valores-empresa

O que são os valores de uma empresa?

Por: José Roberto Marques | Blog | 11 de abril de 2018

Quando uma empresa é criada ela já vem impregnada com uma cultura própria. Os valores de uma empresa nada mais são do que as motivações que determinam o modo como ela será gerida. São as crenças e atitudes que darão a determinada organização sua identidade. Esses itens também pressupõem o conjunto de regras que os funcionários deverão cumprir em busca de obterem resultados positivos, portanto, são também a ética por trás dos comportamentos empresariais.

 

É muito importante não confundir valores com objetivos. Os valores são o que motivam a existência de uma organização, são a filosofia da empresa, aquilo que justifica ela ser e funcionar de determinada maneira, já os objetivos são as metas e conquistas que essa empresa deseja alcançar.

 

Uma empresa de embalagens recicláveis, por exemplo, tem por objetivo produzir produtos de qualidade, vender para o maior nicho de mercado que for possível e assim obter lucro e sucesso. Já os valores de uma empresa que recicla provavelmente estarão associados à preocupação ambiental e uso sustentável de materiais.

 

Como definir valores

 

Definir valores é muito importante para o progresso de uma empresa. Quando o consumidor acessa os produtos e serviços que lhe são ofertados ele gosta de agregar valor a esses produtos ou serviços. Ele gosta de saber que consome algo identificado com as visões de mundo que ele próprio possui.

 

Os valores de uma empresa também são importantes para estabelecer as normas de conduta que devem ser aplicadas por seus funcionários. Normas como “sempre tratar bem o cliente e os colegas”, “buscar solucionar problemas”, “ser proativo”, preenchem de qualidade e elevam a credibilidade de uma empresa.

 

Para definir valores os líderes e gestores devem refletir sobre quais são as convicções éticas, morais e filosóficas da organização e de seus colaboradores, quais condutas seus colaboradores devem ter para que essas convicções sejam sempre postas em prática e quais atitudes sua empresa deve ter para auxiliar na construção de uma sociedade melhor. Após refletir sobre esses três pontos é possível encontrar valores e missões que são confluentes com o espírito da organização.

 

Dito isso, você deve estar se perguntando por onde começar, não é mesmo? É simples! Confira algumas dicas:

 

 

  • Faça uma análise das empresas que você admira: repare, geralmente as grandes empresas costumam ter valores bem estruturados e difundidos em todas as suas ações. Esse pode ser o ponto de partida para o seu negócio. Por isso, é interessante fazer uma lista das organizações que você admira, sendo elas do mesmo segmento que você atua ou não.

 

 

Pesquise quais são suas declarações de valores e como eles estão incorporados nos modelos de negócios delas. A partir disso, reflita bem sobre o que você pode aprender com esses exemplos e tente entender como eles traduzem a essência do negócio, como podem ser inspiradoras e que fazem a empresa ser lembrada.

 

 

  • Evite os dois erros mais comuns

 

 

  1. Não confunda os valores da sua empresa com outros pilares organizacionais que representam uma organização. Alguns empreendedores e gestores cometem falhas graves na definição da sua identidade corporativas. Não é raro depararmos com definições genéricas e óbvias que nada dizem a respeito das motivações que inspiram o trabalho e os serviços prestados pela empresa. Pense em diferentes formas mais inspiradoras e desafiadoras de definir como a sua empresa se define e como tudo isso será o cartão de visitas que levará a sua organização até o sucesso.

 

2) Nem oito, nem oitenta. Quais são as informações principais da sua identidade corporativa? Na hora de definir os valores da sua empresa é preciso ser sucinto e resumir as características marcantes e diferenciais do seu negócio. Falar de maneira resumida, no entanto, não significa falar pouco. Cuidado com as declarações muito genéricas. Da mesma forma, não exagere, você precisa sintetizar a sua essência sem entediar quem está lendo ou ouvindo a respeito da sua empresa. Não complique a descrição com o uso de termos sofisticados, que, quando reunidos, podem soar vazios, sem importância ou significação. Busque equilíbrio e lembre-se da máxima: “não seja nem oito, nem oitenta”.

 

Responsabilidade corporativa

 

Os valores e princípios de uma corporação devem ser comunicados a todas as pontas que a compõem. Assim como em um quebra-cabeças, uma organização é formada por diferentes peças e, todas elas, têm fundamental prioridade para que a engrenagem organizacional faça sentido. Sendo assim, é imprescindível que colaboradores, clientes, fornecedores, investidores e gestores identifiquem-se e conheçam os valores da empresa que eles, em diferentes frentes de trabalho, representam.

 

É preciso disseminar as estratégias da organização, as políticas de gestão, os programas, os benefícios, as normas e os procedimentos, bem como a apresentação do Código de Conduta, cuja orientação é dar ampla e clara compreensão dos padrões esperados de todos os funcionários.

 

Com isso em mente, cada empresa deve definir seu próprio conjunto de valores, considerando aqueles que são vistos como essenciais para um bom sistema de Governança Corporativa e integram, inclusive, as recomendações do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). Veja quais são eles:

 

 

  • Transparência: a boa comunicação é a chave para a criação de valor em um ambiente corporativo. É preciso fazê-la interna e externamente, gerando o clima de confiança essencial para fazer as coisas darem certo. Para isso, é preciso ser franco, espontâneo e tempestivo para começar. E, preste atenção, a transparência não deve ser resultado apenas da obrigação, mas sim do desejo sincero de revelar tudo aquilo que possa ser relevante para as partes interessadas dentro da organização.

 

 

 

  • Equidade: parece óbvio, mas é sempre bom lembrar que é preciso tratar de forma justa e igual todas as partes interessadas e participantes de uma organização, sobretudo grupos com menos poder, tais como colaboradores, clientes, fornecedores, investidores, entre outros. Da mesma forma, é fundamental investir em atitudes ou políticas que repreendem ações discriminatórias, como define o IBGC.

 

 

 

  • Prestação de contas: é dever dos administradores e gestores prestar contas de sua atuação, assim como, responder integralmente por todos os atos e fatos sob sua responsabilidade.

 

 

 

  • Conformidade: é essencial prezar que todas as ações da organização respeitam integralmente as leis, normas e regulamentações aplicáveis aos seus negócios.

 

 

O papel do gestor na disseminação dos valores da empresa

 

Sabendo da importância de definir com maestria e disseminar os valores da empresa para todo o organismo corporativo, o Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) criou o curso Business & Executive Coaching para potencializar a sua atuação como gestor no ambiente organizacional e despertar o melhor da sua organização.

 

Aprenda técnicas e conheça ferramentas de gestão. Torne-se um profissional com uma percepção completamente nova do comportamento humano e desenvolvimento de equipes e veja como os seus valores podem estar refletidos nessas ações. Além disso, entenda o seu papel de gestor na disseminação dos valores da empresa e veja como assessorar toda a sua equipe para lidar melhor com os desafios do dia a dia e desenvolver novos comportamentos dentro da sua organização.

A partir da construção de valores fica muito mais fácil perceber que os objetivos de uma empresa também passam por aquisições que não estão apenas no campo dos lucros financeiros, mas também dos ganhos em público consumidor fiel e imagem agradável no mercado.

Gostou do artigo? Compartilhe com os seus colegas de trabalho!