também a trazer energia positiva para o seu interior, para sua mente. Muitos dos tratamentos de autoajuda são elaborados por profissionais em saúde ou escritores independentes. Esses livros e treinamentos incluem exercícios baseados neste tipo de psicoterapia. Por isso muitas pessoas buscam com tanta vontade e acreditam na sua utilidade, obtendo resultados positivos.

 

Copyright: 1107423758 – https://www.shutterstock.com/pt/g/photographeeeu

Deixe seu Comentário: