comportamento-antissocial

O Que é e Quais as Razões do Comportamento Antissocial?

Por: José Roberto Marques | Blog | 15 de janeiro de 2018

Na sociedade, é bastante comum vermos pessoas sendo chamadas de antissociais por não gostarem muito de sair de casa ou serem tímidas e reservadas. Contudo, é importante destacar que, dentro da área da psicologia, o termo comportamento antissocial tem outro significado. Convido você a continuar acompanhando este artigo para saber mais a respeito do assunto e entender as razões que levam um indivíduo a apresentar essa forma de conduta.

O Que é o Comportamento Antissocial?

O ser humano é um ser social e, embora uns sejam mais extrovertidos e outros tímidos, a verdade é que a interação faz parte da vida e é necessária. Cada indivíduo pode ser membro de vários grupos sociais, o que inclui, por exemplo: família, amigos, vizinhos, igreja, clubes, trabalho e toda a sociedade. Por isso, as atitudes que cada um tem dentro desses grupos causam impactos que podem ser tanto positivos quanto negativos. É importante estar atento.

O ato de manter uma relação amigável e respeitosa com os outros é considerado como um comportamento pró-social, pois promove a união e a boa convivência. Por sua vez, o comportamento antissocial é aquele em que o indivíduo age de forma contrária, causando prejuízo, direto ou indireto, para si e, também a outras pessoas, animais, ao meio ambiente ou a sociedade de uma forma geral.

Atos como violência, desrespeito, mentira, roubo, intimidação e depredação são exemplos de conduta antissocial, pois vão contra a ideia que se tem de vida social positiva e colaborativa. Nesse sentido, um motorista que não respeita as leis de trânsito está agindo de forma antissocial, pois não está respeitando todos os outros indivíduos que estão na rua e colocando-os em risco.

Quando o Comportamento Se Transforma em Transtorno

Dentro dos exemplos que citei de comportamento antissocial, existem aqueles que são crimes e outros que não, mas que, ainda assim, são considerados inadequados pela sociedade. Qualquer pessoa se for parar para pensar em toda a sua vida, talvez identifique algum momento em que tenha praticado algo considerado antissocial, como mentir ou se exaltar com alguém. Contudo, quando são fatos isolados, não demonstram que seja um caso de transtorno.

O chamado Transtorno de Personalidade Antissocial se refere aos indivíduos que têm conduta inadequada com frequência. Para eles, não há o certo e o errado como conhecemos e, além disso, não há a preocupação em respeitar o espaço, as regras e os direitos das outras pessoas. Então, diferente de uma pessoa considerada “normal”, os antissociais não sentem vergonha ou culpa pelas atitudes que têm.

Alguns especialistas atribuem esse transtorno aos chamados psicopatas ou sociopatas, que são aqueles que cometem crimes e não são capazes de sentir arrependimento ou remorso. Contudo, é importante deixar claro que não há um consenso entre a sociedade médica a respeito desse assunto.

Sintomas do Comportamento Antissocial

Existem indivíduos que começam a apresentar sinais de comportamento antissocial ainda na infância, enquanto outros iniciam na adolescência. É necessário destacar que, no início da vida, muitas crianças podem agir de forma agressiva em certos momentos, o que não significa que se trate, necessariamente, de um caso de personalidade antissocial. Muitas vezes, trata-se apenas de uma dificuldade de lidar com os sentimentos, o que pode ser facilmente contornado pelo apoio e orientação dos pais.

O comportamento antissocial se apresenta através dos seguintes sintomas:

  • Impulsividade para agir;
  • Rebeldia;
  • Agressividade ao falar e agir;
  • Violação constante de regras;
  • Envolvimento em atividades perigosas;
  • Isolamento social;
  • Manipulação de outras pessoas;
  • Irresponsabilidade para cumprir com compromissos;
  • Ausência de sentimento de culpa e remorso.

Vale lembrar que não é possível dizer que uma pessoa tem comportamento antissocial por apresentar apenas uma das atitudes citadas, pois é necessário considerar um conjunto de fatores, como a intensidade e a frequência e também ter um laudo de um médico. Por isso mesmo, como se trata de algo bastante delicado, apenas um especialista em psiquiatria poderá confirmar se uma pessoa sofre deste problema e determinar o tratamento mais adequado para ela.

As Razões do Comportamento Antissocial

Assim como no caso de diversos outros distúrbios psicológicos, o comportamento antissocial pode ter tanto origens genéticas quanto ambientais. Nesse sentido, uma pessoa que vem de uma família com histórico desse problema pode vir a apresentá-lo também, ou pode ter origem em traumas, como diversos tipos de abusos vividos na infância, abandono, agressões psicológicas e a falta de estrutura familiar, por exemplo.

Um indivíduo que cresceu em um ambiente negativo e não aprendeu a importância da empatia, tem maiores chances de apresentar o comportamento antissocial. O ato de se colocar no lugar do outro para medir as suas ações é muito importante e deve ser ensinado às crianças desde cedo.

Como Prevenir o Comportamento Antissocial

Quando as causas são genéticas, não há como evitar o comportamento antissocial. Entretanto, oferecer um ambiente tranquilo e seguro para uma criança, com uma criação focada no diálogo, respeito e amor, ajuda a evitar que ela venha a apresentar atitudes inadequadas no futuro. Outro cuidado é manter sempre a atenção sobre ela, a fim de corrigi-la quando cometer algum ato nocivo e mostrar a forma correta de agir.

Em se tratando de adolescentes, é necessário manter os mesmos cuidados da infância, mas, claro, adaptados para a idade, sempre com muito diálogo e compreensão. Quanto mais os pais tiverem uma relação aberta e positiva com os filhos, mais os problemas de desvio de comportamento podem ser evitados ou identificados a tempo de serem tratados com maior eficácia.

Nos casos em que o problema já foi identificado, é importante buscar o apoio e tratamento adequado, que irá variar de acordo com o grau do problema e, também, a idade do indivíduo. Geralmente, os especialistas indicam um conjunto de medidas, para que uma complemente a outra. É fundamental que toda a família ofereça a apoio e esteja unida para que o resultado seja produtivo.

Caso alguma pessoa próxima a você apresente o comportamento antissocial, ofereça apoio e incentive-a a buscar o tratamento adequado. Evite julgamentos, pois eles apenas irão deixar a situação ainda mais delicada do que ela já é. Cada indivíduo tem a sua história e as suas razões de ser, então, ter empatia é fundamental para que o outro possa se tratar corretamente.

Gostou do tema? Aproveite para compartilhar este artigo em suas redes sociais e levar a informação para que mais pessoas possam entender esse problema e aprender como lidar com ele de forma mais assertiva. Compartilhe!

Copyright: 556717216 – https://www.shutterstock.com/pt/g/antonioguillem

Deixe seu Comentário: