Voltar

Aplicação das Metáforas Segundo o Modelo de Robert Dilts

Publicado em | 0 comentários

Mopic/Shutterstock O modelo de Robert Dilts defende que as metáforas ajudam o ser humano a acessar os recursos necessários em sua mente para  vencer as crenças e comportamentos limitantes e conquistar o estado desejado.

Para trabalhar diversos tipos de problemas, as metáforas têm um papel muito importante e, por vezes, decisivo no processo de cura. Segundo a abordagem de Robert Dilts, consultor em Programação Neuroliguística (1990); precisamos unir os estados de problemas com os estados de recursos, ou seja, criar o que ele chamou de metáfora incorporada.

Assim, a fórmula de Dilts é – Metáfora do ProblemaMetáfora de Recurso Metáfora do Resultado Desejado.

Do mesmo modo como nos processos de Coaching ou nas sessões de Hipnoterapia Ericksoniana, o método de Robert Dilts defende que cada pessoa possui os próprios recursos/respostas/meios para conseguir vencer suas limitações, ressignificar as emoções negativas e ir além.

Entretanto, para isso, antes é necessário eliminar os fatores que bloqueiam seus avanços, de modo que isso permita ao indivíduo acessar o melhor que habita nele e estar livre e empoderado para conquistar suas realizações e sonhos.

Passo a Passo do Modelo Dilts

1 – Identificar o problema a ser tratado

2 – Desenvolver a Metáfora Incorporada Associada

3 – Identificar o momento que anteveio à Metáfora do Problema

4 - Desenvolver a Metáfora de Recursos

5 – Fazer a interação entre a Metáfora de Recursos e a Metáfora do Problema

6 – Verificar os resultados obtidos

Como Aplicar o Recurso das Metáforas em Cada Fase

O primeiro passo para que a aplicação das metáforas incorporadas surtam efeito desejado é identificar os padrões de comportamento e emoções que estão influenciando negativamente a pessoa. Estes elementos podem se refletir no dia a dia por meio da identidade ou da personalidade do indivíduo.

Em seguida é hora de conhecer a Metáfora do Problema é entender de que forma o corpo manifesta e enxerga estas emoções externamente. O indutor pode perguntar à pessoa, por exemplo – De que tamanho é a sua mágoa? Como o que ela se parece? É algo sólido, duro, pesado? Se a pessoa disser – se parece com uma Parede, esta feita a metáfora e é com ela que se deve trabalhar até obter a ressignificação.

No passo 3, é hora de identificar o estado da pessoa antes de vivenciar seu estado de problema, ou seja, quando o indivíduo não tinha que lidar com a situação atual. Aqui, devemos ter todo o cuidado para não voltarmos a pontos que desencadeiem outras emoções negativas e traumáticas na pessoa. Para isso, experimente dizer, por exemplo – Você pode se lembrar do tempo antes da Parede quando se sentia satisfeito (ou com suas expectativas correspondidas)? Qual era sua idade nesta época? Neste caso, a idade dita pela pessoa, representará o momento onde ela tinha seus recursos e será usado como o ego jovem, um referencial positivo.

Para desenvolver a Metáfora de Recursos podemos utilizar o ego jovem por meio da idade dita pelo paciente como também buscando conhecer os sentimentos e sensações que aquele tempo lhe traz. Se, por exemplo, o número dito foi 7 anos, podemos captar os recursos do seguinte modo. Antes da Parede, o 7 gostava de Correr no quintal e brincar de Carrinho.

Em seguida é hora de convidar a Metáfora do Problema e a Metáfora de Recursos para trabalharem em conjunto. Pergunte – Para onde o 7 poderia ir no seu Carrinho? O que o Carrinho gostaria de fazer com a Parede? E, em seguida, o que acontece? As perguntas devem prosseguir até que se encontre a solução necessária, neste caso, para vencer a mágoa. O que se espera neste caso é que a parede se transforme num novo caminho, já que ao atravessá-la o indivíduo conseguiu superar e vencer a situação que o impedia de avançar em sua vida.

A etapa final consiste em verificar se os resultados esperados foram obtidos e se a pessoa realmente conseguiu ressignificar a metáfora do problema e dar um novo sentido as suas experiências passadas. Para isso é essencial fazer uma viagem ao seu interior, estudar sua mente e identificar e tratar, assertivamente, todos os focos e resquícios de eventos negativos que até hoje interferem negativamente em seus resultados.

Este trabalho mostra o poder das metáforas, pois de fato elas ajudam o ser humano a rever seus comportamentos e modificar os padrões nocivos que dificultam suas relações interpessoais, comunicação, prejudicam suas realizações pessoais e profissionais e sua felicidade como um todo. Conheça o Poder das Metáforas!

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!