Voltar

Bem-estar Segundo a Psicologia Positiva

Publicado em | 0 comentários

Evgeny Atamanenko/Shutterstock Cuidar de sua saúde física, mental e espiritual e alimentar emoções positivas é o caminho para o bem-estar

Bem-estar é o agrupamento de práticas que abrangem uma boa nutrição, bons relacionamentos, tanto interpessoais quanto familiares/sociais: prática de atividades físicas, além do controle do estresse. Uma relação de harmonia com as energias do universo, satisfação consigo mesmo, resignação, aceitação de si, todas essas coisas produzem a sensação de bem-estar.

Bem-estar quer dizer saúde, no seu significado mais abrangente, de forma intensificada e em todos os seus aspectos. Esse termo apareceu, pela primeira vez, no século XVI para nomear a satisfação de necessidades físicas, ao passo que no século XVIII ele está se referindo à posição material que provoca satisfação das necessidades da existência.

A Psicologia Positiva

Todas as pessoas do mundo são seres sociais, todos possuem uma vida e essa vida é constituída por várias características específicas. A Psicologia Positiva, no meio das áreas da Psicologia, é aquela que traz o bem-estar em todos os níveis. Bem-estar social, na perspectiva de Seligman, que é seguida pelo Instituto Brasileiro de Coaching, é um estado de espírito que nos deixa nos sentindo participantes e introduzidos, queridos e amados em todo o sistema, pois a felicidade das pessoas aumenta, também, o nível de dever com o “todo”.

Martin Seligman, psicólogo estadunidense, professor da Universidade da Pensilvânia, ex-presidente da Associação Americana de Psicologia e autor de contribuição significativa na área de Psicologia Positiva diz que “o bem-estar não pode existir apenas na sua cabeça: ele é uma combinação de sentir-se bem e efetivamente ter sentido, ter tido bons relacionamentos e realização. O modo como escolhemos nossa trajetória de vida é maximizando todos esses cinco elementos” (2011, p. 36).

As ações da Psicologia Positiva que tratam das virtudes e do florescimento do indivíduo colocam as pessoas frente a uma realidade: “preciso de todo o sistema social para ser feliz, ser um cidadão de bem, para ter meus direitos atendidos, logo, preciso contribuir para que tudo isso aconteça. Eu sou parte e também sou responsável”.

O bem-estar pode ser mensurado em cinco fatores: emoção positiva, engajamento, relacionamentos positivos, propósito e realização.

As Bases do Bem-estar Segundo a Psicologia Positiva

Emoção positiva – As emoções positivas são os sentimentos e sensações que nos fazem nos sentirmos próximos de outras pessoas e de nós mesmos. Elas são, em sua maioria, desprendidas de nós por um princípio empático e nos conduzem ao desenvolvimento de valores e crenças que nos fortalecem como sujeitos únicos. Em seu caráter defensivo, cultivar emoções positivas está inteiramente relacionado à nossa resistência a algumas doenças e angústias de origens diversas.

Muitas pessoas possuem uma tendência a esperar o pior das coisas. Essas pessoas só conseguem ver o lado negativo da vida e, em vários momentos, evitam situações para não correrem riscos. E você, como você está se sentindo neste exato momento? Bem? Ótimo? Mal? Mais ou menos? Você está doente? As suas emoções, neste exato momento, quais são? Lá no fundo, o que você sente? É da sua vontade se sentir melhor? Se sim, procure um sentimento ou um pensamento que seja melhor.

Se você está triste, com raiva, amargurado, com pensamentos negativos porque descobriu uma doença, e assim por diante, existe uma explicação: você perdeu, por um momento, a conexão com o “fluxo de experiências boas”. Todos os seus pensamentos são importantes, portanto, não os desperdice. Os pensamentos negativos levam as coisas boas para bem longe, ou seja, levam o estado desejado (melhora) para bem longe do seu estado atual.

Assim como a linguagem interfere no cultivo das emoções positivas, a linguagem também cria a realidade. Dizer coisas positivas é criar positividades. Ao invés de dizer “eu não quero mais ser uma pessoa amargurada”, diga “eu sou feliz e desejo permanecer assim para sempre”. Dizer “eu não quero ser solteiro” não é, ao pé da letra, uma frase positiva. Prefira dizer “eu aceito que a vida me traga um companheiro (a)”.

 Engajamento – A vida com comprometimento e engajada exemplifica as pessoas que utilizam as suas energias para conseguir atingir objetivos que são significativos para elas. Essas pessoas tratam de encontrar a felicidade a partir de condições interiores, colocando em jogo suas forças pessoais. Muitas dessas atividades dão a elas a possibilidade de flow, e podem envolver prazer ou dor, mas são gratificantes.

Por exemplo, à medida que determinado paciente de um hospital começa a melhorar, os objetivos do tratamento também podem mudar para ajudá-lo a identificar e a fazer uso dos seus pontos mais fortes para trabalharem juntos, médico e paciente, no sentido de uma vida engajada em que possam vivenciar satisfação social, física e psicológica.

Relacionamentos positivos – Nós temos a necessidade de nos relacionarmos com os outros física e emocionalmente. Ao produzirmos uma rede de relacionamentos vigorosa, melhoramos, automaticamente, o nosso bem-estar. Os seres humanos dependem de pessoas ao seu redor para ajudar na manutenção do equilíbrio na vida. Uma boa relação é construída com o tempo. Essa construção gradativa, juntamente à manutenção diária dessas relações, é muito importante.

Destarte, o ponto chave para todo tipo de relacionamento é o equilíbrio, é escutar e compartilhar, é procurar sempre fazer esforços para nos mantermos conectados, sempre lutando em prol do fortalecimento desses relacionamentos. Por exemplo, um bom médico deve estar sempre cultivando relacionamentos positivos com os seus pacientes para motivá-los a melhorar.

Propósito – Propósito nada mais é que aquilo que se quer alcançar. A verdadeira forma de ser feliz vem de criar e fazer a vida ter sentido através de ações do dia a dia. Ser amado e amar, por exemplo, são dois processos bastante importantes e que precisam de propósito. Esses processos inspiram várias pessoas a quererem cuidar de alguém e não apenas de si mesmas.

É imprescindível que determinada pessoa sinta, também, que o trabalho que desenvolve soma-se aos seus valores e crenças pessoais. Dia após dia, se uma pessoa acredita que o seu trabalho tem utilidade, ela sentirá uma sensação geral de bem-estar e confiança de que está utilizando o seu tempo e suas habilidades em prol do melhor. Ou seja, o propósito estabelecido por ela, trabalhar da melhor forma possível, foi alcançando.

Quando um médico tem como propósito ajudar um paciente a sair do estado atual (doente) e ir para o estado desejado (curado), ele luta bastante, utilizando todos os melhores tratamentos possíveis. O propósito, nesse caso, é a cura do doente.

Realização – Ter sempre objetivos claros na vida, mesmo que eles sejam pequenos, fazendo todo o esforço possível para conseguir alcançá-los, é importante para a conquista do bem-estar/felicidade. Em alguns momentos de nossas vidas, escutamos que ganhar não é o mais importante, e, sim, participar, fazer e demonstrar interesse. Participar de qualquer coisa é adquirir experiências.

A realização das atividades do dia a dia auxilia na construção da autoestima e oferece uma sensação de plenitude evidente. Ao realizar determinada tarefa estamos reforçando a autocrença. Aqueles médicos que traçam metas e fazem o máximo possível para conseguir alcançá-las, dia após dia, por exemplo, têm mais chance de terem pacientes que cultivem a mesma atitude.

As realizações podem ser identificadas quando olhamos para trás e chegamos à conclusão: “eu realmente fiz isso e consegui fazer da melhor maneira possível”. Esse é o sentimento de realização e sucesso. Ao olharmos para o passado e enxergarmos sucessos e vitórias, estamos começando a construir um futuro com base esperançosa.

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!