Voltar

Anderson Silva e a Vitória de Sua Força Interior

Publicado em | 0 comentários

cidadeverde.com/ufc-183-anderson-derrota-diaz-e-retorna-ao-caminho-das-vitorias-184687 Silva, hoje com 39 anos, é um dos maiores lutadores da história do UFC.

Após mais de um ano longe do octógono, o brasileiro Anderson Silva finalmente voltou a competir no UFC. Poderia ser apenas mais uma luta entre tantas, se o evento não marcasse o retorno do lutador, depois de grave contusão, onde quebrou a perna, perdeu sua segunda luta consecutiva e foi muito questionado se realmente ainda poderia ser o grande campeão, admirado por todos.

Entretanto, o “Spider”, como é conhecido mundialmente, após cinco assaltos, venceu por decisão unânime, o americano Nick Diaz, na luta realizada na cidade de Las Vegas, nos Estados Unidos. “É um momento importante para mim, para minha família e para todos os brasileiros. Por tudo que sofri este ano e cheguei a achar que não iria voltar a lutar no começo”, desabafou Anderson, em entrevista após a luta.

Ascensão e Queda de Um Campeão

Silva, hoje com 39 anos, é um dos maiores lutadores da história do UFC. Defendeu seu título de campeão dos Pesos Médios, por 10 vezes, acumulou 17 vitórias consecutivas, a maioria delas por nocaute. Conhecido por seu jeito irreverente, Anderson chamou a atenção do mundo, ganhou dinheiro, fama e milhares de fãs.

Com um estilo “marrento”, para muitos, classificado como: desrespeitoso, o lutador também se destaca por suas indiscutíveis habilidades técnicas e pelo conhecimento de diversas artes marciais, maestria essa demonstrada por meio de seus golpes precisos, em sua maioria, indefensáveis.

Porém, em 2013, após perder seu título e, ser nocauteado pelo americano, Chris Weidman, Anderson chegou a anunciar sua aposentadoria como competidor do UFC. Voltou atrás e, quando fraturou a perna e foi derrotado, em dezembro do mesmo ano, muitos duvidaram de sua capacidade de recuperação.

As Lições de Anderson Silva Para Ir Além

  • Buscar Apoio na Família e Amigos – Depois de perder sua última luta e sofrer a grave lesão, abatido e desacreditado, Anderson Silva saiu de cena para focar em sua recuperação física e emocional. Para isso, contou, em todo momento, com o apoio de sua família e dos amigos, que sempre estiveram ao seu lado e deram a ele todo o suporte que precisava para superar o desafio de voltar a acreditar em si mesmo e lutar. “Obrigada a minha família, a meus filhos e amigos”, por isso reconheceu a todos, publicamente, após a vitória.

 

  • Aprender a Ser Humilde – Diferente das lutas anteriores, onde fazia questão de provocar e até humilhar seus adversários, desta vez Anderson assumiu uma postura diferente, se manteve sereno e evitou qualquer tipo de atrito e provocação contra Diaz. No ringue é um contra um e, com apenas um golpe, até o lutador mais experiente e preparado pode ir à lona. Anderson aprendeu isso da pior maneira, ao ser nocauteado por Weidman, adversário que ele desdenhou várias vezes publicamente.

 

  • Ter Inteligência EmocionalCom uma placa de platina na perna e sendo praticante de um esporte violento e de alto impacto, Anderson Silva sabia que poderia se machucar novamente, mas não sucumbiu ao medo de sentir dor ou de sofrer uma nova lesão na perna. Confiou no treinamento que fez, programou sua mente para vencer e seguiu em seu propósito, independentemente, da lesão.

 

  • Desenvolver sua Força Interior – Por mais que tenhamos o apoio de familiares e amigos, quando o lutador sobe no octógono, está completamente sozinho diante de seu competidor. Para manter a mente forte, a autoestima e a autoconfiança em alta, é preciso alimentar a crença positiva em suas capacidades e habilidades. Anderson buscou em si mesmo, em sua luta pessoal e história de vida, esta motivação e força para seguir em frente, voltar a competir e derrotar seu adversário.

 

  • Capacidade de Vencer a Descrença – Quando muitos acreditavam que seria o fim da carreira do lutador, Anderson surpreendeu a todos e voltou a lutar. Antes disso, porém, teve de enfrentar sua própria descrença e superar as críticas de que estava velho demais para competir em alto nível. Quando acreditamos em nós mesmos, mantemos o foco em nosso objetivo, independente do que os outros dizem, somos capazes de grandes feitos e conquistamos a automotivação necessária para continuar a lutar pelo que acreditamos.

Como podemos perceber, a carreira de um atleta, assim como a de todos os profissionais, é pautada por momento de altos e baixos. Por isso, é essencial preparar-se continuamente para vencer os desafios físicos e emocionais a que estamos expostos, desenvolver nossa força interior e seguir em frente na busca dos resultados extraordinários que desejamos. Faça como Anderson Silva, ouse vencer seus medos. Ouse ir além!

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!