Voltar

O Que são Crenças Limitadoras e Bloqueadoras?

Publicado em | 0 comentários

Dean Drobot/Shutterstock As crenças limitantes além de sabotarem nosso pensamentos e comportamentos também prejudicam nosso resultados e nosso bem-estar

As mudanças em nossas crenças ocorrem com motivação, formamos nossa identidade a partir das crenças e valores que orientam nossa vida. Estamos sempre em busca de mais escolhas, e a partir das modificações que ocorrem em nossas crenças, obtemos mais opções para orientar nosso comportamento frente às diversas situações.

Mesmo com todos os ganhos que podemos obter com nossas crenças limitantes modificadas, observa-se que determinadas pessoas não mudam – são as crenças limitantes negando o desejo de obter a mudança.

O sistema de formação de crenças é muito importante para o indivíduo; se ele acredita que pode fazer, que realmente é capaz de fazer, ele faz, e se acredita que não pode, é enviada uma mensagem ao seu inconsciente formando a crença limitante que o impede de fazer e de desenvolver determinada habilidade.

Elimine Crenças Negativas e Foque no Positivo

“Eles podem porque pensam que podem. E se você pensa que pode, então você consegue!” Antes de qualquer coisa é preciso tratar essa crença limitadora que impede a pessoa de realizar algo. O primeiro passo para isso é identificar o estado desejado; precisamos deixar bem claro como queremos estar e, principalmente, como saber que a meta foi atingida.

Isso é feito através de onde captamos as sensações, imagens e sons. É muito importante esse objetivo ser estabelecido no positivo e uma vez estabelecido positivamente, uma mensagem é transmitida ao inconsciente afirmando ser possível realizar o que foi proposto.

Um dos pressupostos da Programação Neurolinguística é que possuímos todos os recursos que precisamos para efetuar as mudanças que queremos. Vale salientar que esse processo de condicionamento é automático.

Depois de fixado o objetivo, o próximo passo é detectar o estado atual, realizar a comparação entre o estado atual e o estado desejado, e somar os recursos necessários para a mudança. Ou seja, EA (estado atual) + R (recursos) = ED (estado desejado). Essa fórmula está presente na maioria das técnicas de PNL.

Em determinados processos de desenvolvimento humano, como Coaching e algumas terapias, torna-se desafiador proporcionar os recursos necessários para o sujeito devido às interferências de pensamento do próprio sujeito. Sendo assim, é preciso reconhecer essas interferências e tratá-las separadamente.

Na maioria das vezes esses comportamentos têm um ganho secundário muito significativo, como uma criança que finge estar doente para receber mais atenção do que receberia se estivesse em perfeito estado de saúde, e por esse ganho, prefere não se modificar.

Tipos de Interferências

  • Do lado do sujeito, quando ele não deseja a mudança de hábito;
  • Quando a pessoa não sabe como vai proceder com a nova mudança, não sabe como vai agir com o novo comportamento;
  • A pessoa não se dá a chance de usar o que acabou de aprender.

É preciso querer mudar, saber como mudar e se dar a chance de mudar, sendo que, antes de qualquer coisa é preciso que o sujeito acredite que pode mudar.

Gostou do texto? Curta, comente e compartilhe!

Comments

comments

O que é coaching

Baixe o
e-book
gratuito

Conheça a metodologia que vai mudar sua vida. Acelere o seu sucesso!