ansiedade-cura-dicas

Ansiedade tem Cura?

Por: Equipe JRM | Ansiedade | 06 de maio de 2019

Qual foi a última vez em que você se sentiu ansioso? Qual foi o motivo de sua ansiedade? Com qual frequência você costuma se sentir assim? É raro ou constante? É importante entendermos que a ansiedade em si não é algo ruim e, assim como muitos outros sentimentos, ela tem uma razão de existir e tem sua utilidade.

Entretanto, quando a ansiedade passa a ser algo que perturba a pessoa, que se torna desagradável e constante, isso pode ser muito prejudicial para sua vida e para sua produtividade, já que a preocupação acompanha o ansioso a todo tempo.

Ela deriva do medo. Temos medo das incertezas do futuro, ficamos em dúvida, preocupados excessivamente com aquilo sobre o que não temos controle. Como, a princípio, não podemos fazer nada a respeito da situação vindoura, tentamos de todas as maneiras nos prevenir, assim imaginamos diversos cenários, e normalmente eles são negativos. Desse modo, tem-se a sensação de que estamos nos preparando para aquelas possíveis situações vindouras, de modo que possamos nos prevenir, ou que elas não ocorram.

Mas a verdade é que não importa o quanto estejamos preparados em nossas mentes para aquilo que está por vir. O que está fora de nosso controle vai acontecer da maneira que tiver que acontecer, independente de nos preocuparmos ou não.

Quando somos tomados pela ansiedade, criamos ou aumentamos contextos futuros, que possivelmente nunca ocorrerão. Não importa o quanto você pense, repense e sofra por causa do futuro, você só poderá agir sobre o futuro, sobre a situação da qual você tem medo, no momento em que ela ocorrer. Independentemente de você sofrer ou não, sua ansiedade não será benéfica para você agora no presente, e nem no futuro.

A ansiedade é, portanto, algo normal na vivência humana, mas quando se prolonga e passa a interferir na vida da pessoa, deve ser investigada, pois pode ser um transtorno psicológico. O transtorno de ansiedade generalizada é comum e é caracterizado por preocupações excessivas, mesmo quando não há um motivo aparente.

Desse modo o sujeito fica inquieto, assustado, irritado e pode ter problemas para pegar no sono ou permanecer nele sem interrupções. Alguns de seus sintomas físicos são tremores, sudorese excessiva, taquicardia, dores de cabeça, rigidez nos músculos e problemas estomacais e de digestão.

Se você ou alguma pessoa que conhece apresenta esses sintomas e é altamente afetado por essa tensão e preocupação, interferindo na vida e nos relacionamentos, busque aconselhamento e ajuda médica especializada. Os sintomas do transtorno de ansiedade generalizada precisam de atenção especial, já que não vão desaparecer por conta própria.

Se você se identificou com os sintomas apresentados sobre a ansiedade, o principal conselho que podemos dar é a busca por aconselhamento médico, pois somente um especialista pode confirmar se sua ansiedade passou para um estado de transtorno, assim como a melhor maneira de tratá-lo.

A ansiedade tem cura? A verdade é que não podemos falar em cura quando se trata da ansiedade, pois ela tem um caráter crônico, ou seja, ela não coloca a vida do sujeito em risco em um curto espaço de tempo. Além disso é uma doença que persiste, e o tratamento pode ser direcionado não à cura, mas ao manejamento da doença.

Ela pode ter um caráter genético e familiar; dessa maneira, faz parte de nossa herança genética. Mas não é por isso que devemos nos desesperar, pois por meio de psicoterapia, medicação, práticas e hábitos de vida saudáveis é possível equilibrar este aspecto de nós e viver com mais qualidade e tranquilidade. Dessa maneira, o tratamento adequado permite o controle do transtorno, de modo que os sintomas praticamente desapareçam ou permaneçam muito bem contidos.

O tratamento com medicação não cura a ansiedade, mas diminui os sintomas substancialmente. Quanto mais cedo o sujeito percebe como a ansiedade o vem afetando e decide procurar ajuda, melhor será o controle de seus sintomas. Assim, sua qualidade de vida no presente e no futuro serão definitivamente e positivamente impactadas, sendo possível até mesmo a remissão do quadro ansioso.

Portanto, por meio da psicoterapia e de outros tratamentos alternativos, o uso de medicamento adequado, hábitos de vida saudáveis, mesmo que a ansiedade não tenha cura em si, é possível que seus sintomas desapareçam parcialmente ou em sua totalidade, garantindo uma vida mais feliz e equilibrada para o sujeito ansioso.

 

Copyright: 1383751442 – https://www.shutterstock.com/pt/g/fizkes

Deixe seu Comentário: