privacidade

Exemplos de Invasão de Privacidade no Ambiente de Trabalho

Por: José Roberto Marques | Blog | 17 de março de 2018

Duvido que exista alguém que gostem de ter sua intimidade profissional e ou pessoal exposta sem o seu consentimento. Quando falamos em invasão de privacidade no ambiente de trabalho, precisamos ser cautelosos para saber diferenciar o que é ser invasivo ou não.

Para isso, é preciso que o funcionário que julgou se sentir prejudicado de alguma forma, tenha conhecimento do código de ética da organização. Possuir essa informação é importante para distinguir o que é ou não é um comportamento incorreto ou mesmo ilegal.

Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe o texto para saber mais sobre o assunto e aprender proteger suas particularidades.

Como diferenciar o que é assunto público ou privado

Muitas vezes, no ambiente empresarial as pessoas não entendem a diferença entre o que é público e privado. Essa falta de conhecimento pode ser o fator primordial para que alguém quebre uma regra e invada a intimidade de outra pessoa no ambiente de trabalho.

Se, por exemplo, o líder tem acesso ao e-mail do colaborador e, este considera isso uma invasão, é importante reavaliar a situação. É o momento de analisar se a atitude é permitida pela política interna da empresa ou não. Caso não seja legal dentro da organização, é o momento de ter uma conversa franca com o líder. A discussão deve ser saudável: a pessoa que se sentiu mal deve explicar seus motivos, assim como aquele que cometeu a ação. Se não isso der certo, já é hora de entrar em contato com a área de Recursos Humanos (RH) e fazer uma denúncia.

Cada corporação tem o direito de desenvolver uma política interna que serve como um documento para que os colaboradores sigam os tópicos no dia a dia. O guia deve ser explicado a todos os funcionários, sejam novos ou não, e pode ser revisado regularmente, já que a sociedade e a comunidade da empresa estão em constante mudança.

Mesmo que cada organização tenha seu sistema de regras e normas internas em relação à privacidade dos colaboradores, vale lembrar que todas elas, independentemente de seu porte ou segmento, são passíveis de sofrerem sanções legais quando desrespeitam as leis constitucionais do País. Isso quer dizer que o código de ética da corporação não está acima da lei. Caso a organização, contrarie nossa legislação, pode ser processadas judicialmente tanto pelo funcionário que se sentiu lesado e exposto, quanto pela própria justiça, na defesa do bem coletivo e individual. Dica: antes de sair por aí processando a tudo e todos, procure reunir as políticas da empresa e as provas do acontecido. Depois, entre em contato com um advogado. Esse será o profissional ideal para lhe aconselhar corretamente sobre todos os passos que devem ser seguidos.

10 exemplos de condutas de invasão de privacidade

Agora vou destacar algumas condutas que podem ser consideradas como invasão de privacidade. Confira!

  1. Instalar câmeras de vigilância em locais privados como banheiros.
  2. Fazer com que o profissional passe pelo detector de mentiras. Isso talvez não seja válido para quem trabalha em organizações de inteligência.
  3. Instalar escutas eletrônicas sem o conhecimento de todos os profissionais envolvidos. Não importa o local: salas de reunião, mesa de trabalho ou até celular, é preciso pedir permissão primeiro.
  4. Monitorar de chamadas telefônicas, salvo aquelas que são feitas com clientes. No caso de quem trabalha com telemarketing, por exemplo, é comum que os líderes de célula escutem as ligações para avaliá-las.
  5. Fazer revistas de bolsas na entrada e na saída da empresa.
  6. Fazer revista íntima em qualquer momento.
  7. Cometer atos de assédio moral ou sexual são formas de invasão do espaço íntimo da pessoa.
  8. Usar informação pessoal como moeda de troca para conseguir promoção ou se manter no trabalho. Isso é chantagem!
  9. Pegar e ou mexer no celular, computador, documentos ou coisas da mesa do colega sem autorização prévia. Mesmo que os dispositivos sejam corporativos é essencial pedir aprovação antes independentemente do nível hierárquico.
  10. Revelar salário e bonificações dos colegas, caso o colaborador tenha acesso a essas informações. Geralmente, o profissional do departamento pessoal tem esses dados. Eles devem ser éticos e guardarem esse relatório apenas para as partes competentes.

Como você pode perceber, esses são comportamentos que extrapolam totalmente a linha do bom senso. Nunca viu nenhuma dessas atitudes acontecerem no local em que você trabalha? Que bom! Infelizmente, muitas pessoas já viram ou foram vítimas desse tipo de conduta.

Direitos e deveres corporativos

Você sabe quais são seus direitos e deveres enquanto empregado da empresa em que está agora? Além disso, você sabe quais são os direitos e deveres da organização para a qual trabalha? Ter conhecimento desses tópicos é essencial para entender se sua índole está de acordo com a cultura da empresa. E também para saber se algo fora do combinado está acontecendo.

As empresas têm o direito e dever de zelar por sua cultura e fiscalizar a execução de suas normas internas. Afinal, o guia de ética é uma forma de fazer com que todos os colaboradores sigam as regras básicas que irão ajudar a todos a cumprirem com os valores e a missão da corporação.

Por outro lado, isso não dá o direito da organização constranger ou mesmo de espionar seus funcionários. Além de contraditórias, algumas dessas atitudes são ilegais. Elas podem tanto gerar problemas emocionais nos colaboradores, como também sanções à empresa, que pode ser penalizada judicialmente pelo comportamento invasivo. Fique atento ao que está acontecendo em volta. Respeite a privacidade dos seus colegas e não deixe que invadam a sua!

O que fazer caso invadam minha intimidade na empresa

Conversar com o seu gestor é o primeiro passo para conseguir resolver a situação. Caso isso não funcione, é o momento de procurar pelo RH. E, se depois de tudo isso você ainda estiver com problemas, procure pela justiça. Minha recomendação é evitar ao máximo sair da esfera da sua empresa. Tente com todas suas forças resolver o problema com as pessoas da organização. Esse pode ser o caminho menos cansativo e mais rápido.

O melhor caminho é sempre aquele que envolve o respeito e a conciliação. Para conseguir esse ambiente saudável, basta que a organização crie regras claras, que atendam suas necessidades e anseios, mas que acima de tudo, respeitem os seus profissionais. Afinal, são eles que cooperam para que a empresa cresça no dia a dia. Lembre-se disso e tenha sempre bom senso!

Comente se ainda há mais alguma ação de invasão de privacidade que você conhece e não escrevi por aqui!

Copyright: 587575499 – https://www.shutterstock.com/pt/g/adiruch

Deixe seu Comentário: