A gestão da mudança e inovação nas organizações

Por: José Roberto Marques | Blog | 03 de fevereiro de 2015

A atual dinamicidade dos cenários em que atuam as empresas as força a assumir uma postura de constante mudança. Conheça a necessidade e importância de gerir a mudança | Créditos da imagem: Depositphotos – Autor pressmaster

 

A atual dinamicidade dos cenários em que atuam as empresas, as força a assumir uma postura de constante mudança, buscando sempre a evolução da organização a fim de conquistar uma maior competitividade e sair a frente dos concorrentes.

A postura da mudança, que parte de cúpula administrativa, deve ser assumida por todos visando à sobrevivência da organização. Se os colaboradores não aderirem à mudança, os processos da empresa não serão incrementados e a organização vai manter-se estagnada, inadequada às novas exigências do mercado e, assim, estará em desvantagem competitiva em relação às concorrentes. Antes de implementar tal ação, é necessário compreender o conceito de gestão da mudança. Entenda a seguir:

O que é gestão de mudança

A gestão de mudança refere-se a uma abordagem que tem como objetivo, auxiliar as empresas na implementação de mudanças, sejam elas estruturais, operacionais ou táticas, que resultem em determinado estado desejado. Para que a ferramenta seja eficaz, colaboradores, equipes e gestores, assim como os sistemas e processos da organização, precisam estar alinhados quanto as alterações.

Para isso, o primeiro grande desafio é que todos os níveis da organização compreendam a necessidade da mudança e incorporem o sentimento de crescimento, de evolução, e acrescentem suas competências e conhecimentos ao processo, sugerindo mudanças que venham a desenvolver a inovação na empresa, propiciando um melhor desempenho da organização.

O processo de mudança é necessário em qualquer empresa, independentemente do seu tamanho ou tempo de existência e são diversos os motivos pelos quais elas são necessárias: os recursos da organização, seu setor, sua gestão, a economia, queda nas vendas, insatisfação dos stakeholders, atuação da concorrência, etc. Além disso, inúmeras alterações podem ser implementadas, desde uma mudança na missão, visão e valores até modificações nos produtos/serviços.

Tipos de mudança existentes

Conheça a seguir, alguns tipos de mudanças existentes:

Mudança Incremental

A mudança incremental é a que menos impacta nos processos da organização, o que a torna mais frequente no dia-a-dia corporativo. Seu foco é o de agregar valor a algo, ou seja, maximizar a capacidade da empresa, melhorar sua estrutura, propor soluções, etc.

Mudança Transformacional

Essa mudança diz respeito a alterações no clima e cultura organizacionais, nesse sentido, estão ligadas a gestão, a maneira como o trabalho é realizado e ao comportamento dos colaboradores na empresa. Tal mudança é profunda, visto que seu objetivo é o de transformar positivamente os processos e os profissionais da organização.

Mudança Planejada/Planeada

Com base em um processo preestabelecido, a empresa realiza a mudança planejada/planeada e assim, alcança o estado desejado. Por necessitar de um planejamento, esse tipo de mudança é conduzido pela gestão da empresa e possui três níveis: a preparação, que refere-se a identificação do que a empresa pretende atingir com a mudança, a implementação, que nada mais é do que, colocar em prática as ações necessárias para que as alterações ocorram e o reforço da mudança, que diz respeito a divulgação dos benefícios conquistados.

Mudança Improvisada

Tal mudança não é embasada em um planejamento, mas sim, de decisões tomadas em tempo real.

Mudança Emergencial

Também não é uma mudança planejada, ela ocorre de acordo com os desafios enfrentados pela organização, nesse sentido, elas são imprevisíveis e não podem ser controladas pela gestão, pois ocorrem em diferentes departamentos.

Mudança Radical

A mudança radical é colocada em prática para antecipar futuras situações, conduzir novos paradigmas e maximizar a performance da empresa

A seguir, relaciono os passos a serem adotados para auxiliar no processo de mudança da organização e aumentar a competitividade da empresa:

Incentive ao máximo diferentes ideias e inovações para os processos

Quanto maior a diversidade de novas ideias para processos e produtos, maiores são as chances da inovação bem sucedida surgir.

Selecione as mais destacadas

Dentre as ideias que surgirem, selecione aquelas com maior potencial, com viabilidade de implementação e que vão realmente propiciar evolução aos processos da empresa.

Aplique e monitore os novos processos

A partir da implementação, acompanhe o andamento das novidades. Nesse processo de avaliação surgirão novas ideias e adequações à realidade da empresa.

Ao empreender esse método, a organização favorece a mudança, estimulando a participação ativa de seus colaboradores e implementando novos processos que, se bem sucedidos, vão propiciar maior força competitiva à empresa, se destacando dos concorrentes.

A mudança pode ser alcançada em diferentes frentes, seja no processos de produção, nos produtos, na forma de se relacionar com o mercado e com consumidor final.

Por que a gestão de mudança é necessária

A mudança é importante e necessária para a saúde de qualquer negócio, pois ela é algo imposto pela grande competitividade dos mercados. Se uma organização não aderir à mudança por iniciativa própria, tomando a frente e inovando em seus processos, vai aderir por necessidade, que possivelmente virá acompanhada da urgência, ocasionando em grandes riscos à sua sobrevivência.

Porém, sua implementação não é uma tarefa fácil. Isso acontece pois nem sempre os processos, sistemas e profissionais da empresa estão preparados para enfrentar alterações, por isso a gestão da mudança é tão importante, visto que a mesma tem como foco, oferecer um conjunto de práticas, ferramentas e ações capazes de dar suporte para que todos se adaptem à nova realidade.

A gestão da mudança é eficaz em diversos setores, são eles:

  • Atuação da empresa;
  • Aumento da concorrência;
  • Implementação de novas tecnologias;
  • Alterações nos recursos da organização;
  • Atendimento das expectativas dos stakeholders;
  • Problemas na performance da equipe;
  • Nova gestão;
  • Alinhamento da cultura organizacional;
  • Contenção de rotação de colaboradores.

Coaching e a gestão de mudança

Mudar algo dentro de uma empresa, nem sempre é um processo linear. Alguns fatores estão fora do alcance da organização, como por exemplo, a resistência e reação dos stakeholders, as possíveis mudanças do mercado, a economia do momento, etc. Nesse sentido, para enfrentar os desafios resultantes das mudanças, o Coaching é uma poderosa ferramenta.

O processo auxilia a empresa de acordo com a sua necessidade, e tem como foco, maximizar sua performance e potencializar seus resultados. Através de técnicas e ferramentas comprovadas, o Coaching capacita as equipes e os profissionais a lidarem com a mudança enfrentada, fornece novos padrões de comportamentos aos envolvidos, desenvolve habilidades e competências de liderança à gestão, contribui com a identificação de metas e objetivos assertivos, bem como no alcance dos mesmos e assim, possibilita que a mudança implementada não cause uma reação negativa e influencie positivamente os resultados da organização.

E você, já vivenciou alguma mudança organizacional? Comente e compartilhe esse artigo com seus amigos.