ansiedade-social-o-que-e

Ansiedade Social

Por: Equipe JRM | Ansiedade | 05 de abril de 2019

A Ansiedade Social é um tipo de ansiedade pouco conhecida, por isso, para que possamos compreender melhor o que significa Ansiedade Social e sua forma mais severa, a Fobia Social, precisamos entender o que caracteriza uma Situação social.

Situação Social, nada mais é do que qualquer situação na qual não estejamos fisicamente sozinhos, onde estejamos presentes com mais pessoas ao nosso redor. Situações Sociais possibilitam a interação social, mas não a impõe, pois cabe a cada um de nós escolher interagir com outras pessoas ou não.

Ansiedade Social associa-se ao nervosismo ou desconforto em Situações Sociais, geralmente relacionadas ao medo de passar por situações embaraçosas que a levem a sentir-se ridicularizada, julgada, criticada ou avaliada negativamente por outras pessoas.

Para algumas pessoas a Ansiedade Social se limita a algumas Situações Sociais específicas, como por exemplo, situações formais relacionadas ao ambiente de trabalho, reuniões, apresentação em público, entre outras. Essas mesmas pessoas tendem a se sentir melhor e mais confortáveis em situações mais casuais, como momentos em família e festas com amigos. Existem casos ainda de pessoas que reagem exatamente ao contrário, se sentindo mais confortáveis em meio a formalidades do que expostas a encontros casuais. A intensidade e a duração da Ansiedade Social sempre poderão variar de pessoa para pessoa, visto que cada pessoa é única.

Os motivos pelos quais uma pessoa pode sentir Ansiedade Social também podem variar e estão relacionados a diferentes traços de personalidade, como por exemplo a introversão, a timidez e o perfeccionismo.

Pessoas de personalidade mais tímida, tendem a se sentir mais desconfortáveis e ansiosas em situações sociais que exijam delas a interatividade com outras pessoas. Já as de personalidade introvertida, tendem a ser mais tranquilas e sossegadas, por isso evitam situações sociais, mas quando interagem não demonstram ansiedade ou receio por estarem onde estão e com quem estão. Essas pessoas apenas preferem ficar sozinhas. Por último, temos as pessoas perfeccionistas, que possuem forte tendência a manter expectativas elevadas sobre si mesmas, o que as leva a sentir ansiedade pelo receio de falhar e terem sua falha notada e julgada negativamente.

Quando não tratada, a Ansiedade Social pode interferir consideravelmente nos relacionamentos, na vida profissional, pessoal e social do indivíduo acometido por esse tipo de Ansiedade. Ela pode fazer com que seja difícil estabelecer e manter relações saudáveis, isso inclui todos os níveis de relacionamento, desde o relacionamento com pessoas desconhecidas até suas relações com membros da família e conhecidos.

Para algumas pessoas, até mesmo uma simples conversa para pedir orientações, cumprimentar um vizinho ou fazer um pedido na lanchonete pode ser desafiador. A sensação para essas pessoas é geralmente de angustia, coração acelerado, respiração ofegante, palpitação e falta de ar, podendo como dito anteriormente, variar os sintomas de pessoa para pessoa.

Uma pessoa com Ansiedade Social apresenta ainda dificuldade em seus relacionamentos à medida em que se tornam mais íntimos. No que se refere à escolha de área de estudos e profissão, a Ansiedade Social pode também ter um impacto profundo, tendo em vista que, ainda que os estudos sejam feitos à distância, existe a necessidade de interação com outras pessoas para que resultados sejam apresentados e avaliados.

Vivemos em sociedade, e por mais que algumas pessoas tentem evitar, precisamos das pessoas para viver e executar tarefas em nosso dia a dia. Mesmo que seja ir ao mercado fazer compras. Podemos sair de casa sozinhos, ir até o mercado sem falar com ninguém, fazer nossas compras em silêncio e sem auxílio de outras pessoas, mas na hora de sair do mercado precisaremos pagar nossa compra e provavelmente a pessoa do caixa nos fará perguntas, e precisaremos interagir.

Praticamente qualquer atividade que envolva contato com outras pessoas, pode ser afetada pela Ansiedade Social. Existem pessoas que, por conta da Ansiedade Social, sentem dificuldade em:

  • Convidar alguém para sair;
  • Falar com alguém que é percebido como mais autoritário, ou divertido, ou interessante, ou que possua maior reconhecimento social;
  • Iniciar ou dar continuidade a uma conversa;
  • Ir para festas;
  • Convidar pessoas para uma reunião em casa;
  • Falar ao telefone;
  • Conhecer novas pessoas;
  • Expressar opinião pessoal;
  • Ir a uma entrevista de emprego;
  • Dizer “não” quando necessário;
  • Manter contato visual;
  • Conversar com pessoas do sexo oposto;
  • Falar em público;
  • Ter momentos de lazer com outras pessoas;
  • Fazer exames;
  • Tomar a frente de um projeto;
  • Ler para outras pessoas;
  • Comer ou beber na frente de outras pessoas;
  • Escrever ou desenhar quando existem pessoas observando;
  • Falar sobre si mesmas em uma apresentação.

A Ansiedade Social que também ser chamada de Fobia Social, tem algumas opções de tratamento disponíveis, entre elas, a que mais tem se destacado tem sido a Terapia Cognitivo-Comportamental, que se fundamenta na premissa de que o que pensamos afeta a forma como nos sentimos, e nossos sentimentos por sua vez, afetam nosso comportamento.

Nesse sentido, concluímos que ao modificar a maneira como pensamos as Situações Sociais, diminuímos nossa Ansiedade Social, e consequentemente nosso comportamento de distanciamento social também se torna menos frequente.

A Terapia Cognitivo-Comportamental para controlar a Ansiedade/Fobia Social envolve normalmente:

  • Aprender a controlar os sintomas físicos da ansiedade por meio de técnicas de relaxamento, meditação e exercícios respiratórios.
  • Encontrar meios de substituir pensamentos negativos, que provocam Ansiedade em Situações Sociais por pensamentos positivos e empoderadores.
  • Descobrir meios de enfrentar o medo de maneira gradual e sistemática, para que aos poucos ele diminua e até mesmo deixe de existir.

À medida em que as pessoas praticam e se preparam para as situações que inicialmente temiam, elas se tornam mais confiantes e se sentem mais aptas a expor suas competências sociais.

Convido você a perceber quais situações mais te causam desconforto nesse sentido. Faça uma lista, e busque vencer cada uma dessas limitações, começando pela que menos teme. Você sem dúvida se sentirá muito mais confiante, quando terminar uma ação para iniciar a ação seguinte.

Aprenda a gerir melhor sua Ansiedade, e lembre-se sempre de se lembrar de nunca se esquecer que você não está sozinho. Assim como você, existem muitas outras pessoas passando pelo mesmo processo, e não é vergonha nenhuma pedir ajuda.

Caso se sinta confortável, dentro do seu tempo, da sua maneira, te convido a buscar ajuda. Existem profissionais especializados, aptos a te ajudar, basta você querer. E acredite, é possível vencer a Ansiedade Social!

 

Copyright: 529393636 – https://www.shutterstock.com/pt/g/photographeeeu

Deixe seu Comentário: