ansiedade-engorda-saiba

Ansiedade Engorda

Por: Equipe JRM | Ansiedade | 09 de maio de 2019

 

A ansiedade está diretamente ligada ao estresse. Quando ficamos ansiosos vemos o presente e, principalmente o futuro com extremo pessimismo, e nosso corpo pode ter reações fisiológicas seriamente desagradáveis e complicar nossa saúde de maneira geral.

Quando a ansiedade se transforma em uma doença ela passa a ser um distúrbio psicológico que causa tanto sofrimento que pode prejudicar suas relações interpessoais, seu trabalho, seus hobbies e atividades, sua vontade de realizar e de se desafiar. Enfim, a ansiedade pode ser tão extrema que acaba paralisando a vida do sujeito.

Entre os sintomas estão tensão recorrente, medo, pensamentos negativos constantes, irritação, agitação do corpo, tremores, excesso ou falta de sono e nos padrões da alimentação. Dessa maneira os sinais em nosso corpo de que estamos ansiosos podem ser o coração acelerado, sudorese intensa, desregulação do padrão respiratório, problemas gastrointestinais, dores de cabeça, entre outros.

Assim um possível sinal ou efeito da ansiedade em nosso organismo é que podemos engordar. É comum, na verdade, que pessoas ansiosas passem a não se alimentar corretamente, tanto pela falta quanto pelo exagero, o que a leva ao emagrecimento ou ganho de peso. De qualquer maneira essa inconstância de peso pode fazer muito mal à saúde e autoestima de uma pessoa e merece atenção.

Em geral a ansiedade se manifesta mais no sentido do ganho de peso. O que leva uma pessoa ansiosa a engordar não pode ser simplificado, são muitos os fatores que agregam o transtorno de ansiedade e os quilos em excesso.

Entre esses fatores estão os hormônios, padrões e escolhas alimentares e o comportamento e atitudes que cada indivíduo tem sobre a comida, ou seja, se você encara o alimento como um meio de consolo, prazer e alívio do estresse, por exemplo.

Além disso, quando ficamos ansiosos, nervosos e cansados perdemos o ânimo e vontade de nos preocuparmos com nossa alimentação e a prática de exercícios físicos, que exigem planejamento, tempo e disposição. Isso também tem um papel importante para o controle e estabilidade do peso e pode ser comprometido dependendo do grau de ansiedade, o que pode ser verdadeiramente debilitante.

Uma das causas mais significativas para o ganho de peso é a hormonal. Quando ficamos ansiosos podem haver alterações consideráveis nas dosagens em nosso sistema, levando a alterações em nossa saúde. O transtorno de ansiedade pode levar, por exemplo, ao aumento na produção do hormônio cortisol, o hormônio do estresse.

Muitos dos mecanismos ligados ao nosso emocional têm um princípio e razão de ser. Eles datam dos tempos das cavernas e acompanham a humanidade até hoje. No momento em que enfrentamos situações perigosas são liberadas certas substâncias que nos preparam para responder a estes perigos. Isso ocorria no passado em contextos como o de caça e predação e hoje se adaptaram às nossas circunstâncias modernas.

O efeito que o cortisol, em resposta a estes quadros de risco, acaba por ter são efeitos prejudiciais ao nosso corpo. Entre eles faz com que nosso organismo acabe por reservar e produzir gordura com mais facilidade.

Dessa maneira se precisássemos lutar ou ficássemos por um longo período sem ter acesso a alimentos teríamos este acúmulo de energia que nos permitiria sobreviver.

Esse mecanismo antigo de reserva de gordura hoje está relacionado ao estresse e ao nervosismo. Assim, se você está constantemente ansioso, fica sempre exposto ao cortisol que contribui para que você engorde.

A ansiedade pode gerar em nós um desejo descontrolado de comer, ou seja, uma compulsão alimentar. A pessoa come muito, de maneira rápida, mesmo sem fome ou mesmo que já esteja cheia, isto é, ela perde o autocontrole e acaba exagerando.

Essas ocorrências podem ser um mecanismo para lidar com algo emocional, neste caso, a ansiedade. A compulsão faz com que o sujeito sinta culpa e vergonha, e traz malefícios à sua saúde. O ato de comer está conectado à ansiedade pois traz a pessoa de volta ao momento presente, grande questão de dificuldade para os ansiosos, que costumam viver no futuro.

Os alimentos que normalmente são consumidos nestes episódios são mais calóricos, industrializados e altamente processados com grande quantidade de sal, açúcares e gorduras saturadas, que acarretam grandes prejuízos se ingeridos em abundância e com regularidade.

Mesmo que o ansioso não venha a desenvolver compulsão, as escolhas alimentares que faz tem grande relevância. Os alimentos que dão mais prazer usualmente são aqueles apontados anteriormente, os industrializados, como chocolates, bolachas, massas, pizzas, doces, salgadinhos e refrigerantes, que não saciam e apenas acrescentam calorias vazias, isto é, sem nutrientes importantes vinculados a elas.

Por isso é tão vital ficar de olho no que você tem comido e naquilo que tem guardado em sua casa. Se você tem reservas de alimentos calóricos, provavelmente não se alimentará com tanto equilíbrio em seu dia a dia, e corre o risco de buscar refúgio neles em momentos de crises emocionais e ansiosas.

Dessa maneira, faça escolhas mais saudáveis de ingredientes, receitas e lanches. Assim não será tentado, quando estiver mais ansioso, a comer de maneira exagerada. Prefira produtos naturais como frutas, verduras, legumes, grãos integrais, nozes e carnes magras como as de peixe e frango.

Alimentos especialmente importantes para os ansiosos podem ser frutas cítricas que possuem vitamina C, melhorando o controle da liberação do cortisol; banana e ovos que possuem o triptofano, que ajuda com os sintomas da ansiedade e peixes ricos em ômega-3 que contribui para o melhoramento da saúde mental.

Ademais a ansiedade pode levar ao aumento do apetite. Mesmo com mais fome não podemos nos descuidar de nossas escolhas. Sua saúde física e mental agradecerá a você por preferir frutas e verduras a bolo e embutidos.

Portanto, as práticas de vida e opções mais leves contribuirão não somente para a estabilidade do peso, como para os sintomas da ansiedade e para a saúde de maneira geral.

Esteja atento também se você não costuma passar muitas horas sem comer. O jejum prolongado pode aumentar sua fome de modo que você venha exagerar, principalmente ao final do dia. Verifique se o ambiente que se alimenta é tranquilo, calmo e higiênico, o que te incentivará a ter uma alimentação mais sossegada, verdadeiramente prestando atenção ao alimento, seus sabores e sensações.

Fazer exercícios físicos também ajudam na ansiedade e manutenção do peso. Esta prática libera hormônios como dopamina e serotonina, que nos fazem mais felizes e trazem uma sensação de bem-estar. Este relaxamento diminui os sintomas da ansiedade e fazem bem ao corpo e autoimagem do indivíduo.

Procure também desenvolver maneiras de manejar sua ansiedade como por exemplo fazer yoga, meditação, exercícios de respiração. Tudo isso trará mais serenidade para sua vida e contribuirá para que sinta seu corpo e te traga de volta ao presente. Tenha uma boa qualidade de sono e volte sua atenção para as coisas boas e positivas de sua vida.

Ter práticas de vida mais saudáveis, ficar de olho em sua alimentação, exercícios físicos, procurar ajuda médica especializada em prol do controle da ansiedade ajudará muito você ter uma vida mais equilibrada e feliz, vivendo e aproveitando o presente, dando o máximo de si, sem perder o controle. Todas essas informações e dicas poderão te ajudar a controlar sua ansiedade e o excesso de peso que pode estar acompanhada dela. Fique atento a tudo isso e viva mais pleno e feliz!

 

Copyright: 1239702346 – https://www.shutterstock.com/pt/g/coldsunday

Deixe seu Comentário: