Voltar

Desvio de Função – Como Lidar com Esta Situação em sua Organização?

Publicado em | 0 comentários

Maslowski Marcin/Shutterstock O desvio de função consiste em fazer funções para as quais o colaborador não foi contratado ao invés de seu cargo original

Caracteriza-se como desvio função quando um colaborador, de uma área, acaba fazendo as funções de outro funcionário e não as suas, como demanda seu contrato de trabalho. Assim, mesmo que seja apenas eventualmente, a partir do momento que assumimos funções diferentes daquelas para as quais fomos contratados, o desvio de função também passa a existir.

Na prática isso ocorre muitas vezes porque as empresas, ao invés de contratar mais profissionais para atenderem suas demandas, acabam utilizando a mão-de-obra que já possuem para dar conta do trabalho. Assim, um colaborador pode tanto assumir pontualmente uma função diferente (acúmulo de função) como permanentemente ser designado para fazê-la (desvio).

As organizações devem estar atentas a isso e buscar cumprir com as leis vigentes e respeitar os direitos de seus trabalhadores. Isso aumenta o engajamento dos profissionais, seu comprometimento, confere um ambiente de trabalho mais saudável e demonstra o respeito da empresa aos seus direitos.

Consequências do Desvio de Função

Além de infringir as leis e os direitos do trabalhador, o desvio de função traz ao profissional desmotivação, pois aquilo que foi acordado em sua contratação não está sendo cumprido pela organização. Assim, o colaborador sente que de certa forma foi enganado e passa a fazer suas tarefas de modo não tão satisfatório como seria se tivesse na sua função original.

Quando mesmo sem uma formalização, o colaborador deseja assumir oficialmente as funções que já está executando, caso ele seja promovido e haja uma mudança contratual que indique a mudança de cargo, ai sim, não há desvio de função.

Entretanto, o que ainda acontece muito é a mudança sem formalização oficial ( sem registro em carteira) e às vezes o profissional acaba não sendo reconhecido financeiramente mesmo executando tarefas e funções que lhe dariam outro patamar no salário e na profissão.

Este é um dos principais fatores de desmotivação e o que leva o funcionário a querer sair da empresa, pois além do desvio de função também há uma exploração de sua mão-de-obra e o não reconhecimento de sua atividade.

Como Mudar Isso

O colaborador assim que perceber que está sendo desviado de suas funções deve procurar seu gestou imediato ou o departamento de Recursos Humanos para apresentar a situação e sua posição quanto ao trabalho para que encontrem uma solução para o problema. Caso haja um acordo entre as partes, o profissional pode tanto passar a exercer um novo cargo como permanecer onde está.

Em situações onde a empresa não se manifesta sobre a questão, é direito do colaborador não realizar tarefas distintas daquelas para as quais foi contratado. Caso haja retaliações, o funcionário pode buscar seus direitos juntos aos órgãos competentes e assegurar a sua legítima garantia de executar apenas o trabalho e as funções para o qual foi contratado. Fique de olho e bom trabalho!

Gostou de saber mais sobre este assunto? Curta, comente e compartilhe conhecimento em suas redes sociais!

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!