Lidando com boatos no trabalho

Por: José Roberto Marques | Blog | 12 de setembro de 2015

Blueskyimage/Shutterstock Espalhar boatos e fofocas causa grandes prejuízos aos profissionais e empresas

Um dos problemas que mais causam transtornos, no ambiente de trabalho, com certeza, são os boatos. Estas fofocas repercutem de maneira negativa entre os colaboradores e ganham maior impacto ainda, quando não são resolvidas, de forma rápida e objetiva.

Entretanto, os boatos trazem à tona outras questões importantes relativas às empresas e aos seus profissionais. Ineficiência na comunicação interna, falta de ética e profissionalismo, bem como dificuldades de relacionamento entre colegas: são alguns dos gatilhos que desencadeiam estas balelas.

Por isso, tanto que faz como quem é vítima de boatos, deve entender que este é um comportamento negativo, errôneo e altamente prejudicial e, que pode trazer consequências graves à vida profissional e pessoal de ambas as partes.

Efeitos Negativos dos Boatos

 Quando um profissional é alvo de boatos, além de o zunzum gerar muitos problemas em seu ambiente de trabalho, a falácia também pode manchar sua reputação profundamente, lhe causar insegurança, reclusão, exclusão e forte mal – estar entre as pessoas.

Para evitar, as fofocas e seus efeitos nocivos, é muito importante que os gestores estejam atentos ao modo de se comunicar, como também aos liderados que têm comportamentos desta natureza. É essencial ainda que o líder busque identificar o foco da questão e, corrigir, de maneira exemplar, pessoas que agem de má fé e espalham boatos pela empresa.

Como Contornar o Problema da Fofoca

A melhor maneira de parar um boato é identificando as pessoas ou situações que espalharam ou levaram àquela situação. Feito isso, busque ter uma conversa franca com os envolvidos e, esclareça, de vez, sua posição quanto ao assunto. Nada de deixar o boato “correr ao vento” e ganhar proporções maiores.

Lembre-se que quanto mais tempo você esperar, maiores também serão as consequências em sua qualidade de vida na empresa e na sua reputação. Em casos mais drásticos, onde tenha havido prejuízo moral, emocional, financeiro e profissional, é importante reportar ao departamento de Recursos Humanos. O setor, por sua vez, deve orientar o colaborador sobre o que fazer e definir as atitudes cabíveis para dirimir a situação.

Por mais que no ambiente empresarial encontremos pessoas com diferentes perfis comportamentais, o hábito de disseminar boatos deve ser combatido de forma assertiva e severa. E quanto mais cedo à empresa se posicionar frente à situação, menor também será a repercussão das fofocas propagadas.

Fique atento ao perigo das fofocas e evite espalhar boatos sobre pessoas, gestores e a empresa. Sua carreira e seus colegas agradecem!

E você, já foi vítima de fofocas no trabalho? Compartilhe sua experiência abaixo!