Voltar

Apego – é bom ou ruim?

Publicado em | 0 comentários
homem abraçando copo de café

Marcos Mesa Sam Wordley / Shutterstock O apego exagerado pode gerar uma série de problemas físicos e emocionais, como ansiedade, fobia, medo e depressão.

O apego está cada vez mais presente em nossa vida. Ele está diretamente relacionado à nossa personalidade e às coisas que consideramos importantes e não desejamos nos desfazer. Há aqueles que se apegam ao trabalho, à família, a um esporte, à carreira ou até mesmo a um amor…

Segundo o dicionário, a palavra apego significa sentimento de afeição, de simpatia ou afeto por alguém ou alguma coisa. Também pode ser uma espécie de dependência, um vício, uma compulsão a algo ou alguém.

O apego pode ser saudável ou não. O apego ruim está relacionado a coisas que não te fazem feliz, como uma recordação triste, uma dor constante ou algum objeto que você não usa mais e, por algum motivo, não consegue se livrar dele. O apego saudável, por sua vez, diz respeito ao carinho a alguma pessoa, animal, objeto valor inestimável e até a atividades prazerosas, como um esporte.

O apego exagerado pode gerar uma série de problemas físicos e emocionais, tais como: ansiedade, fobia, medo e depressão. O apego excessivo a alguém, por exemplo, provoca sentimentos de possessividade, ciúme, raiva, desconfiança e medo da perda.

Mas, afinal, se o apego em excesso causa tantos malefícios a nossa saúde, por que nos apegamos tanto às coisas e pessoas?

Teoria do apego

O apego está diretamente ligado à psicologia do desenvolvimento, que utiliza a Teoria do Apego para explicar porque nos apegamos tanto a algum objeto ou pessoa. Esta teoria foi desenvolvida pelo psiquiatra John Bowlby, que conduziu um estudo que visava compreender como se é a relação entre um bebê e sua mãe ou qualquer pessoa que exerça sobre ele sentimentos de segurança e conforto.

Segundo John, o apego está relacionado a todos os comportamentos inatos praticados pelo bebê, que estabelecem uma relação de proximidade com o principal responsável por seus cuidados — geralmente a mãe. A relação entre um bebê e sua mãe, portanto, não é construída pela alimentação, mas pela segurança que a mãe proporciona.

Neste contexto, a teoria explica que tudo o que é vivenciado pela criança tem grande influência em seu comportamento futuro. Se ela teve uma base segura, uma mãe que forneceu tudo o que ele precisava para crescer forte, saudável e feliz, esta criança se tornará um adulto autoconfiante, responsável e seguro.

Dicas para praticar o desapego

Confira dicas que podem te ajudar a adotar o desapego em sua vida:

  • Livre-se de objetos e coisas sem utilidade;
  • Cuidado com o acúmulo de coisas desnecessárias;
  • Tenho amor próprio;
  • Antes de amar o outro, você deve amar e respeitar a si mesmo;
  • Não crie expectativas exageradas;
  • Respeite seus sentimentos;
  • Se livre dos pensamentos negativos;
  • Exerça o seu autocontrole;
  • Se aceite como você é;
  • Livre-se de tudo aquilo que te faz mal: objetos, sentimentos e até mesmo pes

Este artigo foi interessante para você? Então lembre-se de sempre curtir e compartilhar o conhecimento em suas redes sociais.

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!