teoria-aprendizado

Conheça a Teoria de Skinner Sobre o Aprendizado e Entenda Como Ela Pode Ser Aplicada no Contexto Empresarial

Por: José Roberto Marques | Blog | 03 de setembro de 2019

Você já parou para pensar em como o aprendizado é fascinante? E é um processo que faz parte de todas as fases da vida de um ser humano, já que estamos a todo o momento aprendendo coisas novas. No artigo de hoje, falarei sobre a Teoria de Skinner sobre aprendizagem, que se tornou uma das mais comentadas da área do behaviorismo por analisar a relação entre o condicionamento e a obtenção de respostas.

O entendimento de maneiras de ensinar e se fazer entender é essencial para que se possa compreender como o conhecimento pode ser transmitido e transformado por aqueles que o recebem. Continue acompanhando e saiba mais a respeito desse tema tão interessante.

Conheça a metodologia capaz de potencializar seus resultados!
Clique aqui e acesse meu ebook “Leader Coach”, é um presente!

Teoria de Skinner: Conhecendo Burrhus Frederic Skinner

Importante psicólogo da área do behaviorismo, Burrhus Frederic Skinner nasceu nos Estados Unidos e se destacou pelo desenvolvimento de sua própria teoria. O destaque do seu trabalho foi a criação do conceito de condicionamento operante, que nada mais é do que a compreensão de que a resposta de um organismo pode ser obtida por meio de reforço diferencial.

Basicamente, isso quer dizer que, quando condicionados a um estímulo específico, os indivíduos oferecem uma resposta esperada. Para que fique mais claro, vou exemplificar da seguinte maneira: imagine uma experiência em que ratos de laboratório foram estimulados a pressionar uma barra para acionar um bebedouro. Nessa experiência, o reforço ao comportamento é estimular a sede dos ratos participantes.

A Relação Entre o Comportamento e o Aprendizado

É importante fazer o adendo de que os behavioristas concentram o seu trabalho na realização de análise do comportamento e claro que com Skinner isso não é diferente. Sua teoria de aprendizagem toma por base o fornecimento de estímulos adequados para que as respostas desejadas possam ser previamente selecionadas, chegando aos comportamentos esperados.

Considera-se que o ensino chegou a um resultado adequado quando os alunos se tornam capazes de responder assertivamente às questões de uma prova, por exemplo. Uma conclusão a que se pode chegar é a de que a aprendizagem se configura como a capacidade de incorporar novos comportamentos à sua rotina.

Qual a Função do Professor no Contexto da Teoria de Skinner?

Essa é uma pergunta bastante válida ao tomar conhecimento da Teoria de Skinner, já que se trata de um assunto que envolve o aprendizado que ocorre dentro das escolas. Cabe ao professor fazer a apresentação do conteúdo e ficar atento às respostas que seus alunos darão a ele, selecionando as que se mostram mais desejáveis e ignorando as respostas que não estiverem de acordo com o esperado. Dentro dessa abordagem, existe um cuidado para evitar o constrangimento daquele que dá uma resposta inadequada.

A Aprendizagem Acontece do Meio Para o Indivíduo

Skinner tinha a ideia de que a aprendizagem acontece do meio para o indivíduo e não o contrário, como é sugerido por algumas linhas do cognitivismo, por exemplo. Essa ideia é relevante para questionar se eventos privados (os que não permitem observar respostas, como ficar emocionado ou pensar silenciosamente) são realmente comportamentos inatos ao homem ou se seriam, na verdade, aprendidos. Foi entendido como revolucionário no campo da psicologia o entendimento de que, talvez, não haja um gênio interno e tudo seja resultado de uma influência do meio.

Aplicações da Teoria de Skinner

Atualmente, a Teoria de Skinner tem diversas aplicações em contextos práticos, como o tratamento de fobias, vícios, desenvolvimento da fala em indivíduos com algum atraso e, até mesmo, na gestão do comportamento organizacional. A base para o sucesso do uso dessa teoria está no conceito de condicionamento operante – processo que o próprio Skinner chamou de modelagem – em que um reforço gera o hábito de uma resposta, podendo, assim, mudar o comportamento de um indivíduo.

A Teoria de Skinner Aplicada às Empresas

A seguir, vou apresentar algumas visões interessantes a respeito de como a Teoria de Skinner pode ser aplicada a organizações, visando estabelecer uma gestão mais eficaz do comportamento humano.

– Condicionamento (modelagem) do comportamento dos colaboradores

Antes de entrar no tópico em si, preciso esclarecer que, embora pareça, essa visão behaviorista de modelagem do comportamento humano não é mecanicista. Skinner formulou esse pressuposto com base numa série de questões filosóficas que não tinham a intenção de criar uma repetição mecânica, mas sim de garantir que os indivíduos tivessem reforçadores necessários para si e para a sua atuação dentro das companhias.

Trata-se de saber como modelar o comportamento dos colaboradores para alcançar as respostas esperadas para o atendimento das demandas internas.

Conheça a metodologia capaz de potencializar seus resultados!
Clique aqui e acesse meu ebook “Leader Coach”, é um presente!

– Uso de estímulos reforçadores

No contexto corporativo, é possível usar os estímulos reforçadores positivos (a palavra indica adição e não algo bom ou ruim) para obter as respostas esperadas. Isso pode acontecer de diferentes maneiras, como, por exemplo, quando o colaborador atinge as metas estabelecidas para si e recebe como adição (estímulo reforçador) um elogio do seu chefe ou quando a equipe consegue desenvolver bem uma atividade e recebe um almoço especial como recompensa (estímulo reforçador).

O conceito dos estímulos reforçadores é essencial para que se tenha uma visão mais clara em relação à assertividade de obter um ou outro comportamento. A partir de um estímulo criado, é possível chegar a uma resposta previamente selecionada. É uma forma prática de organizar a produtividade dos funcionários e encontrar os pontos em que eles são mais relevantes no contexto corporativo.

Veja, a seguir, alguns pontos a serem considerados ao lançar mão dos estímulos reforçadores.

  • O reforço deve ser aplicado imediatamente após a realização do feito;
  • É importante utilizar vários tipos de reforços, para evitar que a ação se torne comum;
  • É necessário ser específico em relação à ação que gerou o reforço;
  • Deve-se evitar associar reforço com punição, porque a segunda compromete o efeito do primeiro;
  • Os reforços devem ser aplicados com frequência, para que os colaboradores se mantenham motivados ao longo do tempo.

Gostou de conhecer e entender como funciona a Teoria de Skinner para o aprendizado e modelagem do comportamento dos indivíduos? Deixe o seu comentário abaixo e compartilhe o artigo em suas redes sociais, levando o conhecimento adiante! 

Copyright: 1458791195 – https://www.shutterstock.com/pt/g/billionphotos

Deixe seu Comentário: