benchmarking

O que é Benchmarking? Qual a importância para sua empresa?

Por: José Roberto Marques | Blog | 11 de abril de 2018

O benchmarking é um documento muito estratégico para as empresas. Nele estará uma compilação de uma profunda coleta de informações, análise de dados e da comparação de seu trabalho com o das empresas concorrentes.

Algumas multinacionais, tais como a Ford e a IBM, são conhecidas por suas práticas de benchmarking. Assim como estas organizações, muitas outras empresas têm trazido os benefícios dessa ferramenta para o dia a dia, melhorando progressivamente suas estratégias de gestão de pessoas, de processos, de serviços e de produtos.

Se, por exemplo, uma organização deseja aperfeiçoar sua logística de entregas, o benchmarking pode trazer novas informações e conhecimento sobre como os concorrentes fazem esse mesmo trabalho. A partir desse estudo, é possível analisar se as ações das outras empresas seriam realmente efetivas para a sua. E então, fazer um planejamento para entender como e quando essas táticas podem ser iniciadas.

Continue lendo o texto para compreender melhor o que é benchmarking e suas vantagens. Confira!

O que é benchmarking

O benchmarking permite incorporar novos conceitos e ideias ao seu dia a dia por meio da comparação e experimentação de melhores práticas. O objetivo é observar de perto o que as outras empresas estão fazendo em determinadas áreas para corrigir falhas, melhorar procedimentos internos e tornar o trabalho mais eficiente e competitivo. A avaliação funciona como uma investigação constante que faz analogias de produtos, de serviços e de práticas empresariais entre uma organização e seus concorrentes.

Vantagens de analisar o concorrente

O benchmarking traz um leque muito grande de benefícios para a empresa e para os funcionários. Com essa verificação é possível avaliar passado, presente e até mesmo prever o futuro das ações de outras organizações.

Com uma pesquisa profunda é possível identificar quais foram os pontos positivos e aqueles que devem ser melhorados em determinadas ações. A partir dessa consciência é possível buscar e incentivar a criatividade e a inovação na sua equipe e na empresa como um todo.

Fiz uma lista com os principais pontos positivos de montar um arquivo como esse. Depois de ler é bem possível que você comece a montar o seu. Confira!

  • Análise de perfil profissional: o documento de avaliação pode trazer insights sobre vagas ou tipos de profissionais que a empresa ainda não havia pensado que seriam úteis. Para ajudar a fazer um mapeamento de equipe, o Instituto Brasileiro de Coaching
    (IBC) tem um curso chamado Análise Comportamental. A formação é ideal para profissionais de Recursos Humanos (RH) que querem aprender a mapear e construir um perfil e gerir equipes com eficácia a partir dele.
  • Investimento em coaching: a análise poderá servir para mostrar a necessidade de um líder ou ainda de desenvolver os líderes em potencial que já estão na sua empresa. Afinal, saber reter talentos também é um talento! Para cooperar com o desenvolvimento da liderança, o IBC tem a formação Leader Coach Training (LCT), que é perfeita para as organizações que precisam de resultados imediatos. Com o curso, o líder irá aprender técnicas e ferramentas que serão essenciais para um desempenho assertivo no cotidiano.
  • Instalação de novas ferramentas: a comparação com outros serviços pode trazer inovação interna. Esse pode ser o momento em que a gestão vai entender a importância na compra e instalação de novas ferramentas de gestão.
  • Comunicação: um dos pontos que podem aparecer em um benchmarking é aquela velha pergunta “por que o concorrente consegue e nós não?”. Ao tentar responder essa questão é preciso analisar o processo como um todo. Pode ser que a comunicação não esteja ocorrendo da melhor maneira possível.
  • Compreensão do mercado: o estudo regular dos concorrentes permite entender rever as práticas da organização e conciliá-las com as melhores do mercado.
    Desenvolvimento: fazer o benchmarking, atualizá-lo com frequência e deixá-lo disponível para que todos os envolvidos consigam ver é fundamental para que a cultura da melhoria contínua seja implantada.
    Conhecimento: a avaliação é uma poderosa ferramenta de aprendizagem. A pesquisa é uma maneira de proporcionar uma visão sistêmica dos processos e do mercado profissional.
    Pós-criação: tem corporação que depois de criar o documento, deixa que ele pegue poeira em qualquer canto. A vantagem da análise é justamente as mudanças que ela pode trazer, então nada mais justo do que fazer com que elas aconteçam. Depois da construção da avaliação é hora de criar um plano de ação e ponderar quais ações são ideais a curto, médio ou longo prazo.
  • Evitar erros: um grande benefício do benchmarking é a possibilidade de enxergar os erros do passado e até prever os novos.
    Redução de custos: quando você prestar atenção em ações que não serão um sucesso é mais fácil prever com o que não gastar dinheiro. Além disso, a análise pode apontar erros como falta de colaboradores ou necessidade de investimento em formações, que podem ser corrigidas.

Dispondo dessas e de outras informações importantes é possível ampliar a visão do negócio, identificar ameaças, novas oportunidades de crescimento e incorporar práticas mais efetivas. Este mapeamento permite ainda antecipar tendências e concorrer, de igual para igual, com as outras empresas.

Tipos de avaliação

Existem alguns tipos de benchmarking que são úteis para muitas empresas em momentos diferentes. Conheça:

 

  • Benchmarking interno: documento em que a organização usa os processos internos como referência. O objetivo é explorar quais são as melhores práticas de mercado.
  • Benchmarking competitivo: análise e verificação dos principais concorrentes. Pode ser desde a comparação de produtos e serviços até uma campanha de marketing ou
    publicidade.
    Benchmarking funcional: compreensão de como a mesma técnica pode ser praticada em diversas empresas, sejam competidoras ou não.  
    Benchmarking genérico: entendimento de que forma os processos internos ou externos da sua empresa são praticados por outras, que não precisam ser necessariamente do mesmo setor.  
    Benchmarking colaborativo: documento em que um grupo específico de pessoas acrescenta dados e informações de práticas eficientes do mercado.

Independentemente do tipo de documento que você escolha construir, é essencial se lembrar de que ele deve ser atualizado constantemente e sempre estar à disposição para consulta das partes envolvidas.

Investir na análise do concorrente

Nenhum empresário ou empreendedor quer ficar para trás e perder seu espaço no mercado. E por ser um modelo bastante efetivo, o benchmarking vem se tornando uma prática amplamente utilizada em todos os segmentos empresariais.   

Isso se justifica graças à alta competitividade que estimula as empresas a estarem atentas aos seus processos e também ao que seus concorrentes estão fazendo. Este trabalho ajuda ainda a expandir e implantar novas ideias e a se preparar para atender melhor os clientes.

Por tudo isso, podemos concluir que sem as informações que essa avaliação seria bem mais difícil para as organizações acompanharem seus concorrentes. Este acompanhamento é essencial para a evolução de toda empresa. Além disso, ele é muito positivo, pois estimula a inovação, as mudanças e a motivação para que os colaboradores conquistem alto desempenho organizacional.

Que tal montar o seu benchmarking? Experimente e faça seu! Também escreva o que achou do artigo nos comentários!