temer-proprio-medo

Nada a temer a não ser o próprio medo

Por: José Roberto Marques | Medo

Você já sentiu medo alguma vez em sua vida? Posso responder por você, e por todas as pessoas que habitam esse mundo, que sim. Todos nós estamos suscetíveis a esse sentimento, afinal, é uma reação natural do nosso corpo e que ocorre de maneira involuntária.

Longe de ser um sinal de debilidade ou fraqueza. É normal que possamos nos sentir coagidos, inseguros, ameaçados e aflitos perante situações que possam se opor ao nosso instinto de segurança e sobrevivência.

Observe ainda que é uma questão bastante subjetiva, pois o medo se manifesta diferentemente de pessoa para pessoa. E não falo apenas do modo como as pessoas reagem mas também das circunstâncias que são a origem do medo.

Em estudo recente realizado pelo instituto de pesquisa americano Pew Research Center, constatou-se que 79% dos americanos têm grandes preocupações relacionadas a “propagação de doenças infecciosas”, enquanto 73% se preocupam com “ataques terroristas” e 71% com “mudanças climáticas”.

Esse são medos que assolam a sociedade e trazem grandes preocupações. 

Mas quando voltamos e lembramos da subjetividade do medo também nos lembramos de outras causas, causas mais ligadas a nossa individualidade como:

Insegurança

Falar em Público

Lugares Fechados

Fracasso profissional

Futuro

Apesar de ser um sentimento importante para a nossa vida, existe um grande risco que ele tome conta dela e te impeça de ir adiante, de conquistar coisas grandiosas. Pode te impedir, até mesmo, de ser feliz.

Por isso é importante que você lute contra tudo aquilo que te impeça de viver uma vida plena, completa e com propósito.

Te convido hoje a conhecer mais sobre o medo.

E te convido também a conhecer mais de si mesmo.

Principais causas do medo no Brasil

Em 2019 o Instituto Datafolha buscou a resposta para a seguinte pergunta “Qual dessas situações lhe provoca mais medo?”

Para isso foram entrevistadas aproximadamente 2100 pessoas e foram obtidos os seguintes dados:

 

  • 27% temem sofrer de algum tipo de câncer
  • 14% ficar desempregado
  • 12% sofrer um assalto
  • 8% divide em: sofrer um AVC ; ficar sem dinheiro; ter sua casa destruída
  • 7% ter HIV
  • 5% ser atropelado/ tornar-se viciado em drogas ou álcool
  • 1% se divorciar

 

Por intermédio desses dados podemos perceber que muitos dos medos estão associados a saúde, segurança e futuro.

E você? O que mais teme? Você sabe lidar com esse medo?

Reflita!

Afinal de contas, o que é o medo?

O medo é uma sensação, uma emoção que nos gera um estado de alerta, um alerta de perigo e que pode ou não nos impedir de realizar alguma ação.

Perceba que, afinal de contas, tudo que buscamos, inconscientemente, é o nosso bem estar, buscamos proteger a nossa vida e desse modo o nosso corpo e mente respondem, de modo involuntário, por intermédio de inúmeras reações. Reações essas que constituem o que chamamos de medo.

Conseguiu perceber como isso é espontâneo? Entenda que o medo tem uma grande importância em nossa vida, até porque, caso ele não existisse, a tendência é que nos colocaríamos em situações muito mais perigosas.

Para exemplificar, imagine que se o medo não existisse, poderíamos atravessar as ruas sem olhar para os lados, poderíamos ignorar avisos de segurança em locais que possam gerar algum perigo para as nossas vidas e inúmeras situações potencialmente nocivas.

Isso torna o medo um importante aliado em nossas vidas.

Mas é importante ficar atento, afinal de contas, o medo pode nos impedir de realizar muitas coisas.

Desse modo, resolvi falar com você sobre as situações onde o medo ultrapassa a barreira da normalidade e prejudica no desenvolvimento de nossas vidas, tanto pessoal quanto social.

Tipos de medo

Em se tratando de saúde mental, existem medos que são potenciais agentes nocivos para a nossa vida. Esses medos deixam ultrapassam o limite daquilo que entendemos como aceitável, ou até mesmo, o que entendemos como uma situação normal.

Afinal, assim como a ansiedade e o estresse, o medo tem um importante papel em nossas vidas, e até certa medida, é uma situação cotidiana e cabe dentro da naturalidade de nossa existência.

O que vamos abordar, nesse texto, é o medo sob duas óticas distintas.

O medo como questão clínica, saúde mental, podendo gerar inúmeros problemas para a saúde física e mental da pessoa.

E as consequências geradas por eles na sua vida pessoal e profissional.

Quando o medo se torna muito grande e desproporcional à sua origem ele se torna o que chamamos comumente de fobia.

Tipos de Fobia mais comuns – Saúde mental

 

  • Claustrofobia – Medo de espaços curtos, ambientes fechados. 
  • Hematofobia – Medo exagerado em relação ao sangue.
  • Agorafobia – Medo relacionado ao aqui e agora, ou seja, a pessoa sente um medo exacerbado do local onde ela se encontra, daquele momento.
  • Zoofobia – Medo de animais, de modo geral, seja quais forem, até mesmo os dóceis.
  • Aracnofobia – Medo exagerado de aranhas.
  • Acrofobia – Medo exagerado de altura.

Consequências geradas pelo medo

São inúmeras as consequências que o medo pode causar em nossas vidas. Pode ser que isso ocorra com pouca frequência ou pouca importância, fazendo dessa emoção uma espécie de porto seguro, que nos ajuda a refletir e pensar em nossas decisões a ações mais arriscadas.

Você é feliz?

Entretanto, existem casos onde o medo se torna um grande vilão. Impedindo que possamos prosseguir rumo ao desenvolvimento de nossas vidas.

Segue algumas consequências que o medo pode gerar em nossas vidas.

  • Insegurança pessoal
  • Baixa autoestima
  • Problemas de saúde física e mental
  • Grandes incertezas na tomada de decisões, pessoais e profissionais
  • Falta de propósito

Sintomas do medo

Quando o medo atinge proporções muito grandes ele pode dar origem a crises de ansiedade e pânico, além disso, o medo por si só, já é responsável pelo surgimento de vários sintomas que acometem tanto nosso corpo quanto a nossa mente.

Saiba quais são os principais sintomas:

Principais Sintomas

  • Falta de Ar
  • Aceleração do ritmo cardíaco
  • Sudorese
  • Tremores
  • Formigamentos
  • Tonturas
  • Desmaio
  • Sensação de proximidade da morte
  • Sensação de enlouquecimento
  • Fraqueza
  • Náusea
  • Dor no peito

São inúmeros não é mesmo? E ainda existem mais. A questão é, qualquer um desses sintomas pode prejudicar e muito a nossa qualidade de vida.

Portanto é ideal que possamos nos prevenir para que isso não ocorra, e também obter ferramentas que possam ser usadas no combate de situações onde o medo pode se tornar nocivo para a nossa saúde.

Portanto, resolvi separar um material com algumas dicas importantes que farão toda a diferença na sua qualidade de vida e te ajudarão a enfrentar os seus medos.

Dicas para superar os seus medos

  • Orientação médica

Antes de mais nada é preciso avaliar bem a situação, afinal, se você tem a suspeita que o medo tem assumido controle da sua vida, e inclusive, têm adotado características que fogem da normalidade e afeta gravemente a sua qualidade de vida, é bem provável que você esteja passando por um quadro clínico relacionado ao estresse, ansiedade e até mesmo a depressão.

Se esse for o caso você deve buscar ajuda especializada, sendo na figura do médico ou do psiquiatra, para que possam realizar um diagnóstico e dar início ao tratamento.

  • Autoconhecimento

Através do processo de autoconhecimento nós conseguimos extrair informações que são essenciais para nosso aperfeiçoamento pessoal e profissional. Quando realizado da forma correta, ele consegue agir tão profundamente em sua consciência que tem o poder de atuar no inconsciente, trazendo à tona questões fundamentais que direcionam muitas de nossas ações sem que percebamos.

Identificar e compreender nossos medos é o primeiro passo a fim de ter a capacidade de enfrentá-los.

  • Meditação

Através das práticas meditativas é possível controlar e regular melhor suas emoções, sendo assim, uma habilidade imprescindível para quem deseja ter uma consciência maior de si mesmo e identificar e combater os males que podem acometer a sua mente.

Além disso, é cientificamente comprovado que a meditação reduz os níveis de estresse, ansiedade, alivia dores tensionais, e também promove uma alteração positiva no humor, melhoria nos relacionamentos além de inúmeros outros benefícios que ratificam a prática de meditar como uma excelente escolha para combate ao medo.

Propicia também uma melhora significativa na sua respiração, aplicando sobre consciência sobre a mesma.

  • Pense positivamente

A capacidade de enxergar as coisas de modo diferente, sob uma nova perspectiva, pode ser incrivelmente eficaz no combate ao medo. Afinal, a partir do momento que temos uma visão mais positiva, bem humorada e gentil, tudo isso passa a reverberar em todos os demais pontos de nossa vida.

Perceba que, em momento algum a psicologia positiva pretende negligenciar os problemas, ignorando-os. Ela pretende estabelecer uma ótica otimista sobre o momento em que você vive, seja quais forem os obstáculos. Ela permite que você identifique um prazer em viver a vida, de modo mais leve e agradável.

Esse modo novo de viver terá total influência na sua vida, pois irá impactar nas suas atividades diárias, bem como nos seus relacionamentos, te orientando a caminho do seu real propósito de vida.

  •  Hábitos saudáveis

Ter uma vida regrada, adotando práticas que possam contribuir para sem bem estar físico e mental, é uma dica poderosa no combate ao estresse, a ansiedade e vai te auxiliar no enfrentamento dos seus medos.

Isso porque essas práticas contribuem e fortalecem seu corpo e mente. É como dizem, corpo são, mente sã. Isso te dar vitalidade, além de um genuíno e verdadeiro prazer em viver a vida. 

Quer saber o que fazer para que isso ocorra? Confira algumas dicas:

  • Prática de exercícios
  • Alimentar-se de forma saudável
  • Dormir melhor
  • Estar em conjunto com pessoas que lhe fazem bem
  • Gerir de forma organizada suas atividades cotidianas
  • Realizar atividades ao ar livre, lembrando a importância do sol no que diz respeito à produção de melatonina e serotonina.
  • Evitar o uso de álcool e substâncias químicas que podem dar origem a crises de ansiedade e pânico.
  • Compartilhe os seus medos

Falar com seus amigos e familiares e pessoas de confiança, que te amam, sobre seus medos, inseguranças, vulnerabilidades, é um modo bastante eficaz de desabafar, além disso é capaz de gerar um sentimento de empatia vindo por eles.

Esse sentimento, definitivamente, irá se reverter em apoio e gestos de carinho bondade. No fim das contas você irá perceber que não está sozinho e ainda conquistou fortes aliados que irão te ajudar no combate.

  •  Confie no seu potencial

Todas as dicas que ofereci a cima de nada valerão se você não acreditar e confiar em si mesmo. Lembre-se, somos todos seres incrivelmente extraordinários, dotados de uma luz infindável e capaz de romper quaisquer tipos de barreiras.

Acreditar em si é mais do que ter uma visão otimista da situação, é crer verdadeiramente que todos somos capazes de feitos extraordinários. Portanto, nunca duvide de sua capacidade. Em dados momentos precisaremos de ajuda sim, para nos reerguer. Mas, até para isso, é necessário o primeiro passo, e ele só pode ser feito por uma decisão que parte de você.

Uma metáfora PODEROSA sobre o MEDO

José Roberto Marques

Sobre o autor: José Roberto Marques é referência em Desenvolvimento Humano. Dedicou mais de 30 anos a fim de um propósito, o de fazer com que o ser humano seja capaz de atingir o seu Potencial Infinito! Para isso ele fundou o IBC, Instituto que é reconhecido internacionalmente. Professor convidado pela Universidade de Ohio e Palestrante da Brazil Conference, na Universidade de Harvard, JRM é responsável pela formação de mais de 50 mil Coaches através do PSC - Professional And Self Coaching, cujo os métodos são comprovados cientificamente através de estudo publicado pela UERJ . Além disso, é autor de mais de 50 livros publicados.



*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Deixe seu Comentário: