Sad,Dismissed,Businessman,Sitting,Outside,The,Office,After,Losing,His

Quais ensinamentos podemos ter de uma demissão?

Por: José Roberto Marques | Blog

Ser demitido é um momento muito difícil para qualquer pessoa. A perda de um emprego mexe com a confiança em nossas habilidades profissionais, além de despertar preocupações financeiras graves. No entanto, como em toda adversidade, há alguns ensinamentos que podem ser extraídos desse tipo de situação, de modo que saibamos evitar que se repita.

Independentemente de você ter sido demitido por um erro profissional individual ou por uma crise financeira na empresa, o fato é que há lições que podem ser extraídas dessas dores. A seguir, você conferirá 9 ensinamentos que esses momentos podem oferecer. Boa leitura!

Conquiste resultados extraordinários através do Coaching!
Clique aqui e conheça mais sobre essa poderosa metodologia!

1. Ninguém é insubstituível

Profissionais que mostram um bom desempenho em suas atividades ou que já têm anos, às vezes décadas, de dedicação a uma empresa podem achar que estão 100% seguros e que jamais serão demitidos. É fato que essas características são fatores positivos. Contudo, um erro mais grave ou uma grande dificuldade financeira na organização podem, sim, colocar tudo em risco.

Mesmo com competência e anos dedicados à empresa, ninguém é insubstituível. Essa é uma realidade difícil de aceitar no mercado de trabalho atual. Entretanto, é importante que a internalizemos para que possamos nos preparar, caso alguma adversidade surja.

2. A vida profissional exige seriedade

Quando uma empresa contrata uma pessoa, ela está contratando todo o seu conhecimento, as suas experiências, as suas habilidades e as suas competências. É importante que o indivíduo tenha a consciência de que todos esses fatores deverão ser utilizados com dedicação, empenho e responsabilidade no dia a dia de trabalho.

A pontualidade, a assiduidade, a educação, o bom relacionamento com os colegas, o profissionalismo e a qualidade nas tarefas executadas são aspectos essenciais para qualquer colaborador. Se houver falhas da parte de um funcionário em algum desses quesitos, ele não colocará em risco apenas o seu emprego, mas a imagem de toda a instituição. Portanto, a cautela com esses fatores nunca é demais na carreira.

3. É bom contar com uma rede de contatos

Se você foi demitido, perceberá o quanto é importante contar com uma rede de contatos na vida profissional. Essas pessoas poderão o ajudar na reinserção ao mercado de trabalho, no aconselhamento ou mesmo na construção de novas parcerias.

Por isso, mantenha um bom relacionamento com os colegas de trabalho e faça o possível para sair dos seus empregos com as portas abertas. Às vezes, dos lugares que menos esperamos, aparecem as ajudas milagrosas nos momentos de dificuldade na vida profissional.

4. A inteligência emocional ajuda muito nessas horas

Como citamos anteriormente, a demissão é um momento extremamente difícil. Com ela, surgem diversos medos, especialmente sobre a vida financeira, além de questionamentos sobre a própria competência profissional do indivíduo.

Nessas circunstâncias, o importante é aceitar que o que aconteceu não pode ser mudado e tentar extrair o máximo possível de aprendizados desses momentos, de modo que não ocorram novamente. Assim, acolha os seus sentimentos, pois sentir-se frustrado, triste, culpado ou irritado é muito comum.

Permita-se viver esse sofrimento, mas entenda que ele tem hora para acabar. Com resiliência, recomponha as suas forças e prepare-se para retomar a sua carreira em um novo lugar.

5. Existe vida fora daquela empresa

Muitas vezes, acreditamos que não seremos felizes ou competentes em outra empresa, que não aquela em que estávamos. Isso é especialmente comum entre os profissionais que estavam há muitos anos trabalhando numa mesma instituição.

Você é feliz?

No entanto, não acredite nesse tipo de ideia. É claro que é triste sair de uma empresa depois de tanto tempo e de tantas amizades que se construíram. Contudo, saiba que há milhões de organizações no mundo que precisam dos seus talentos e da sua experiência. Certamente, será possível ser feliz e bem-sucedido em alguma delas.

6. É importante nunca parar de estudar

Algumas pessoas que já se estabeleceram num determinado cargo ou faixa salarial podem acreditar que não há nada mais a ser aprendido. Isso é um erro enorme. Em toda área profissional, há novidades na tecnologia, nas pesquisas científicas, nas tendências do momento e no próprio comportamento humano.

Por isso, atualizar os seus conhecimentos é algo que jamais deve ser interrompido. Estude, faça cursos, participe de treinamentos e marque presença nos eventos da sua área. Pessoas que deixam de reciclar os seus saberes ficam para trás e podem ser substituídas por profissionais mais atualizados. Além disso, sem acompanhar as novidades, também ficará muito mais difícil encontrar um emprego novo.

7. Uma reserva financeira faz a diferença

Já que as finanças são uma grande preocupação para quem perde o emprego, fica aqui o ensinamento: construa uma reserva financeira para emergências. Se você chega ao fim do mês com algum dinheiro sobrando, não o gaste com coisas supérfluas.

Em vez disso, construa essa reserva, de modo que, em caso de demissão, você possa manter-se por mais alguns meses até recolocar-se no mercado de trabalho. Isso evita que você tenha que pegar dinheiro emprestado e fique endividado. Segundo os especialistas em finanças, o ideal é que uma reserva de emergência tenha o valor de seis meses do seu custo de vida — ou seja, de 18 mil reais, caso você viva mensalmente com 3 mil reais, por exemplo.

8. Questões profissionais não devem ser levadas para o lado pessoal

Se você for mandado embora por conta de um erro que cometeu, entenda que aquilo não quer dizer que você seja incompetente, mas que você prejudicou a empresa naquele momento, e ela perdeu a confiança em você. Todavia, você não precisa (e nem deve!) perder a confiança em si mesmo. Entenda que erros acontecem e que uma falha profissional não quer dizer que as pessoas do antigo emprego deixaram de reconhecer os seus valores pessoais.

Da mesma forma, se o motivo da demissão foi uma crise financeira na organização, aí é que você não precisa se questionar mesmo. Não leve questões profissionais para o lado pessoal. Uma demissão não faz de você alguém com menos valor. Separe bem os dois assuntos.

9. Um término pode indicar um recomeço mais feliz

“Ser mandado embora naquele momento foi a melhor coisa que me poderia ter acontecido”. Você já ouviu essa frase? Ela não é assim tão rara de aparecer nas conversas informais com amigos ou com familiares. Isso ocorre porque muitas pessoas que perderam os seus empregos tiveram a oportunidade de dar um novo rumo às suas carreiras.

Seja numa nova empresa, numa nova área profissional ou mesmo iniciando um negócio próprio, o fato é que muita gente melhora de vida depois da demissão. No momento em que perdemos o emprego, tudo parece desmoronar. Contudo, é possível recomeçar em um novo lugar, ser mais feliz e até mesmo ganhar mais dinheiro em outras oportunidades.

Portanto, saiba que existe, sim, um lado de aprendizados e visões menos pessimistas sobre as demissões. Lembre-se dos nove ensinamentos acima quando estiver passando por esse tipo de dificuldade. Que elas não ocorram mais em sua vida, mas, se ocorrerem, que você saiba como lidar com essas adversidades!

Se este artigo fez sentido para você, deixe o seu comentário no espaço abaixo. A sua experiência individual pode ajudar muita gente. Além disso, lembre-se de compartilhar este artigo nas suas redes sociais. Leve esta mensagem a todos os seus amigos, colegas, familiares e a quem mais possa precisar destes ensinamentos!

Imagem: Por MIND AND I

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: