dinamicas-autoestima

Dicas de dinâmicas de autoestima

Por: José Roberto Marques | Blog | 23 de agosto de 2019

A autoestima é a valorização que uma pessoa dá para si mesma, autorizando uma onda de confiança que pode ser transmitida por meio de pensamentos e ações. Faz parte da autoestima se reconhecer como realmente é, valorizando a si mesmo, história, qualidades, competências e habilidades. Quando está em alta, consequentemente, tem mais chances de ter sucesso ao trabalhar a autoconfiança. Tanto no âmbito pessoal como profissional, é fundamental desenvolver a autoconfiança, a automotivação e desenvolver uma postura mais positiva em relação à vida. 

Pessoas com autoestima equilibrada se relacionam melhor, têm poder de decisão sobre os próprios caminhos e se sentem mais capazes de superar e vencer os desafios. Isso não quer dizer que a pessoa seja perfeita, é apenas uma trilha que ela encontrou para trazer para a superfície tudo que há de melhor dos seus comportamentos e reflexões. 

Quer desenvolver ainda mais sua autoestima?
Acesse o “Detox da Mente” e descubra como viver mais leve e feliz!

Para chegar a um nível de autoestima alto, ou seja, que não fere os próprios sentimentos e possibilidades de ser feliz pessoalmente e profissionalmente, é essencial trabalhar a confiança em si mesmo. Como eu disse antes, a autoestima alta é o reflexo de um bom exercício de autoconfiança. Agora, é importante eu te contar que a autoconfiança é consequência da prática constante do autoconhecimento e do autodesenvolvimento

Fique tranquilo, pois a minha ideia não é trazer cada vez mais empecilhos para que você descubra como trabalhar a sua autoestima. Meu objetivo é te mostrar que tudo faz parte de processo, portanto, não adianta se adiantar. É essencial entender que o desenvolvimento do amor próprio envolve o autocuidado, a análise dos próprios pensamentos e atitudes, bem como o seu ponto de vista a respeito daquilo que te cerca. E, para chegar a esse nível de maturidade, é fundamental praticar o autoconhecimento e o autodesenvolvimento. 

Se você acredita que pode se beneficiar da discussão desse assunto em âmbito pessoal ou profissional, continue a ler este artigo, pois vou trazer algumas reflexões e dicas que serão essenciais para o seu dia a dia e dinâmicas interessantíssimas para o seu progresso. E se você tem uma pessoa próxima que está precisando pensar mais neste tema, que tal continuar lendo para, mais tarde, compartilhar o texto com ela. Quem sabe você não a ajuda a ser uma pessoa que se gosta mais e com melhor desempenho no trabalho? Acompanhe! 

Afaste os pensamentos sabotadores 

“Eu sou capaz/incapaz”, “mereço sucesso/não mereço”,  “sou bonito(a)/sou feio(a)” e “eu sou inteligente/eu sou burro(a)” são apenas alguns dos pensamentos que permeiam a mente dos indivíduos, de acordo com a situação de sua autoestima. Observando os exemplos que eu trouxe, dá para perceber que qualquer pessoa tem a habilidade de se enxergar como alguém especial ou como alguém que é inferior aos demais. Agora me diga: como você se vê? 

Antes de responder a pergunta acima, saiba que as crenças positivas ou negativas ao nosso respeito geralmente são provenientes dos comentários recebidos dos pais, amigos, familiares, conhecidos e professores, desde a infância até a vida adulta. Quando alguém passa a acreditar que esses comentários construtivos ou não realmente correspondem à realidade, pode se criar uma determinada imagem de si mesmo, passando a guiar sua vida e construção de personalidade. 

Por isso, é fundamental que você tenha um filtro ativo para o que ouve das pessoas. Caso um gestor faça um comentário negativo, porém construtivo, é importante que você assimile tudo e tente implementar as mudanças no seu cotidiano. Porém, se um gestor fizer um comentário negativo e maldoso, não é interessante guardá-lo para si e tratar isso como verdade absoluta. 

O mesmo vale para amizades e familiares. Não deixe que as críticas não construtivas mudem o modo como você pensa, escolhe suas roupas, mantém sua rotina ou se diverte. Caso a observação de você seja simplesmente negativa ou até depreciativa., ou seja, não traga nenhum ensinamento novo, não adianta guardar na sua mente, No fim das contas,isso só vai trazer tristeza e remorso por você não ter imposto a sua opinião na hora.  

Seja quem você quiser ser, mas não seja engessado. Isso significa que você deve ter a mente aberta para a opinião construtiva dos outros, assim como novos conhecimentos adquiridos por meio da leitura, filmes e cultura em geral. A possibilidade de absorver novas sabedorias faz parte do seu autodesenvolvimento.  

Mais para frente neste artigo mesmo, eu te conto sobre uma formação que pode ser decisiva para que você trabalhe o seu autoconhecimento e autodesenvolvimento de forma assertiva, trazendo reais benefícios para a sua vida profissional e pessoal. Antes, vou te mostrar 3 dinâmicas incríveis que podem ajudar a você e outras pessoas evoluírem na questão da autoestima.  

3 dinâmicas para aumentar a autoestima 

Para ajudar a ressignificar os estímulos negativos e potencializar a autoconfiança, foram criadas dinâmicas de autoestima que ajudam as pessoas a reencontrar o melhor que há dentro de si. Confira algumas que selecionei especialmente para você que está nessa fase da vida: 

1 – Espelho 

Material necessário: caixa de papel e um espelho que caiba dentro da caixa. 

Como realizar: reúna todos os participantes (sem limitação) e fale sobre a importância de todas as pessoas nos diferentes ambientes de convívio (trabalho, família, amigos). Em seguida, diga que vai mostrar a imagem da pessoa mais importante da vida de cada um. Peça que, ao ver a imagem revelada, as pessoas mantenham sigilo até que todos abram a caixa e enxerguem o que tem dentro. Repare em cada reação e, ao final, explique que a pessoa mais importante é ela mesma. 

2 – Autofeedback 

Material: folha branca e caneta. 

Como realizar: solicite aos participantes que escrevam na folha em branco seu nome, profissão, hobbies, pontos fortes, qualidades, uma grande conquista de sua vida e a frase, filme e música de que mais gostam. Em seguida, peça que cada um leia este autofeedback para os colegas. Ao colocar no papel suas competências, a pessoa tem a oportunidade de refletir e enxergar melhor suas qualidades, ressaltando seus traços positivos e aumentando a autoestima.

3 – Quebrar a tábua 

Material: tábua pequena e pincel. 

Como realizar: peça que participantes peguem uma tábua e escrevam nela, com letras grandes e bem no centro da madeira, seu nome e sua principal característica que precisa de melhoria. Em seguida, divida os participantes em duplas e oriente que um segure a tábua na frente de seu dono. Diga para que as pessoas olhem fixamente para o que está escrito na tábua e, após falar algumas frases de incentivo (como “você é forte” ou “você é capaz”), fale para que cada um quebre sua tábua. Ao quebrar a madeira, a pessoa está vencendo seu medo e passa a se sentir mais capaz e empoderada. 

Quer desenvolver ainda mais sua autoestima?
Acesse o “Detox da Mente” e descubra como viver mais leve e feliz!

Bônus: como trabalhar o autoconhecimento e o autodesenvolvimento 

O autoconhecimento e o autodesenvolvimento são dois exercícios essenciais para qualquer ser humano, tanto para a vida pessoal quanto profissional, Apesar de serem fundamental, eles não são trabalhados no dia a dia como deveriam. Para ajudar você a progredir nessas questões e ser uma pessoa melhor, faça a formação de coaching Professional & Self Coaching (PSC), capaz de despertar o seu potencial infinito.  

Com técnicas e métodos modernos, você será capaz de entender melhor a si mesmo, revelando qualidades que podem ser fortalecidas e características negativas que precisam ser desenvolvidas para que não sabote o seu cotidiano. Com isso, você será capaz de compreender a necessidade de estar em, constante mudança e evolução, uma parte fundamental do autodesenvolvimento.  

Se você tiver mais alguma dica de dinâmica é só escrever nos comentários abaixo.

Até mais, pessoa querida!

 Copyright: Phil Date / Shutterstoc

 

Deixe seu Comentário: