Voltar

Empatia nas Relações de Trabalho

Publicado em | 0 comentários

Veja a importância de desenvolver a empatia no ambiente de trabalho para torna-lo cada vez mais harmônico! Clique e Confira! | racorn |DepositPhotos.com

Uma das maiores causas da alta rotatividade de funcionários dentro de uma empresa é a pressão constante que muitos funcionários encontram e não conseguem aguentar, fazendo com que eles desistam do trabalho ou forcem ao máximo sua demissão. Uma empresa que observa isso e mesmo assim não toma nenhuma atitude para mudar o cenário, com certeza está nadando contra a corrente.

Porque relações de trabalho bem resolvidas e definidas, não se atendo a uma superficialidade comum dentro do âmbito corporativo, costumam sempre dar certo.

A importância da empatia entre colaboradores e diretoria

A hierarquia é importante? É claro. Estamos falando de uma organização onde há essa necessidade de hierarquizar os cargos, a fim de despertar e, cada pessoa os efeitos adequados de cada posição e assim contribuir com mais pontualidade para a obtenção do objetivo da empresa.

Porém, isso não significa que os diretores e os colaboradores deverão se separar com um muro entre eles. Com uma escada na qual ninguém pode subir. É importante entender que no cotidiano de uma empresa, há de se manter claras e firmes as posições de cada um, porém, isso não pode ser transformado num quadro de rigidez quase que militar.

Numa empresa não existem coronéis, tenentes, sargentos, capitães. Existem profissionais qualificados, distribuídos cada um de acordo com a sua respectiva competência. E todos, simplesmente todos, estão unidos pela conquista de metas, pelo crescimento não apenas deles mesmos, mas da empresa em que trabalham.

Os diretores devem dar espaço para que uma relação mais transparente e próxima seja construída com os seus colaboradores. Por quê? Porque eles precisam saber que há futuro para eles na empresa, que a carreira deles é bem observada e que, apesar de estarem trabalhando num ambiente corporativo e que busca lucros, também há uma preocupação natural com o capital humano que há ali.

Você nem imagina o quanto um ambiente de trabalho pode ser mudado com uma relação empática entre os profissionais que trabalham ali.

Mais confiança e cumplicidade

Dois fatores que geram um ambiente muito mais sinérgico: confiança e cumplicidade. Já ouvi histórias bastante tristes sobre profissionais muito qualificados que foram prejudicados por uma relação de trabalho totalmente sem cumplicidade. Sabe aquela lei da selva, de cada um por si? Pois bem, esse sentimento predatório acabou minando a carreira de profissionais que tinham tudo para dar certo no mundo corporativo, caso estivessem em uma empresa com uma identidade mais humana.

Se há a falta de cumplicidade, pelo menos o mínimo de confiança profissional deve haver, aquela sensação de que seus colegas de trabalho são pessoas íntegras, embora não sejam nem um pouco próximas, é algo que até mesmo conforta algumas pessoas em momentos de dificuldade.

Mas, para chegar a isso, alguns ambientes devem passar por diversos processos, como o psicodrama, por exemplo. Um método criado por Jacob Levy que é uma ciência que explora a verdade através de meios dramáticos a fim de estudar o comportamento humano.

Formas de ensinar aos colaboradores sobre empatia

Como já foi dito, o psicodrama é uma ciência que estuda o comportamento humano através de meios dramáticos. O que seria isso? Dramatizar situações do cotidiano, hipotéticas ou não, para examinar as reações dos profissionais envolvidos quando colocados em determinadas posições. O psicodrama organizacional é um programa muito elogiado e que pode dar certo na sua empresa.

Porém, outra ferramenta bastante útil que é bem mais ampla e que engloba até o psicodrama organizacional é o Coaching. Utilizando os ensinamentos do Coaching, a sua equipe poderá aprender melhor a sentir empatia uns pelos outros. Seja através de simulações onde o colaborador é posto no lugar do diretor e vice-versa.

Isso faz com que os colaboradores entendam um pouco de como é a pressão de quem tem que estar sempre no comando ditando um rumo. E também faz com que os diretores percebam que ser subordinado às vezes também é uma forma de receber muita pressão.

No final todos se entendem melhor e isso é excelente para todos.

E na empresa onde você trabalha, existe empatia entre os colaboradores? E entre eles e a diretoria? Deixe seu comentário compartilhando sua experiência!

Comments

comments